Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar na Croácia

Os 12 melhores locais para visitar na Croácia

A Croácia é cada vez mais um destino de eleição para os turistas. Viaje connosco e construa o seu roteiro com os melhores locais para visitar na Croácia.

36943
5
Croácia
Dubrovnik - Croácia

Desde que se tornou palco das gravações da mundialmente famosa série Game of Thrones, a Croácia despertou a curiosidade mundial e foi invadida por turistas. O turismo na Croácia tornou-se numa das mais importantes actividades deste jovem país resultante da divisão da antiga Jusgoslávia. Embora a cidade de Dubrovnik seja a mais visitada e a mais conhecida atracção turística da Croácia, as belezas deste país não se esgotam apenas nesta cidade banhada pelo Adriático.

A Croácia é um autêntico tesouro por descobrir. Com um clima ameno, praias deslumbrantes de areia fina, parques naturais com água cristalina e cascatas deslumbrantes, igrejas, mosteiros, castelos, palácios e museus, a Croácia cativa os turistas que a visitam. Um país influenciado e dominado por Veneza só poderia ser um belo país. Se está a pensar criar um roteiro de viagem com os melhores pontos turísticos deste país do Adriático, não deixe de ler as nossas sugestões sobre os 12 melhores locais para visitar na Croácia.

 

1. Dubrovnik

O mar é um elemento indissociável desta urbe. Da parte antiga, medieval, às águas cristalinas e temperadas do Adriático é, literalmente, um saltinho. A cidade tem tudo para ser perfeita e não para de aumentar o número de visitantes que a está a (re)descobrir. Todas as manhãs, na Praça Gundulic, um dos centros principais de Dubrovnik, estendem-se as bancas de frutas, legumes, ervas aromáticas, óleos, queijos e licores caseiros entre outras ofertas em ambiente tradicional. Siga para a fonte Onofrio e delicie-se com o que acabou de comprar no mercado, enquanto aprecia não só aquela construção majestosa do séc. XV como também a água fresca que dela jorra.

Dubrovnik
Dubrovnik

Se estiver em modo de lembranças e recordações, vá à Lega-Lega, loja do atelier de design MIT, onde tudo é 100% croata e tem alguma dose de humor. Se gosta de arte moderna e contemporânea, saiba que no museu que lhe é dedicado encontra mais de dois mil trabalhos assinados por autores reconhecidos. Igualmente rico é o acervo do Mosteiro Dominicano, conhecido pelas pinturas renascentistas e manuscritos que alberga.

 

2. Šibenik

Imagine-se vivendo no século 15 e olhando para a construção excepcional feita de blocos de pedra branca nas nuvens, sem qualquer parte de apoio feita de madeira ou qualquer outro material de conexão – certamente parece que tudo é um sonho. Hoje, este tipo de construção é a mais importante na área de Šibenik.

Šibenik

A cidade fortificada de Šibenik foi fundada pelos croatas no século IX. Devido ao desenvolvimento do estado croata medieval, a cidade de Šibenik cresceu e foi mencionada pela primeira vez no século XI num documento escrito pelo rei Petar Krešimir IV. Pouco depois, muitas nações diferentes lutaram por esta cidade – da monarquia austríaca-húngara, a Bizâncio e a Veneza, mas a cidade continuou a progredir, consolidando e desenvolvendo a sua cultura, arte, navegação, comércio e economia em geral. Šibenik esteve sob o domínio de Veneza durante 400 anos e foi durante esse período que os foram construídos os locais históricos e culturais mais importantes de Šibenik de hoje. Entre eles, está também aquele que é o principal símbolo da Cidade: a Catedral de São Jacob.

 

3. Castelo de Trakošćan

O castelo Trakoscan é considerado o castelo mais popular e mais visitado desta Região Norte da Croácia. Não é assim surpreendente que este castelo seja frequentemente eleito para uma visita fora do centro da cidade de Zagreb. Não se sabe ao certo quando nem por quem este castelo foi construído, mas assume-se que tal tenha sucedido no século XIV. Serviu como fortaleza. Encontram-se nas suas fundações vestígios de castelos românicos simples dos séculos XII e XIII. Ao longo dos tempos o castelo foi alargado várias vezes.

Castelo de Trakošćan

O Imperador Maximilian II governou o castelo no século XVI. Em 1569, ele deixou a Josip II Drašković, Ban (titulo nobiliárquico um tanto idêntico a Vice-rei) e bispo de Zagreb, para administrar o castelo. Mais tarde, o castelo tornou-se propriedade da família Drašković, excepto durante um intervalo de alguns anos em meados do século XVII, quando pertenceu a Nikola Zrinski. Trakoscan adquiriu o seu aspecto actual no século 19, quando foi renovado no estilo neo-gótico. Com o seu belo jardim público, um parque florestal e um grande lago artificial, o castelo possui uma vista impressionante e apaixonante.

 

4. Split

Segunda maior cidade da Croácia, Split é o principal centro da região da Dalmácia e um verdadeiro museu a céu aberto na costa do Mar Adriático, cercado por enormes montanhas. Justamente por seu tamanho, a primeira dica é concentrar sua hospedagem no Centro Histórico. É ali que estão as principais atracções e actividades. Embora seja um badalado destino turístico no verão, por ser uma grande cidade, tem “vida” praticamente o ano todo. O que fazer em Split? A cidade respira história e tem praias, bons restaurantes e bares, além de ser ponto de partida dos ferries para muitas ilhas famosas, como Hvar e Brač, onde fica a famosa praia Zlatni Rat.

Split
Split

Split tem uma característica muito pitoresca: o seu ponto alto é o centro antigo que fica exactamente em frente ao porto e dentro dos muros do Palácio de Diocleciano. O palácio é um dos maiores e mais bem preservados do mundo romano. As construções que hoje existem ali são na maioria da Idade Média e do Renascimento, mas todas convivem harmoniosamente com os elementos originais do palácio: nichos, colunatas e passagens subterrâneas. A catedral foi construída sobre o mausoléu de Diocleciano. Merecidamente, Split foi declarada pela Unesco como Património Histórico da Humanidade.

 

5. Lošinj

Lošinj está localizada ao sul do golfo de Kvarner, ligada à ilha de Cres por um canal artificial de 11 metros. No passado, estas duas ilhas eram apenas uma, agora juntas por uma ponte. Os habitantes de Lošinj tornaram-se famosos como os melhores navegadores do Mediterrâneo. Esta pequena ilha de pequena superfície, com apenas 30 km de extensão e 7 km de largura no ponto mais largo, durante a República de Veneza era um núcleo marinho de grande importância, abrigando no porto numerosos barcos. Até 1943 fazia parte da Itália. Na ilha de Lošinj existem algumas aldeias de pescadores que possuem centros históricos antigos ideais para uma caminhada matinal, como por exemplo Nerezine, pequena cidade de cerca de 400 habitantes.

Lošinj
Lošinj

Cerca de 20 km deste lugar fica Mali Losinj, um núcleo urbano de 6.500 habitantes, localizado numa bela baía, com uma praia muito visitada pelos turistas, cuja principal atractividade são as casas dos locais que apresentam cores diversas, concedendo à localidade um carisma muito especial. Também no centro da cidade podemos visitar a igreja barroca com um campanário do período veneziano e a fortaleza veneziana. Também pode visitar o museu de arte, Umjetnicke Zbirke, que abriga obras europeias dos séculos XVII e XVIII e artistas croatas contemporâneos.

 

6. Parque Nacional krka

O Parque Nacional de Krka, a cerca de 80 quilómetros de Split, na Croácia, está a oferecer entradas a metade do preço durante os fins de semana de Abril. Em vez de pagar 15 ou 10 euros (preço de adulto e criança, respectivamente), poderá entrar no parque por sete euros. As crianças não pagarão entrada.

Parque Nacional krka
Parque Nacional krka

Ao contrário do que acontece no Parque Nacional de Plitvice, onde não é permitido nadar nos lagos, aqui poderá mergulhar nas piscinas naturais de água transparente, formadas pelo rio Krka. É um local mágico, com várias cascatas e desfiladeiros. Tem aproximadamente 100 km² de superfície, sendo por isso possível visitar o parque pelas pontes de madeira que atravessam o local. Para além das entradas a metade do preço, a campanha inclui também menus com preço especial nos restaurante perto das cascatas de Skradinski – a maior do parque – e Roški.

 

7. Parque Nacional dos Lagos de Plitvice

Quando se fala nas paisagens mais belas que o globo terrestre pode oferecer aos olhos humanos, dificilmente alguém pensaria na Croácia como sendo o lar de alguma delas. Mas é neste pequeno país do leste europeu que se localiza o parque dos lagos Plitvice, um dos lugares mais lindos do mundo! Hum, lagos… Não parece muito empolgante, certo? Pois vamos acrescentar alguns ingredientes: não um, nem dois, mas 16 lagos com água que muda de cor do azul fluorescente ao verde esmeralda e cascatas no meio de um parque nacional de natureza luxuriante.

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice
Parque Nacional dos Lagos de Plitvice

O parque nacional dos lagos Plitvice – ou ‘Plitvicka Jezera’ em croata – abriga um conjunto de 16 lagos interligados por inúmeras cachoeiras. Ele é dividido em duas partes: a dos ‘lagos baixos’ e a dos ‘lagos altos’. A primeira tem a fama de ser a mais bonita, já que seus quatro lagos são ornados por paredões de pedra de até 40 metros de altura e porque é nela que está localizada a ‘Great Waterfall’, a maior cascata da Croácia. A segunda é maior e abrange nada menos do que 12 lagos, todos ligados por um sem número de quedas d’água. Portanto, reserve pelo menos um dia inteiro do seu roteiro de viagem pela Croácia para conseguir ver tudo isso. Vale a pena, acredite!

 

8. Hvar

Tida como o lugar mais ensolarado do país, com uma média anual de 7,7 horas por dia (mais de 2,7 mil horas por ano), a ilha é composta por pequenas cidades muito aconchegantes, como é o caso de Hvar, a capital. Lá o visitante vai encontrar praias como Hula Hula e Pokonji Dol, além de sítios importantes como o Forte de Hvar e a Praça/Catedral de São Estéfano. Excelentes restaurantes e hotéis também estão espalhados por toda a cidade, que oferece boa estrutura para turistas.

Hvar
Hvar

Ao norte da costa está Stari Grad (Cidade Antiga, na tradução literal), uma cidade bem mais pacata do que Hvar e excelente para ser explorada a pé. Jelsa é outra alternativa bastante tranquila e altamente indicada para aqueles que procuram enseadas perfeitas para nadar e momentos de puro relaxamento. Não deixe de conferir os vinhos, o mel e a lavanda (cujo perfume está por todas as partes da ilha). Estes, com certeza, são os produtos locais mais famosos de Hvar!

 

9. Zagreb

Importante centro de conexão aérea e ferroviária da Croácia, a capital Zagreb é muitas vezes menosprezada pelos turistas que visitam o país e seguem directo para as praias do Mar Adriático. Mas o que fazer em Zagreb? A capital de pouco mais de 800 mil habitantes ainda tem aquele carisma esperado por quem visita o Leste Europeu, com prédios históricos, igrejas, ruelas e monumentos.

Zagreb
Zagreb

Mas Zagreb não é apenas história: excelentes e modernos cafés, bares, restaurantes e lojinhas típicas fazem parte dos encantos desta cidade. Zagreb, apesar de ser a capital do país, muitas vezes passa despercebida frente à beleza impactante da costa dalmaciana. Localizada mais ao norte, é uma cidade bastante charmosa, e uma das mais baratas em relação às cidades mais turísticas como Dubrovnik, Split e Hvar.

 

10. Korčula

Na costa da Croácia encontramos uma pequena ilha pouco conhecida, mas que actualmente tem sido cada vez mais visitada. Lugar cercado por praias, geralmente de águas claras e transparentes e, surpresa das surpresas, local de nascimento de Marco Polo, um dos mais famosos navegadores e descobridores da antiguidade. Korcula fica entre a Itália e a Croácia no mapa, mas é uma ilha Croata, localizada no paradisíaco Como chegar a Korcula? As cidades mais próximas à ilha são Dubrovnick e Split, na Croácia. A partir dessas duas cidades pode viajar de ferry até à ilha.

Korčula
Korčula

Andar pelo Centro Histórico de Korcula faz com que você se sinta parte de um filme medieval. As casas, igrejas e palácios são feitos de pedra e os telhados são alaranjados, compondo um cenário digno de filme. Ainda na Old Town está localizada a Catedral de São Marcos, construída em estilo gótico-renascentista com pedras calcárias extraídas da ilha entre os séculos XV e XVI. Do lado de fora é possível notar a representação de Adão e Eva nus. No seu interior estão as obras Pietà, de Ivan Meštrović (renomeado escultor croata), e Anunciação, atribuída a Tintoretto (consagrado pintor italiano).

 

11. Vis

A remota Vis é bem fora de caminho e, apesar de suas vinhas, olivais e uma encantadora paisagem, está longe de ser a preferência nos roteiros turísticos mais conhecidos. No entanto, para quem curte gastronomia, Vis é perfeita. As tavernas (konobe) servem marisco local a preços excelentes, sua cozinha tem um sabor italiano e pratos como risotos e esparguetes como carro-chefe, e no quesito especialidades, skarpina (um peixe vermelho), salada de polvo e uma selecção de queijos e prust (presunto) fecham o sabor com chave de ouro.

Vis

Cercada por montanhas, Vis é conhecida mundialmente pela excelente gastronomia, com peixes e frutos do mar ultrafrescos, e também pela produção de vinhos Vugava (branco) e Plavac (vermelho). Viška luka, onde fica o porto de chegada dos ferries provenientes de Split, e Komiža, a oeste, são as duas cidades principais. Ambas são lindíssimas e merecem ser exploradas o máximo possível; além disso, oferecem excelente estrutura para turistas, como hotéis, apartamentos de temporada, restaurantes, bares e muito mais.

 

12. Caverna Azul de Bisevo

Uma das atracções naturais que mais recebem turistas na ilha de Vis, com certeza, é a Caverna Azul (Modra špilja), um lugar de beleza impressionante. O melhor horário de visita ao local é das 11h até o meio-dia, quando os raios de sol chegam à caverna por meio da água, que adquire um tom de azul fascinante e fica tão clara que é possível observar uma série de detalhes da fauna e da flora.

Caverna Azul de Bisevo
Caverna Azul de Bisevo

O turismo feito de forma inapropriada, no passado, obrigou as autoridades locais a regulamentarem a visitação à caverna. Hoje em dia, apenas barcos autorizados podem aceder à famosa atracção, cujo ingresso é pago na ilha de Biševo, de onde saem os barcos autorizados. Várias agências de turismo fazem o transporte de passageiros até à caverna, entre elas a Vis Special, na cidade de Vis, e a Alter Natura, em Komiža. Alguns passeios podem incluir, além da visita à caverna, algumas horas na praia de Stiniva e também na Caverna Verde. Você pode solicitar o orçamento antes mesmo de chegar à ilha; basta entrar em contacto com uma das empresas por e-mail.

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here