Início Cultura Cultura Portuguesa: o mais especial e único de Portugal

Cultura Portuguesa: o mais especial e único de Portugal

Que costumes, que tradições e que hábitos definem o povo português? Descubra os maiores símbolos e as características principais da cultura portuguesa.

709
1
cultura portuguesa
Igreja do Carmo

 

A cultura é tudo aquilo que define o carácter e a personalidade de um povo. A cultura portuguesa é rica e variada. Chega a ser impressionante como, num país tão pequeno, existe uma tão grande variedade manifestações culturais. A cultura portuguesa engloba várias vertentes e pode ir desde uma vertente mais popular (que inclui música, gastronomia, vinho, romarias, etc…) a uma parte mais erudita (onde se inclui o teatro, o cinema, a arte, a literatura…). Este artigo foca-se sobretudo na cultura popular portuguesa, ou seja, nas manifestações mais antigas e espontâneas do povo português. Desde o Vira do Minho aos azulejos da Estação de São Bento, desde os Pauliteiros de Miranda ao Cante Alentejano, desde o Bailinho da Madeira ao Corridinho Algarvio… estas são algumas das características da cultura portuguesa que tornam o nosso país único, especial e diferente de todos os outros.

 

1. Festas e Romarias

Portugal é um país repleto de tradições e são muitas as festas e romarias em todo o país. Aliás, tratando-se de um país de pequenas dimensões, é impressionante e até curiosa a enorme diversidade de festas que aqui se celebram. As mais importantes estão ligadas à religião cristã, como a Festa de Nossa Senhora dos Remédios, em Lamego, a Festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres, no Açores ou ainda os santos populares, nomeadamente o São João celebrado em Braga e no Porto e o Santo António celebrado em Lisboa.

Festas da Nossa Senhora da Agonia
Festas da Nossa Senhora da Agonia

Mas as festas e romarias portuguesas não são apenas de carácter religioso. Como exemplo, pode citar-se as Feiras Novas de Ponte de Lima, a Festa da Flor na Madeira ou as Festas do Barrete Verde em Alcochete. E depois há aquelas que, sendo originalmente dedicadas à religião, adquiriram uma dimensão muito superior e um objectivo mais variado, como a Feria de São Mateus em Viseu ou a Romaria da Nossa Senhora da Agonia em Viana do Castelo.

 

2. Danças tradicionais

A dança é uma expressão da música e da alma de um povo e são várias das danças típicas em Portugal. Apesar de existirem vários elementos comuns a todas estas danças, algumas conseguem ser completamente diferentes das outras, como é o caso dos Pauliteiros de Miranda, cuja origem remonta a uma antiga tradição celta que representava a luta entre tribos rivais. Com a excepção deste caso particular, os outros tipos de dança em Portugal possuem quase sempre o acordeão como instrumento musical comum o que não é de estranhar já que era o instrumento musical mais popular do país no final do século XIX.

Pauliteiros de Miranda

Outros elementos comuns são os trajes típicos. Embora possam ser muito diferentes de região para região, todas as danças são realizadas usando um traje típico masculino e um traje típico feminino. Como exemplos das danças mais típicas de Portugal, pode referir-se o Vira do Minho, o Bailinho da Madeira, o Corridinho do Algarve, o Fandango do Ribatejo, o Vira da Nazaré, a Chula do Douro, a Moda das Saias (comum a várias regiões do país), o Bailarico Saloio, A Farrapeira e a Tirana.

 

3. Vinho

Portugal é um país produtor de vinho há mais de 2 mil anos desde que os romanos aqui chegaram e consigo trouxeram técnicas e ensinamentos. Um dos grandes pontos a favor da indústria vinícola portuguesa é a sua enorme variedade de castas de uvas. Em nenhum outro país da Europa existem tantas castas que podem originar grandes vinhos. Em Portugal existe ainda a Região Demarcada mais antiga do mundo, no Douro, criada para assegurar a qualidade do internacionalmente famoso vinho do Porto (que, na realidade, é produzido nos socalcos do Rio Douro, na zona de Peso da Régua).

Vinho

Até há algumas décadas atrás, o país era famoso sobretudo pelo Vinho do Porto e pelo Vinho da Madeira mas nos últimos anos os vinhos portugueses têm conquistado medalhas e prémios internacionais de relevo e hoje em dia muita da produção é exportada. O país possui inúmeras regiões onde é possível produzir bons vinhos, com destaque para o Douro, o Dão, o Alentejo, a Bairrada e a península de Setúbal. Merecem ainda destaque os vinhos brancos, produzidos um pouco por todo o país, e também o vinho verde, produzido essencialmente no Minho, do qual o Alvarinho é o seu máximo representante.

 

4. Gastronomia

A gastronomia portuguesa é riquíssima e, sobretudo, muito variada, existindo uma enorme variedade de pratos típicos nas diversas regiões do país. A gastronomia portuguesa está intimamente ligada aos produtos típicos do clima onde Portugal se insere mas, dadas as peculiaridades da história de Portugal, acaba por ter algumas diferenças acentuadas em relação a países vizinhos. Portugal está, em termos de gastronomia, dividido entre a zona do Mediterrâneo e a zona do Atlântico. Tal facto contribui para que a nossa cozinha seja uma mistura de influências mediterrânicas mas também de influências orientais (por causa das especiarias trazidas durante a época dos descobrimentos) e de influências marítimas (por causa da extensa costa oceânica que o país possui).

Polvo à Lagareiro
Polvo à Lagareiro

Um facto curioso é o pormenor de o produto gastronómico português mais famoso ser o bacalhau, um peixe que nem sequer existe nas nossas costas e que é pescado a mais de 4 mil quilómetros de distância. De resto, na gastronomia portuguesa abunda o peixe, sobretudo no litoral, e a carne, sobretudo no interior, graças à elevada qualidade do gado bovino, ovino e suíno que existe no nosso país. São ainda muito comuns os vegetais e os grãos de vários tipos. Sopas e fumeiro são outra parte fundamental da dieta de qualquer português.

 

5. Doçaria Conventual

O mais famoso doce típico português é, sem sombra de dúvidas, o pastel de Belém (ou a sua imitação, menos perfeita mas igualmente deliciosa, o pastel de nata). No entanto, a variedade de doces típicos é enorme e pode mesmo dizer-se que cada pequena vila ou cidade do país possui o seu próprio doce. O pastel de Tentúgal, o pastel de Vouzela, as queijadas e os travesseiros de Sintra, as clarinhas de Esposende, o pão de Ló de Ovar, os ovos moles de Aveiro… os exemplos são incontáveis (e todos deliciosos). A apetência dos portugueses pelas coisas doces é conhecida, assim como conhecida é também a sua arte para trabalhar os ingredientes e elaborar autênticas delícias.

melhores doces típicos de Portugal
pastéis de Belém

Mas afinal, de onde vem tanta variedade de doces típicos? A resposta, na maioria dos casos, é dos antigos conventos de freiras. As freiras possuíam os ingredientes, o tempo e a criatividade necessárias para criar novas receitas. E não apenas isso: possuíam também enormes quantidades de gemas de ovo (as claras do ovo eram utilizadas para tratar da sua roupa) e por isso sentiam a necessidade de descobrir uma actividade em que pudessem usar essas mesmas gemas. E assim surgiram tantos doces diferentes nos mais variados locais em todo o país.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here