Início Viagens Os 12 melhores percursos pedestres para descobrir Sintra

Os 12 melhores percursos pedestres para descobrir Sintra

Os trilhos são uma das melhores formas de descobrir a Serra de Sintra. Descubra os melhores percursos pedestres para fazer em Sintra.

3962
0
sintra
Castelo dos Mouros

A belíssima vila de Sintra tem algo de especial, sem dúvida. Conhecer e descobrir Sintra são duas coisas completamente diferentes. Para descobrir esta que é uma das mais bonitas vilas de Portugal, é preciso aventurar-se, com tempo e calma, pelas suas ruas e pelos seus arredores. Uma das melhores formas de o fazer é realizando percursos pedestres.

Serra de Sintra
Serra de Sintra

Existem diversos trilhos para descobrir Sintra e os seus palácios e, geralmente, são de dificuldade fácil a moderada. Além de poder descobrir pequenos segredos e pérolas pouco conhecidas da vila, é também possível realizar vários percursos pedestres na Serra de Sintra. O Parque Natural Sintra Cascais possui diversos trilhos pedestres que o convidam a conhecer a natureza do local, os seus monumentos, as suas praias e a sua história.

Serra de Sintra
Serra de Sintra

Como não poderia deixar de ser, lembre-se que, embora estes trilhos sejam de dificuldade fácil a moderada, é necessário precaver-se para os riscos inerentes a esta actividade: leve roupa confortável, não se desvie dos locais assinalados, evite demasiada exposição solar e beba muita água. Pode optar por trilhos na Serra de Sintra ou pode optar por percursos pedestres dentro da vila e, em qualquer um dos casos, pode ter a certeza que irá finalmente descobrir Sintra em todo o seu esplendor.

 

Pequena Rota 1 – Santa Maria

Fonte da Sabuga
Fonte da Sabuga

Tipo de percurso: Circular com cerca de 1,9 Km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Fonte da Sabuga, Igreja Stª Maria, Parque Liberdade

Dificuldade: Baixa, desnível pouco acentuado

Local de Saída: Palácio Nacional da Vila – acesso GPS: 38.797126, -9.390674

Este percurso tem início no largo Rainha Dª Amélia (centro histórico), junto ao Palácio Nacional de Sintra. É um percurso curto, de fácil execução onde se pretende dar a conhecer um pouco deste centro histórico da Vila de Sintra, tendo como objectivo principal a passagem pela Igreja de Stª Maria.

 

Pequena Rota 2/3 – Pena e Mouros

mouros
Castelo dos Mouros

Tipo de percurso: Circular com cerca de 4.5 Km (Folheto do Percurso 2 e Folheto do Percurso 3)

Pontos de Passagem: Fonte da Sabuga, Igreja Stª Maria, S. Pedro de Penaferrim, Castelo dos Mouros, Palácio da Pena e Parque da Liberdade

Local de Saída: Palácio Nacional da Vila – GPS: N38 47’49’’ W9 23’26’

Este percurso tem início no largo Rainha Dª Amélia (centro histórico), junto ao Palácio Nacional de Sintra seguindo pela Praça da Republica na direcção do Posto de Turismo. É uma fusão de dois percursos anteriores (Pena e Castelo) que pretende, a partir do centro histórico, alcançar estes dois monumentos.

 

Pequena Rota 4 – Seteais

Palácio de Seteais
Palácio de Seteais

Tipo de percurso: Circular com cerca de 3,5 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Torre do Relógio, Igreja de São Martinho, Quinta da Regaleira, Hotel Palácio de Seteais, Rampa da Pena, Fonte da Pipa

Local de Saída: Palácio Nacional da Vila – GPS: N38 47’49’’ W9 23’26’

Este percurso tem início no largo Rainha Dª Amélia (centro histórico), junto ao Palácio Nacional de Sintra. Apesar de não ser muito extenso é um percurso que apresenta um declive acentuado. Tem como objectivo principal percorrer o centro histórico e possibilitar a passagem pelo Palácio de Seteais.

 

Pequena Rota 5 – Quintas

Quinta da Regaleira
Quinta da Regaleira Foto: Roy Roos

Tipo de percurso: Circular com cerca de 2,3 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Torre do Relógio; Igreja de São Martinho; Quinta da Regaleira; Quinta do Relógio; Quinta do Castanheiro; Quinta dos Alfinetes; Quinta D. Amélia; Quinta dos Castanhais;

Local de Saída: Palácio Nacional da Vila – GPS: N38 47’49’’ W9 23’26’

Este é um percurso curto que pretende possibilitar a passagem pelas Quintas mais emblemáticas do Centro Histórico e tem saída no Largo do Palácio Nacional de Sintra (Largo Rainha Dª Amélia). O início deste percurso é semelhante ao PR4, separando-se apenas em frente à Quinta da Regaleira, onde segue o trajecto pelo lado direito, passando em frente da Quinta do Relógio.

 

Pequena Rota 6 – Rio da Mula

Convento dos Capuchos
Convento dos Capuchos

Tipo de percurso: Circular com cerca de 11,3 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Barragem Rio da Mula, Convento dos Capuchos, Memorial dos Soldados; Pedra Amarela

Local de Saída: Barragem Rio da Mula – GPS: N38 45’51’’ W9 25’17’’

Com início na Barragem do Rio da Mula, este percurso tem uma primeira fase ascendente, calcorreando a vertente sul da serra num ambiente de floresta. Tratando-se de um percurso em ambiente de montanha, poderá encontrar um piso variado e mais instável, principalmente no inverno, sendo rodeado de vegetação extensa e exuberante, exótica e inclusivamente com espécies de flora anterior às glaciações. Pelo micro-clima e ambiente característico da serra estas espécies ainda encontram condições para sobreviver mesmo no meio de espécies invasoras como a Acácia.

 

Pequena Rota 7 – Cabo da Roca

Cabo da Roca
Cabo da Roca

Tipo de percurso: Circular com cerca de 13,2 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Ulgueira, Praia da Adraga, Praia Grande do Rodízio – pegadas de dinossauros e Almoçageme.

Local de Saída: Cabo da Roca – GPS: N38 46’52’’ W9 29’49’’

O Cabo da Roca “Onde a terra se acaba e o mar começa” (in Os Lusíadas, Canto III) é considerado o ponto mais ocidental do continente europeu. É neste local que se inicia este percurso, visando essencialmente percorrer parte do esplendoroso litoral de Sintra. Com caminhos junto ao mar é possível apreciar o rico estrato vegetal e endémico existente sobre as falésias.

 

Pequena Rota 8 – Vinho de Colares

Colares
Colares

Tipo de percurso: Circular com cerca de 15,5 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: Adega Regional de Colares, Pinhal da Nazaré, Vinhas do Vinho Ramisco; Fontanelas e Janas

Local de Saída: Adega Regional de Colares – GPS: N38 46’52’’ W9 29’49’’

Este percurso tem início, em “terra saloia”, junto à Adega Regional de Colares. Com um traçado praticamente plano desdobrando-se entre zona de pinhal e costa atlântica, evolui para Norte da Adega regional, alcançando no seu ponto mais longínquo a localidade de Fontanelas e Gouveia (aldeia em verso) e tem a faculdade de dar a conhecer uma zona de Sintra com todas as suas características peculiares. A zona Saloia.

 

Pequena Rota 9 – Rota das Aldeias

Assafora
Assafora

Tipo de percurso: Circular com cerca de 13,5 km (Folheto do Percurso)

Pontos de Passagem: S. João das Lampas, Ponte Romana, Assafora e Catribana.

Local de Saída: Adega Regional de Colares – GPS: N38 52’28’’ W9 23’52’’

O percurso, com início e fim no largo do Coreto de S. João das Lampas, percorre a zona agrícola em Sintra. Ao longo deste belo percurso podemos observar um mosaico de pastagens, pequenas parcelas separadas por muros de “pedra seca” e sebes, pontuados por pinhal. É de fato a região que mais cariz tem de “terra saloia” onde são observados ainda os ancestrais costumes destas povoações. Caminhos rurais, ladeados de pedra solta, riachos e fontanários são algumas das curiosidades que aqui podemos encontrar sendo muitos destes caminhos usados antigamente para as viagens a pé e de veículos de tracção animal entre localidades para feiras e mercados de modo a fazer venda de produtos hortícolas.

 

Pequena Rota 10 – Peninha

Peninha
Peninha

Extensão: 5,9 km (Folheto do Percurso)

Local de Saída: Largo da Peninha

Pontos de Passagem: Ermida da Nossa Senhora da Peninha, Ermida de São Saturnino, Adrenunes, Pedras Irmãs
GPS: N38 46’08’’ W9 27’33’’

O percurso inicia-se no terreiro de estacionamento que dá acesso à Peninha. Sendo um percurso inserido na Serra de Sintra, dá a conhecer uma zona moldada pelos ventos e pela utilização agro pastoril ancestral. Podemos apreciar uma vastíssima paisagem do litoral, desde o Cabo Espichel até às Berlengas. É possível visitar Adrenunes, onde a disposição dos penedos lembra um monumento megalítico de tipo anta.

 

Pequena Rota 11 – Capuchos

Convento dos Capuchos
Convento dos Capuchos

Extensão: 4,9 km (Folheto do Percurso)

Local de Saída: Largo dos Capuchos GPS: N38 46’58’’ W9 26’08’’

Pontos de Passagem: Convento dos Capuchos, Memorial dos Soldados, Tholos do Monge e Pedra Amarela.

O percurso inicia-se no Convento dos Capuchos sendo uma das mais emblemáticas e singulares construções religiosas da região, fundada em 1560, para frades da Ordem de S. Francisco de Assis, caracterizados por viverem em estreita relação com a natureza. É um traçado que percorre essencialmente o topo da serra de Sintra entre a Cruz Alta e a Peninha. De ambiente acolhedor e envolvente na Natureza, este percurso faz a delícia de qualquer caminheiro. São pontos de passagem os miradouros e lugares de destaque como seja o monumento erigido à memória dos soldados que perderam a vida no combate ao grande incêndio de 1966 e ao Tholos do Monge, uma sepultura colectiva pré-histórica (2500/1500 a.C.), reutilizada na Idade do Bronze (1800/800 a.C.).

 

Pequena Rota 12 – Monge

Convento dos Capuchos
Convento dos Capuchos

Extensão: 4.5 km (Folheto do Percurso)

Local de Saída: Largo do Convento de Santa Cruz dos Capuchos.

Pontos de Passagem: Convento dos Capuchos. Memória dos Soldados. “Tholos” do Monge.

O percurso desenvolve-se na serra de Sintra em território classificado como Parque Natural, como Património Mundial da Humanidade, categoria Paisagem Cultural e integrado no Sítio Sintra-Cascais, no âmbito da Rede Natura 2000. Passa por locais com importância histórica como o convento de Santa Cruz dos Capuchos ou arqueológica como o Tholos do Monge. Este é uma sepultura colectiva construída no período Calcolítico (2500/1500 a. C.) e reutilizado na Idade do Bronze (1800/800 a. C.). A sepultura, orientada a norte, aproveita uma depressão natural do granito.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here