Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Arraiolos e arredores

Os 12 melhores locais para visitar em Arraiolos e arredores

É uma das mais bonitas vilas do Alentejo e um autêntico tesouro por descobrir. Estes são os melhores locais para visitar em Arraiolos e arredores.

932
0
Arraiolos
Arraiolos

Vila bem Alentejana, sede de concelho, situada no distrito de Évora, Arraiolos é conhecida mormente pelos seus típicos bordados que vão passando de geração em geração. A paisagem da região, tipicamente alentejana, é um dos maiores bem patrimoniais de Arraiolos, tendo-se do Castelo da Vila um panorama extraordinário sobre o bonito casario branco e toda a natureza circundante. Aqui encontra-se igualmente a enorme Igreja do Salvador, uma interessante construção do século XVI, rodeada pelas muralhas. Na Vila, a Igreja da Misericórdia, e a fonte rural Chafariz dos Almocreves, são importantes legados patrimoniais, inseridos no centro histórico que foi alvo recentemente de obras de reconstrução e preservação.

Arraiolos
Arraiolos

Mas falar de Arraiolos é falar dos seus bordados tradicionais que levam o nome desta Vila mais além. Embora não existam certezas, estudos confirmam que a produção destes “tapetes de Arraiolos” arte que terá começado com os Mouros, no século XII, foi muito desenvolvida nos moldes que conhecemos hoje em dia no século XV, e atingiu o seu máximo esplendor com os motivos florais do século XVIII. Estes são os melhores locais para visitar em Arraiolos e arredores.

 

1. Castelo de Arraiolos

O Castelo de Arraiolos ou Paço dos Alcaides, fica localizada como o próprio nome indica na freguesia e concelho de Arraiolos, uma localidade que pertence ao distrito de Évora. Pelos relatos históricos e também pelos achados arqueológicos sabe-se que a primeira ocupação do Monte de São Pedro teve lugar há muitos e muitos anos atrás. A ideia de fortificar aquele monte remonta ao reinado de D Afonso II quando este fez uma doação da herdade de Arraiolos a D. Soeiro, o então bispo de Évora, com a condição de que aí fosse erguido um castelo.

Arraiolos
Arraiolos – Bruno Cruz

Mais tarde o castelo foi oferecido ao abandono justificando-se para tal o fato de este local ser muito ventoso e frio e um local onde não se vivia de forma confortável. Embora fossem dadas condições peculiares aos que ali habitavam elas não eram suficientes e o despovoamento do castelo foi inevitável. Foi aquando do reinado de D. João IV que o muro da povoação bem como o castelo sofreram obras de remodelação, mas pouco mais tarde o castelo já se encontrava novamente em ruínas. Em 1833 as vítimas de um surto de cólera foram imensas e o seu pátio foi eleito como local para as enterrar. No século XX este castelo foi classificado como sendo Monumento Nacional e restaurado assim como as suas muralhas.

 

2. Convento dos Loios

Situado nos arredores da vila alentejana de Arraiolos, no denominado Vale das Flores, o Convento dos Loios pertenceu à Ordem de S. João Evangelista (dos Padres Loios) e foi fundado no ano de 1527. Após a extinção das ordens religiosas, o cenóbio e as suas propriedades foram vendidas a particulares, embora o estado português o tenha readquirido e convertido parte das suas dependências em pousada nacional. Este convento foi classificado em 1974 como Imóvel de Interesse Público.

Convento dos Loios
Convento dos Loios

Este mosteiro do século XVI apresenta um caldeamento de diferentes tendências artísticas, desde o gótico final da época manuelina, passando pelo classicismo renascentista, até à exuberância da linguagem barroca, fruto das diversas campanhas de obras ao longo dos séculos. Dentro de todas as interessantes dependências conventuais dos Loios, o seu claustro clássico é aquele que ganha maior destaque. Concluído em 1575, o claustro está dividido em dois pisos, o primeiro constituído por arcos de volta perfeita sobre colunas tocanas, reforçados por poderosos contrafortes e decorados por silhares de azulejos geométricos azuis e brancos. A galeria superior apresenta balcão simples aberto e ritmado por colunelos. O pátio é frondoso e tem uma fonte central em mármore.

 

3. Igreja da Misericórdia de Arraiolos

Com a fundação da Instituição da Misericórdia em 1524, depressa esta começou a ganhar importância na vila com a passagem do hospital para os seus domínios, sendo anexado a este edifício uma capela, no ano seguinte. Contudo só na segunda metade desta centúria é que foi possível iniciar a edificação da igreja, que se ergue no pequeno largo Capitão José Cravidão. Largo este que era o mais próximo da Praça do Município, centro do poder e das decisões.

Igreja da Misericórdia de Arraiolos
Igreja da Misericórdia de Arraiolos

Iniciada entre 1585-1586, a construção teve uma celeridade com o interesse de D. Teodósio II, Duque de Bragança, ao disponibilizar artistas que para ele trabalhavam. Em 1598 a construção exterior já estava pronta, uma vez que o templo já estava em condições de receber o forro da carpintaria. As campanhas do interior acabaram em 1602-1603 quando finalizaram o retábulo da capela-mor, igualmente com a construção da igreja. Entretanto no séc. XVIII visaram várias intervenções no âmbito de actualizar o interior e introduzir a nova linguagem artística barroca, com a aplicação da talha dourada e a introdução do azulejo. Deste período consta também o cadeiral dos mesários existente na nave no lado da Epístola. A nível exterior, teve os trabalhos de estuque da fachada e ao seu remate.

 

4. Centro Histórico de Arraiolos

Uma vila pequena em que o centro histórico se confunde com a própria localidade, estas fotos são com certeza as dos locais mais centrais deste povoado. Sob as linhas predominantes da conjugação do branco com o azul, pertence a uma parte que só está disponível para os peões. Estes podem usufruir tranquilamente das suas lojas de tapetes que, porta sim, porta sim, mostram o cardápio de tapetes de todos os tamanhos, feitios e cores, usando unicamente o mesmo tipo de ponto.

Arraiolos
Arraiolos

Todo este pequeno percurso é feito sob panos a imitar toldos, que se ligam às casas, convidando o visitante a percorrer as ruas dando a indicação de que Arraiolos se situa na zona mais quente de Portugal, que por vezes atinge os cinquenta graus. E assim, no seu devagar e à sombrinha, vai ter à principal praça da vila, a do Município, onde finalmente pode refrescar-se na esplanada do café, com os Paços do Concelho em frente e à sua direita pode observar o Centro Interpretativo dos Tapetes de Arraiolos. Mais à direita vê a associação dos fabricantes destes mesmos tapetes, com a presença do Pelourinho mesmo à frente deste edifício.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here