Início Viagens Roteiro pela Serra da Estrela: o que ver, o que fazer, onde...

Roteiro pela Serra da Estrela: o que ver, o que fazer, onde comer e onde dormir

A Serra da Estrela proporciona, aos amantes da natureza, alguns dos melhores segredos e belezas naturais portuguesas. Descubra o melhor desta região.

9063
3
Serra da Estrela
Serra da Estrela

Aqui encontra-se a paz, a beleza natural e o silêncio das montanhas. Este destino montanhoso, para além de ser a maior serra de Portugal e um dos melhores destinos portugueses, é também um dos Geoparques com o título de Património Mundial da UNESCO. Localiza-se na região centro de Portugal e é um destino de referência para uma grande parte dos portugueses e turistas, nas épocas mais frias devido às famosas quedas de neve. Porém, a Serra não se resume apenas a isto. Descubra o que ver e o que fazer na Serra da Estrela.

 

1. Locais a visitar

Há certos locais nesta região que são alguns dos vários encantos naturais de Portugal. Com isto, considera-se imprescindível a passagem por estes pontos quando se visita a Serra da Estrela.

Sendo um dos locais mais simbólicos da região, Covão d’Ametade retrata uma depressão de origem glaciar e devido a toda a sua vegetação envolvente, esta é uma das zonas mais atrativas da Serra.

Os amantes de natureza são os primeiros a apaixonarem-se, pois este é o sítio ideal para encontrar alguns momentos de paz, calma e tranquilidade no meio da natureza.

Vale do Rossim
Vale do Rossim

Em pleno coração da Serra, mais precisamente em Penhas Douradas, pode-se deparar com o maior vale glaciar da Europa: o Vale do Rossim. Está inserido na Reserva Biogenética do Parque Natural da Serra da Estrela e no Verão, recebe vários turistas para usufruírem da praia fluvial na lagoa. É um local com beleza única que permite a realização de várias atividades como o rappel, a canoagem e os passeios pedestres.

A Torre é o ponto com maior altitude, não só da Serra da Estrela como também de Portugal Continental. É um local atrativo graças aos lençóis de neve formados no Inverno que permitem diversas práticas de desporto, enquanto no Verão é possível aproveitar uma vista até ao mar da Figueira da Foz.

Torre
Torre

O Covão dos Conchos é um cenário único de filme. Trata-se de uma abertura circular com queda de água numa lagoa, na Serra. Apesar de parecer natural, foram as mãos do Homem que fizeram este encanto que na verdade, serve para conduzir as águas da Ribeira das Naves para a Lagoa Comprida.

Situa-se na Ribeira de Leandres e é um ponto alto com 1100 metros. O Poço do Inferno é um dos ex-libris da Serra e é rodeado pela mãe-natureza que é a causa de toda aquela beleza paisagística. A linha de água da cascata mantém contacto com o granito das rochas e, no Inverno, são várias as vezes que a água congela e isso cria (ainda mais) encantos a este paraíso natural com 10 metros de altura.

Poço do Inferno
Poço do Inferno

Graças a toda a sua cadeia montanhosa, a Serra da Estrela é um destino onde são existentes diversas aldeias e terras pequenas.

Devido à sua paisagem, esta é apelidada de “Suíça Portuguesa”. Trata-se da pequena e elogiada terra Loriga, que é rodeada por montanhas que se encontram entre dois cursos de águas, proporcionando um cenário acolhedor e de tranquilidade a todos que por ali passam e vivem.

Praia fluvial de Loriga
Praia fluvial de Loriga

A aldeia de Cabeça encontra-se em plena Serra da Estrela e apesar de ser bonita durante todo o ano, é ainda mais bonita na época do Natal. Visitar esta terra é visitar um lugar encantador onde os habitantes recebem cada pessoa de forma calorosa nas suas casas de xisto.

 

2. Ver a neve

A verdade é que a Serra da Estrela não se resume apenas a quedas de neve, porém é um dos momentos únicos que se pode experienciar nesta região.

Gouveia é uma cidade serrana no centro do país onde se pode aproveitar para observar a precipitação de neve sobre o Vale do Mondego. Esta é uma vista panorâmica com 700 metros de altitude que tem, como património, a grande variedade de natureza.

Gouveia
Gouveia

Considerada a região mais fria de Portugal: as Penhas Douradas. Com 1500 metros de altitude, este é um belo sítio para observar a neve a cair, não só sobre a aldeia de Manteigas, com também sobre o Vale Glaciar do famoso Rio Zêzere.

Sendo uma das melhores áreas de lazer da Serra, o Vale do Rossim é um bom sítio para se maravilhar com a vista sobre a água translúcida do lago artificial e com as formações rochosas cobertas de branco em pleno Inverno.

 

3. Roteiros de carro

Sendo um local repleto de Natureza, a Serra proporciona várias experiências de roteiros consoante o gosto de cada pessoa. Estes roteiros variam entre os diversos trilhos existentes, os encantos das pequenas aldeias e a beleza de todas as paisagens naturais. Podem ser feitos e conhecidos em qualquer altura do ano – no Verão com o tempo quente e de sol ou no Inverno com o tempo mais frio e com quedas de neve – a escolha cabe apenas a cada pessoa.

Um dos roteiros que permite conhecer alguns pontos com uma beleza incomparável tem início na Covilhã e termina em Gouveia. De modo a conseguir fazer o roteiro completo, o melhor é começar cedo e aproveitar todos os cenários e paisagens de manhã à noite.

Este roteiro inicia na estrada nacional 339 em direção a um dos sítios mais emblemáticos da Serra: Covão d’Ametade. Durante o caminho pode parar para deslumbrar-se com a beleza do Lago do Viriato.

Covão d’Ametade
Covão d’Ametade

Quando chegar a Covão d’Ametade não deixe de reparar na beleza cristalina dos cursos de água do Rio Zêzere. Este covão encontra-se junto ao maciço central da Serra da Estrela, ou seja, no Vale Glaciar do Zêzere e encontra-se rodeado pelo Cântaro Raso, pelo Cântaro Gordo e por fim, pelo Cântaro Magro. Se estiver num espírito mais aventureiro ou até mesmo de adrenalina, não hesite em subir, com segurança, a estes mesmos Cântaros onde consegue avistar uma bela paisagem.

Depois do Covão d’Ametade visitado e de toda a paisagem explorada, volte à estrada e siga rumo até ao ponto mais alto deste roteiro: a Torre. Esta, no Inverno, é conhecida pela quantidade enorme de neve por isso, aqui é possível praticar alguns desportos apropriados às condições. Porém, mesmo sem neve, não deixe de visitar este ponto que atinge o máximo de 1993 metros de altitude e que proporciona vistas incríveis.

De volta à estrada, parta até à Lagoa Comprida onde poderá surpreender-se com o Covão dos Conchos. Trata-se de um local misterioso que parece ter sido retirado de um autêntico filme, mas é bem real.

Covão dos Conchos
Covão dos Conchos

Rumo a Sabugueiro! Este é um dos pontos obrigatórios em qualquer roteiro na Serra da Estrela, sendo-lhe atribuído o título da aldeia mais alta de Portugal, situando-se a 1200 metros de altitude. Nesta aldeia, deixe-se maravilhar pelas tradições e pelos cenários naturais envolventes e aqui, pode experimentar o famoso queijo da Serra.

Terminando o roteiro e de volta à estrada, parta até Gouveia. Pelo caminho poderá observar a “Cabeça do Velho” que se trata do conjunto de formações rochosas parecidas com cabeças humanas.

Num âmbito mais histórico e cultural, termine este roteiro em Gouveia, visitando assim a Igreja de São Pedro, o Convento de São Francisco, o Castelo de Folgosinho e a Barragem do Vale do Rossim.

 

4. Trilhos Pedestres

Conhecer, explorar e deslumbrar-se é o objetivo de qualquer viagem, seja por fora como por dentro do nosso pequeno e belo país. Na Serra da Estrela, é possível realizar diversos trilhos para conhecer a beleza natural deste sítio e em baixo, serão mencionados algumas destas rotas.

ROTA DO POÇO DO INFERNO: Carateriza-se por ser um trilho circular com uma extensão de 2,5 km, tendo uma dificuldade mediana. É no parque de estacionamento do poço que se dá início à caminhada que é marcada pela quantidade de vegetação à volta. A cascata é o ponto mais atrativo desta rota, uma vez que até é apelidada de “monumento natural”. Porém, a beleza não fica só pela cascata. Aqueles que se aventuram a fazer esta rota, conseguem desfrutar da bela paisagem sobre o Vale do Rio Zêzere e o Vale da Ribeira de Leandres.

Poço do Inferno
Poço do Inferno

ROTA DO GLACIAR: É um trilho linear de dificuldade média que conta com 17,2 km de extensão. Ao longo deste percurso, é quase impossível ficar indiferente à paisagem presente do Vale Glaciar do Zêzere com toda a vegetação que o rodeia. No final do vale, é possível avistar o conjunto de casas típicas pertencentes à Vila de Manteigas e também os pastos e os rebanhos de ovelhas.

ROTA DA AZINHA: É uma rota circular e tem uma dificuldade média com uma extensão de 18,4 km. Esta rota inicia-se no Skiparque, junto à ponte de madeira. Ao longo do percurso, são existentes marcas paisagísticas feitas pelo Homem como é o caso dos campos agrícolas. Toda esta rota, para além de incluir o deslumbramento de toda a paisagem que serve de habitat a diversas espécies, inclui também uma visita a uma antiga casa do guarda florestal.

Covão d'Ametade
Covão d’Ametade

ROTA DO MACIÇO CENTRAL: É uma rota circular difícil que conta com extensões derivadas que vão entre 10 km e 19,6 km. Inicia-se junto ao cruzamento da estrada nacional para a Torre. Aqueles que seguem esta rota são constantemente surpreendidos por todas as maravilhas e pontos emblemáticos que encontram a meio do caminho, como os Cântaros, a Ribeira, as Salgadeiras, entre outros.

 

5. Para comer e dormir

Se for para ficar uns dias neste paraíso chamado Serra da Estrela, é importante experimentar algumas comidas típicas e aproveitar alguns dos alojamentos mais cómodos da região.

O “Abrigo da Montanha” é um hotel e restaurante no Sabugueiro. Aqui pode-se experimentar alguns dos pratos típicos como o arroz de carquejo e enchidos, o cabrito assado, o bacalhau com pão, entre outros. Este local tem no seu nome apalavra “Abrigo” e isto não foi escolhido de forma aleatória, pois a personalidade deste hotel é oferecer o máximo de conforto aos clientes.

O “Madre de Água” é um hotel onde poderá conciliar uma noite de sossego e conforto com a experimentação do melhor da gastronomia local. Encontra-se em Vinhó – Gouveia e está aberto a hóspedes e a outros. Esta quinta rural proporciona-lhe mais experiências para além destas mencionadas, como a de passear com animais da quinta.

Intimista, moderno, confortável, intemporal, saboroso e acolhedor. É assim o restaurante e hotel “Puralã”, localizado à entrada da Covilhã. Da cozinha sai queijo de cabra gratinado com cantarelos, pastel de molho da Covilhã com caldo aromático de rabo de boi e açafrão, entre outros pratos típicos.

pastel de molho da Covilhã
pastel de molho da Covilhã

“Berne”, é este o restaurante e hotel situado em pleno coração da Serra da Estrela na pequena vila de Manteigas. Com este hotel, é oferecido um ambiente calmo e acolhedor com vistas panorâmicas para a serra e no restaurante, são oferecidos pratos portugueses e internacionais.

Isto é uma grande parte do que a Serra da Estrela pode oferecer, seja qual for a altura do ano. Para contrariar a ideia habitual, a Serra não se resume apenas a neve, pois tem muito mais para além disso. Parta à descoberta do grande paraíso natural que se encontra na região centro de Portugal.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here