Início Viagens 14 fantásticos locais para ver no Gerês

14 fantásticos locais para ver no Gerês

São 14 locais de sonho para visitar no Gerês, seja para se deslumbrar com a sua imponente natureza ou para deambular pelas suas pitorescas aldeias.

107047
3
Vilar de Veiga - Gerês

Trata-se de uma das mais belas regiões do país e também uma das melhores preservadas. Deslumbra pela sua beleza, pelas paisagens, rios, cascatas e aldeias preservadas. O Parque Nacional Peneda-Gerês compreende 4 serras (Gerês, Peneda, Soajo e Amarela) mas toda a gente o denomina apenas por “Gerês”. Nesta deslumbrante região, a vida parou no tempo e ainda é possível deslumbrar vestígios de antigas tradições seculares, como a prática da transumância, que consiste no transporte dos rebanhos para o alto das serras durante o Verão para locais designados por brandas. Descubra 14 locais de sonho para visitar no Gerês.

 

1. Castro Laboreiro

Castro Laboreiro
Castro Laboreiro

Castro Laboreiro é uma aldeia muito conhecida pelas ruínas do castelo do século XVI, construído em 1505 sobre as fundações de um castelo mouro do século XII, pontes e igrejas medievais, fornos comunitários, moinhos e estilo de vida dos habitantes. A aldeia possui ainda um milenar e riquíssimo legado histórico, arqueológico e arquitectónico, designadamente os monumentos megalíticos, o Castelo de Castro Laboreiro – classificado como monumento nacional -, as pontes e igrejas medievais, os fornos comunitários, os moinhos, a actividade agro-pastoril e as singulares brandas, inverneiras e lugares fixos, testemunhos, também aqui, da prática da transumância.

 

2. Nossa Senhora da Peneda

Nossa Senhora da Peneda
Nossa Senhora da Peneda

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda, em Arcos de Valdevez, na freguesia de Gavieira, a caminho da vila de Melgaço, tem como data provável de inicio da sua construção, finais do século XVIII, a julgar pela data inscrita na coluna existente ao cimo da escadaria de acesso. Acredita-se que neste local tenha existido uma pequena ermida construída para lembrar a aparição da Senhora da Peneda, cujo culto foi crescendo e motivou a construção do santuário.

 

3. Soajo

Soajo - António Gomes
Soajo – António Gomes

O Soajo, uma das mais típicas aldeias portuguesas, pertence ao concelho de Arcos de Valdevez e situa-se numa das vertentes da serra da Peneda, inserida no Parque Nacional da Peneda-Gerês. A aldeia foi vila e sede de concelho entre 1514 e meados do século XIX mas, a sua história, começa muito antes, como o comprovam o Santuário Rupestre do Gião, na serra do Soajo, e as inúmeras antas e mamoas que existem nesta zona.

 

4. Cascata do Arado

Cascata do Arado - Carina Gomes
Cascata do Arado – Carina Gomes

Situada em pleno coração do espantoso Parque Nacional da Peneda-Gerês, a Cascata do Arado é uma das mais famosas quedas de água do Parque, que fascina quem contempla esta maravilha da natureza.

O curso de água do rio Arado origina locais de grande beleza, como é o caso da cascata, que nos meses de verão, sobretudo aos fins de semana, é muito frequentada por quem pretende um banho refrescante. A Cascata do Arado está situada a uma altitude de cerca de 900 metros, criando uma sucessão de cascatas únicas, onde a água pura da montanha encara a dura rocha, plena de beleza.

 

5. Lindoso

Lindoso - Rui Videira
Lindoso – Rui Videira

Lindoso é uma aldeia (1.300 habitantes) de agricultores e pastores. Esta aldeia é conhecida pelo seu castelo de 1278 e pelos seus espigueiros que estranhamente se assemelham a mausoléus, mas com função bem diferente. Estes espigueiros de granito, pousados sobre palafitas e ventilados através das aberturas laterais, proporcionam a secagem e o armazenamento do milho.

 

6. Mata da Albergaria

Mata da Albergaria
Mata da Albergaria

Situada entre as Caldas do Gerês e a Portela do Homem, esta reserva botânica alberga um importante carvalhal em estado natural, pelo que, embora possa ser percorrida a pé, está sujeita a medidas especiais de protecção. O caminho que atravessa a mata e acompanha a via romana estende-se ao longo da margem esquerda da albufeira de Vilarinho das Furnas, terminando em Campo do Gerês. Além do seu valor ecológico, possui importante valor histórico, pois são visíveis neste local restos de uma Geira Romana, com os seus marcos miliários.

 

7. Pitões das Júnias

Pitões das Júnias
Pitões das Júnias

Pitões das Júnias é uma aldeia situada dentro do Parque Nacional Peneda-Gerês, na região de Barroso, Trás-os-Montes. Faz parte do Concelho de Montalegre, Distrito de Vila Real. A sua origem confunde-se com a do Mosteiro de Santa Maria das Júnias, entre os séculos IX e XI.

 

8. Ponte da Mizarela

Ponte da Mizarela
Ponte da Mizarela

A Ponte da Mizarela (ponte do diabo) localiza-se sobre o rio Rabagão, a cerca de um quilómetro da sua foz no rio Cávado, na freguesia de Ruivães, concelho de Vieira do Minho, distrito de Braga, em Portugal. Liga as freguesias de Ruivães à de Ferral, no concelho de Montalegre. Está implantada no fundo de um desfiladeiro escarpado, assente sobre os penedos e com alguma altitude em relação ao leito do rio, sendo sustentada por um único arco com cerca de 13 metros de vão. Foi erguida na Idade Média e reconstruída no início do século XIX.

 

9. Mosteiro de Pitões

Mosteiro de Pitões das Júnias
Mosteiro de Pitões das Júnias

Pitões das Júnias é uma pequena aldeia conhecida pelo seu mosteiro beneditino construído em meados do século IX. Situado num magnifico vale, o mosteiro era destinado a abrigar os monges beneditinos. No século XII o mosteiro foi doado à Ordem de Cister.

 

10. Geira Romana

Geira Romana
Geira Romana

Geira é o nome pela qual é conhecida a via de comunicação, construída pelo império romano, na dinastia dos flávios, que ligava Braga a Astorga e que passa no concelho de Terras de Bouro numa extensão de cerca de 30 km (milhas XIV e XXXIV).

A construção destas vias era de extrema importância para o império romano, pois, para além dos variados usos para que serviam, o mais importante era, sem dúvida, a passagem dos seus exércitos, numa altura em que as conquistas eram de importância máxima para o crescimento e manutenção do império.

 

11. Vilarinho das Furnas

Vilarinho das Furnas
Vilarinho das Furnas

Vilarinho das Furnas é uma aldeia que ficou submersa em 1972 pela construção e enchimento da barragem de mesmo nome. Devido a uma curiosidade jurídica, as terras submersas ainda pertencem aos antigos habitantes, mas o uso da barragem pertence ao Estado Português.

 

12. São Bento da Porta Aberta

16432081337_e3351f404b_o (1)

O Santuário de São Bento da Porta Aberta está localizado na aldeia de Rio Caldo, no Parque Nacional da Peneda-Gerês. O culto a São Bento deve a sua origem à influência dos monges de Santa Maria de Bouro. Em 1640 eles começaram a construir a capela. Segundo a tradição, esta capela tinha um alpendre, como em quase todas as capelas do alto dos montes, e as portas estavam sempre abertas, servindo de abrigo a quem por ali passava. Foi daí que veio a designação de São Bento da Porta Aberta, nome pelo qual é ainda hoje conhecida.

 

13. Miradouro da Pedra Bela

Miradouro da Pedra Bela
Miradouro da Pedra Bela

Espelho da beleza fantástica do Parque Parque Nacional da Peneda-Gerês, o Miradouro da Pedra Bela, em Terras de Bouro, está situado a cerca de 800 metros de altitude. Este é um dos locais mais famosos do Gerês, e uma vez avistando a paisagem, percebe-se instintivamente o porquê.

Montanhas, a albufeira da Caniçada, os rios que serpenteiam a serra, a confluência do Rio Cávado com o rio Caldo, a vegetação própria desta serra, ou a estonteante Portela do Homem… A Pedra Bela desde sempre encantou, dizendo os antigos que foi a mão divina que aqui a colocou, como que uma peça num presépio, perfeita e imponente.

 

14. Brufe

Brufe
Brufe

Aldeia localizada em zona de montanha, na vertente da Serra Amarela, no Noroeste de Portugal, muito próxima do Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG) (5 km) e da fronteira com Espanha. Situada sobre uma pequena veiga de campos agrícolas, onde se pratica uma agricultura tradicional em regime de policultura (milho, hortícolas, pastorícia). É um pequeno aglomerado de casas graníticas, belos exemplares da arquitectura popular, complementadas com outros elementos tradicionais (espigueiros, eiras, relógios de sol…)

3 COMENTÁRIOS

  1. Há locais que não são no Gerês e a cascata do Arado não está a 900 metros de altitude. O miradouro de onde se tem uma bela vista da mesma, e acima do ponto onde a fotografia foi tirada, está a 750 metros de altitude.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here