Início Viagens 15 óptimos locais grátis para visitar no Porto

15 óptimos locais grátis para visitar no Porto

Cidade Invicta, capital e porta de entrada do norte de Portugal, o Porto é terra de gente genuína. Descubra 15 óptimos locais grátis para visitar no Porto.

65680
3
porto
Estação de São Bento

Também conhecida como a Cidade Invicta, o Porto é sem dúvida umas das cidades mais encantadoras de Portugal. Com uma história muito rica, foi a cidade que deu o nome ao país e é conhecida mundialmente pelo seu vinho (que, na realidade, é produzido no Douro e armazenado em Gaia), pelas pontes e arquitectura contemporânea e antiga, pelo centro histórico, e por ter várias zonas e monumentos da cidade classificada como Património Mundial pela UNESCO.

O Porto sofreu nas últimas duas décadas várias transformações e é hoje uma cidade moderna, cosmopolita e que adora receber turistas. Não é por acaso que se tornou numa cidade na moda em toda a Europa e, desde então, são milhões de visitantes que todos os meses acodem a esta que é a cidade capital do Norte de Portugal. Descubra 15 fantásticos locais grátis para visitar no Porto.

 

1. Catedral do Porto

A Sé Catedral do Porto é o berço a partir do qual foi crescendo a cidade do Porto. Constitui um ponto de visita obrigatório devido aos seus tesouros artísticos. Construída no século XII em estilo românico, a catedral sofreu várias alterações ao longo do tempo. A Catedral do Porto está situado na zona mais alta da cidade e, a partir daqui poderás contemplar magníficas vistas sobre o rio e a cidade.

Claustros da Sé do Porto
Claustros da Sé do Porto

A capela-mor foi construída no século XVII e caracteriza-se pelo estilo clássico onde predominam os mármores de várias cores. Uma das curiosidades ali existente é a urna com os restos mortais de São Pantaleão, o padroeiro da cidade entre os séculos 16 e 19. No seu interior destacam-se os elevados arcos de pedra, o claustro gótico, que data ao século XIV, o altar de prata do século XVII e os seus relevos talhados e cobertos a folha de ouro.

 

2. Estação de São Bento

A Estação de São Bento é um dos lugares de visita obrigatória para quem passagem pelo Porto. Esta estação foi construída durante o século IX, sobre os escombros de um antigo convento. A sua fachada, de estilo senhorial chama a atenção de quem passa em frente, mas o seu interior é ainda melhor, pois inclui uma entrada decorada com mais de 20.000 azulejos pintados à mão, que retratam a história de Portugal. Por estar situada numa excelente localização, no centro da cidade, certamente passará diversas vezes pela estação, mas não se conforme a ver apenas a sua fachada.

Estação de São Bento
Estação de São Bento

A Estação é célebre pelos seus painéis de azulejos, de temática histórica. Cobrindo uma superfície de cerca de 551 metros quadrados, representam, principalmente, cenas passadas no Norte do país. A partir desta estação partem diversos comboios para a zona das vinhas e para as localidades vizinhas como Braga, Viana do Castelo e Guimarães.

 

3. Ribeira

A Ribeira é um dos locais mais antigos e típicos do Porto, também considerado pela UNESCO como Património Mundial. É talvez a zona mais pitoresca da cidade, com os barcos tradicionais no rio Douro, as casas coloridas e as vistas fantásticas para a Ponte de D. Luís.

Porto – Ana Silva

A zona tem sido reconvertida nos últimos anos e é actualmente uma zona muito frequentada por turistas e local de concentração de bares e restaurantes. Nesta zona encontrarás um grande passeio fluvial onde poderás encontrar numerosos barcos tradicionais, conhecidos como “rabelos” e importantes pontes, como a Ponte D. Luís I, a partir da qual poderás desfrutar de uma priveligiada vista sobre Vila Nova de Gaia, localizada na outra margem do rio Douro.

 

4. Igreja de Santa Clara

Considerada um dos melhores exemplares das denominadas igrejas forradas a ouro do barroco joanino, Santa Clara conserva a sua estrutura arquitectónica gótica, que remonta ao século XV. A cerimónia de instituição do mosteiro das clarissas do Porto decorreu a 28 de Março de 1416, tendo sido marcada pela presença das mais importantes figuras do reino – D. João I e os príncipes D. Fernando e D. Afonso -, que desde a primeira hora privilegiaram a nova casa, e pelo Bispo D. Fernando Guerra.

Igreja de Santa Clara
Igreja de Santa Clara

A esta primeira campanha de obras, seguiram-se muitas outras, como é o caso da campanha do claustro, de características maneiristas ou, já no início do século XVIII, as obras dos dormitórios, da portaria, com um imponente portal barroco, e dos coros, ocorridas entre 1707 e 1715. Tal como convinha a uma igreja de uma mosteiro feminino, a entrada principal encontrava-se na fachada lateral, pois a zona contrária à capela-mor era ocupada pelo coro alto e pelo coro baixo. Um referência final para os azulejos dos coros, de padrão polícromo no coro baixo, e de tapete no coro alto, onde é visível ainda um painel figurativo polícromo representando uma alegoria eucarística, com inscrição relativa às almas do Purgatório e a data de 1680.

 

5. Mercado do Bolhão

O Mercado do Bolhão é uma das zonas mais animadas e conhecidas do Porto. Este mercado localiza-se próximo da Avenida dos Aliados, onde, desde 1914, se vendem produtos frescos, azeitonas, queijo, carnes fumadas, flores e muito mais. Este mercado possui vários pisos. As lojas distribuem-se em torno de um enorme pátio central. Na parte inferior do mercado encontrará uma estupenda banca de peixe.

Mercado do Bolhão
Mercado do Bolhão

É um dos lugares obrigatórios durante a tua passagem pelo Porto, embora seja um mercado, é um dos edifícios mais emblemáticos da cidade. Mesmo que não tenha a intenção de comprar nada, é muito recomendável visitá-lo e passear pelas suas lojas, com uma atmosfera única.

 

6. Pérola do Bolhão

A Pérola do Bolhão é uma mercearia tradicional fundada em 1917 por António Rodrigues Reis. Queijo da serra, selecção de enchidos, uma extensa variedade de frutos secos e caramelizados a granel, uma boa oferta de vinhos e biscoitos regionais são as principais propostas de uma das casas mais antigas da cidade. Possui uma fachada em Arte Nova, forrada de azulejos com referências à rota das especiarias.

Pérola do Bolhão
Pérola do Bolhão

Há 97 anos que a Pérola do Bolhão tem as portas abertas. Bem perto do Mercado do Bolhão no Porto, esta mercearia tradicional encanta mesmo antes de se entrar, é que as paredes forradas a azulejos inspiradas na rota das especiarias, dão nas vistas. Diz-se que pela época de natal, o corrupio para comprar bacalhau é grande. Mas há mais, muito mais… Os enchidos, os vinhos, os frutos secos e os chás também são motivo para uma visita. Quanto ao café, a Pérola do Bolhão, foi considerada pela edição espanhola da revista Condé Nast Traveller como um dos melhores sítios para se comprar e saborear em casa…

 

7. Capela das Almas

Talvez uma das igrejas mais bonitas da cidade do Porto, também conhecida como Capela de Santa Catarina, fica situada na esquina entre as Ruas de Santa Catarina e de Fernandes Tomás, na baixa da cidade do Porto, em Portugal. Esta capela, construída na primeira metade do século XVIII, é um edifício religioso de traços muito simples, mas de rara beleza artística. É composta por dois corpos, sendo que o segundo é de menor altura e foi alvo de obras de restauro e ampliação, quando decorria o ano de 1801, que lhe modificaram várias das suas características originais.

painéis de azulejos mais bonitos de Portugal
Capela das Almas

É um dos edifícios mais fotografados e conhecidos do Porto. Situada em plena Baixa, chama à atenção pelos azulejos que cobrem a sua fachada. Embora esta capela do século XVIII tenha uma arquitectura bastante simples, é impossível ficar indiferente às suas paredes, preenchidas com 15 947 azulejos que cobrem uma área de cerca de 360 m2. Na verdade, estes azulejos só foram colocados no século XX (1929), mas foram concebidos de forma a imitar os mosaicos característicos do século XVIII. São da autoria do ceramista Eduardo Leite e foram executados numa famosa fábrica de Lisboa.

 

8. Igreja do Carmo

A Igreja do Carmo, fica no cruzamento entre a Praça Carlos Alberto e a Rua do Carmo, na freguesia de Vitória, no Porto.A Igreja pertence à Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo e foi construída no estilo rococó, em granito, segundo um projecto de José Figueiredo Seixas. A fachada principal é profusamente decorada, tanto com elementos vegetais como com janelas e nichos, e está coroada por uma cruz e pelas estátuas dos Evangelistas.

Igreja do Carmo
Igreja do Carmo

A fachada lateral está coberta de azulejos de tons azulado.No interior da Igreja existem vários retábulos rococós de talha dourada, realizados por Francisco Pereira Campanhã no século XVIII.É uma das igrejas mais importantes da cidade, e fica situada perto da Torre dos Clérigos e do Jardim da Cordoaria. A igreja do Carmo encosta à igreja dos Carmelitas.

 

9. Jardins do Palácio de Cristal

Os Jardins do Palácio de Cristal, a Quinta da Macieirinha (onde se encontram o Museu Romântico e o Solar do Vinho do Porto) e a Quinta Tait compõem este magnífico parque, a partir do qual se desfrutam deslumbrantes panorâmicas do rio Douro e do mar.

Jardins do Palácio de Cristal

Os jardins românticos do Palácio de Cristal, projectados no século XIX, sempre foram um palco de vários eventos. É aqui que se encontra o Pavilhão Rosa Mota, a Biblioteca Municipal Almeida Garrett e Galeria do Palácio, a Concha Acústica e a Capela de Carlos Alberto.

 

10. Fundação de Serralves

É uma instituição preocupada com a sensibilização artística do público promovendo conferências e exposições sobre artes plásticas modernas e contemporâneas.Visitar Serralves ao domingo de manhã é grátis. Até às 13h00 de cada domingo pode entrar gratuitamente, passear pelos jardins do Parque e ainda visitar as exposições do Museu de Arte Contemporânea de Serralves.

Jardim de Serralves

Situada num espaço amplo, cerca de 18 hectares, com um amplo jardim com escadarias, lagos e flora variada, uma casa de chá, terrenos agrícolas e o edifício do Museu de Arte Contemporânea.

 

11. Jardins do Passeio Alegre

Construído nos finais do século XIX beneficiando da participação de Emíle David no seu ajardinamento. Ladeado por uma Alameda de Palmeiras, alberga uma série de elementos arquitectónicos de grande valor: um chafariz em granito, a poente, proveniente do antigo Convento de S. Francisco; dois Obeliscos de Nasoni, oriundos da Quinta da Prelada; um pequeno ‘chalet romântico’, construído em 1874, antes do acabamento do Jardim.

Jardins do Passeio Alegre

Um minigolfe constitui um pólo de atracção do jardim, e no coreto realizam-se, pontualmente, concertos filarmónicos. Por fim, destacam-se os sanitários públicos, construídos em 1910, decorados com azulejos Arte Nova e loiças inglesas.

 

12. Ponte D. Luís I

A Ponte D. Luís I foi construída em 1886 por um discípulo e colaborador do prestigioso mestre Gustave Eiffel e encontra-se encastrada sobre o rio Douro, entre a cidade de Porto e Vila Nova de Gaia. A parte mais alta da ponte é acessível para peões e contém, ainda, uma via de metro. A partir daqui poderás contemplar, gratuitamente, uma das mais maravilhosas vistas sobre o rio assim como para a zona da Ribeira. A zona inferior está reservada para viaturas.

Ponte D. Luís
Ponte D. Luís – Gi Cristóvão

A construção desta ponte representou um feito histórico, pois antes os peões cruzavam o rio por uma ponte feita por embarcações antigas. Por aqui eram transportadas também as mercadorias, provocando a queda e afogamento de muitos durante a sua destruição, aquando da invasão da cidade pelas tropas de Napoleão em 1809.

 

13. Centro Português de Fotografia

O Centro Português de Fotografia é um serviço público de acesso gratuito, com sede no Porto, no Edifício da antiga Cadeia da Relação. Foi criado em 1997 pelo então Ministério da Cultura e é actualmente tutelado pela Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB). As competências que lhe estão atribuídas visam a promoção e valorização do património fotográfico, que inclui o tratamento arquivístico de espécies e a gestão da Coleção Nacional de Fotografia.

Centro Português de Fotografia
Centro Português de Fotografia

O CPF mantém ainda um programa anual de exposições temporárias, um Núcleo Museológico permanente, que compreende uma rara e valiosa colecção de câmaras fotográficas, uma biblioteca especializada, onde também funcionam os serviços de consulta e reprodução de espécies, uma loja, e um serviço gratuito de visitas guiadas ao edifício e às exposições sujeito a marcação prévia.

 

14. Avenida dos Aliados

A Avenida dos Aliados é geralmente considerada como o centro da cidade do Porto e é, como tal, a avenida mais grandiosa. Ladeada por prédios ornamentados com uma variedade de estilos arquitectónicos, do neoclássico ao francês Beaux-arts, esta avenida foi construída para impressionar. Como tal, é o lar de alguns dos hotéis mais prestigiados da cidade, juntamente com vários bancos. O nome desta avenida central refere-se ao tratado entre Portugal e o Reino Unido no século XIV. Ainda em vigor, o Tratado Anglo-Português é a aliança mais antiga do mundo que ainda está em vigor.

Avenida dos Aliados
Avenida dos Aliados

Esta ampla e relativamente curta avenida nem sempre foi a grande atracção que é hoje. De facto, só existe na sua forma actual desde 1916, quando as velhas ruas e becos dos “lavadouros” foram demolidos. No topo da Avenida encontra-se a imponente Câmara Municipal, com uma torre central do relógio que se eleva a 70 metros acima da rua. Em frente à Câmara Municiap fica a Praça do General Humberto Delgado, uma larga praça de pedra e árvores ladeada por ruas movimentadas de ambos os lados. Esta é a localização da estação de metro dos Aliados e é também a casa da estátua do célebre poeta português, Almeida Garrett.

 

15. Muralha Fernandina

A muralha Fernandina veio substituir a antiga cerca alto-medieval, que no séc. XIV se mostrava demasiado pequena, face ao desenvolvimento da cidade. Foi reedificada por D. Fernando, de quem conservou o nome, entre 1368 e 1437, com verbas da Sisa do Vinho e tinha uma extensão de 3000 passos e altura média de 30 pés.

Porto
Porto

Era guarnecida de ameias e reforçada por numerosos cubelos e torres quadradas. Presentemente existem ainda dois trechos, um localizado junto à Rua Arnaldo Gama intitulado Trecho dos Guindais e o outro junto das Escadas do Caminho Novo, intitulado Trecho do Caminho Novo. Ponto integrante da Rota Urbana do Vinho.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here