Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Dublin

Os 12 melhores locais para visitar em Dublin

A capital da Irlanda, com a sua história ligada às artes e à música, é uma caixinha de surpresas. Os melhores locais para visitar em Dublin.

837
0
Dublin
Dublin

A capital da Irlanda, Dublin, é uma daquelas cidades carismáticas e cativantes, repletas de história mas, sobretudo, de pequenas histórias de pessoas famosas ou anónimas. Desde logo, Dublin é a capital da cerveja e, muitos dos turistas que visitam esta cidade, não perdem uma oportunidade para visitar uma das históricas fábricas desta famosa bebida. Dublin é também um local famoso pelos seus bares (os típicos pubs), pela sua música (talvez os U2 seja os mais famosos e icónicos, mas há muito mais) e pelos seus escritores. Por toda a cidade existem monumentos, igrejas, museus e outras atracções turísticas que satisfazem qualquer tipo de turista, sejam aqueles que viajam com amigos, sozinhos ou em família. Perder-se pelas ruas do centro histórico de Dublin é uma das melhores formas de conhecer a cidade. E, no fim, caso esteja cansado do passeio, pode repousar em qualquer um dos muitos parques verdes que aqui existem. Estes são os melhores locais para visitar em Dublin, na Irlanda.

 

1. Trinity College

O Trinity College é provavelmente o melhor local para começar o seu passeio em Dublin. Fica no coração da cidade, repleta de histórias incríveis, e é a universidade mais antiga da Irlanda, fundada em 1592 pela rainha Elizabeth I. Ocupando um invejável local de 40 hectares, Trinity mantém parte das suas antigas praças de paralelepípedos, jardins e parques e é famoso em todo o mundo pela sua colecção de grandes tesouros artísticos. Estes incluem, em exposição permanente, o manuscrito iluminado do século IX, o Livro de Kells, os Livros de Durrow e Armagh e uma antiga harpa irlandesa. Os artefactos inestimáveis ​​são exibidos no Tesouro e na imponente Long Room do século XVIII, que abriga mais de 200.000 dos livros mais antigos da Trinity e hospeda exposições literárias regulares.

Trinity College
Trinity College

Trinity é um paraíso numa área movimentada. Alunos ao longo dos séculos incluem figuras como Jonathan Swift (mais conhecido como o autor de viagens de Gulliver), Oscar Wilde, Bram Stoker (autor de Drácula) e o dramaturgo Samuel Beckett. Entrando por um arco de madeira, você é instantaneamente levado a viajar no tempo. Os jardins verdes imaculados, os edifícios dos séculos XVIII e XIX e o caminho de paralelepípedos lembram uma era mais gentia e exalam uma sensação académica silenciosa. É melhor marcar a sua visita, pois os prédios abertos ao público podem ficar esgotados durante a temporada alta. Além de aproveitar as atracções imperdíveis, reserve algum tempo para relaxar e simplesmente aproveitar a atmosfera em redor. Em frente à faculdade, no College Green, fica o antigo edifício do Parlamento irlandês, agora uma filial do Banco da Irlanda.

 

2. Catedral de St. Patrick

A apenas 7 minutos a pé da Catedral Christ Church, a Catedral de St. Patrick é a catedral nacional da Igreja da Irlanda. A tradição diz que, aqui, São Patrício baptizou os convertidos ao cristianismo em 450 dC em Christchurch, o edifício original que era de madeira. Em 1192, outra igreja foi fundada e construída, desta vez feita em pedra. Pouco mais de um século depois, outra reconstrução ocorreu e seu estatuto foi elevado a catedral.

Catedral de St. Patrick
Catedral de St. Patrick

Ao longo dos séculos, muito embelezamento ocorreu, principalmente em meados dos anos 1700, quando o campanário foi construído, e durante o final de 1800, quando houve reformas substanciais. O autor das viagens de Gulliver, Jonathan Swift (1667-1745), que foi decano de St. Patrick durante 35 anos, está enterrado num sarcófago à direita da entrada ao lado do seu amor durante muito tempo ‘Stella’ (Hester Johnson 1681-1728).

 

3. Castelo de Dublin

O Castelo de Dublin foi o local da administração central do governo britânico durante 700 anos, até 1922. O castelo teve várias funções ao longo dos anos: fortaleza medieval, corte vice-real e edifício do governo. Em 1534, o rebelde irlandês Silken Thomas (assim chamado pelas suas roupas finas) lançou um ataque e sitiou o castelo. Actualmente, o castelo é usado principalmente para ocasiões cerimoniais, exposições e até concertos. Os apartamentos ornamentados estão abertos aos visitantes e há uma série de museus para explorar, incluindo a Biblioteca e Galeria Chester Beatty.

Castelo de Dublin
Castelo de Dublin

O museu, fundado em 1953 por um americano que viveu em Dublin, Chester Beatty, apresenta uma bela colecção de arte oriental e várias colecções de manuscritos, livros e textos antigos. Entre os tesouros estão os Livros Franceses de Horas dos séculos XIV e XV e um livro de orações, que pertenceu a Filipe II de Espanha; obras de arte do Extremo Oriente; Estampas islâmicas; Manuscritos sânscritos (século XII-XIII); Miniaturas indianas e tabuletas de barro da Babilónia (2.500-2.300 aC). Há também manuscritos medievais e renascentistas europeus, textos em papiro egípcio e cópias do Alcorão e da Bíblia. Pinturas budistas e miniaturas turcas e persas também estão à mostra, assim como gravuras em xilogravura do Japão e vestes de dragão chinesas.

 

4. Pequeno Museu de Dublin

A um passeio de poucos minutos do Fusilier’s Arch, no topo da Dawson Street, é uma paragem obrigatória para os interessados em como Dublin e o seu povo viveram as suas vidas e evoluíram ao longo do século passado. James Joyce disse certa vez: “no particular está contido o universal”, que resume bem o carácter deste museu. Nas minúcias dos pertences das pessoas, a história é de facto escrita em grande escala.

Pequeno Museu de Dublin
Pequeno Museu de Dublin

Inaugurado em 2011, após um apelo da população que também forneceu materiais antigos, lembranças e artefactos, o museu ganhou força e agora abriga uma série de exposições temporárias e eventos, bem como instalações permanentes, incluindo uma retrospectiva do grupo musical U2, com exposições doadas por membros da banda. Outros deleites incluem o púlpito usado por John F. Kennedy quando se dirigiu a ambas as casas do Parlamento irlandês (Oireachtas) em Junho de 1963.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here