Início História Caravelas, Naus e Galeões Portugueses: o choque tecnológico do século XVI

Caravelas, Naus e Galeões Portugueses: o choque tecnológico do século XVI

Foi um autêntico choque tecnológico no há mais de 500 anos e revolucionou a história da humanidade. Falamos das caravelas, naus e galeões portugueses.

8294
0
caravelas
Nau

 

Portugal, a sudoeste da Europa, com a sua faixa litoral voltada para o Atlântico, era a geografia mais central no mundo e portanto propícia à navegação. O país voltou-se para o mar e lançou-se na Expansão Marítima. Há mais de 500 anos, a Tecnologia Portuguesa consolidou e aperfeiçoou instrumentos como cartas náuticas, roteiros de viagens, agulha de marear (bússola), naus e caravelas.

navios
Caravela

A caravela, um barco de maior calado que a barca. Possuía dois mastros e velas triangulares (panos latinos). Era veloz e, e o mais importante, navegava à bolina. A Tecnologia Portuguesa descobriu e desenvolveu a primeira embarcação adequada à exploração oceânica. Os navegadores portugueses passaram a orientar-se pelos astros (Sol e outras estrelas) – inventando a navegação astronómica, com o aperfeiçoamento de instrumentos como o  Astrolábio e o Quadrante; além disso, transformaram o Báculo de Jacob na Balestilha.

Estes instrumentos de precisão permitiram pela primeira vez na história da humanidade a determinação de uma localização exacta, mediante rigorosos cálculos matemáticos. As medições rigorosas das distâncias, as anotações das características da costa e outras informações eram transmitidas pelos marinheiros aos cartógrafos, que desenhavam mapas cada vez mais rigorosos. Os portugueses fizeram o aperfeiçoamento da instrumentação e cartografia em todo o mundo.

Caravelas
Caravela

Aliando inovadoras embarcações e instrumentos de navegação, a coragem e ousadia dos navegadores portugueses serviram o objectivo de dar novos mundos a conhecer ao mundo. A época dos Descobrimentos constitui a passagem de um mundo a outro, da Europa a toda a Terra. Portugal foi o pioneiro da globalização.

É a época em que os esquemas tradicionais são ultrapassados, em que se reconhece que é necessário prestar atenção à observação; é ainda a época onde muitos mitos se desvanecem. Os descobrimentos científicos determinaram uma mudança radical na concepção da Terra e do Universo. Os Descobrimentos Portugueses foram a principal causas e consequência do Renascimento, dada a vontade crescente do Homem de conhecer o mundo e por este apregoar o seu conhecimento.

Homens como Gil Eanes, ultrapassaram pela primeira vez o Cabo Bojador, Bartolomeu Dias o Cabo da Boa Esperança, Vasco da Gama pela primeira vez descobriu o caminho marítimo para as Índias ou Pedro Álvares Cabral que descobriu o continente americano, abrindo caminho a Cristovão Colombo, são os ousados protagonistas das grandes descobertas marítimas que exigiram novos métodos de investigação científica, baseados na observação directa e nas experimentação.

Marinha de Guerra Portuguesa
Marinha de Guerra Portuguesa

É Portugal que lidera os avanços da técnica, constrói inovadoras embarcações e aperfeiçoa instrumentos que sustentam a vontade do homem para dominar a natureza e o mundo. Portugal, é o país mais importante no desenvolvimento da Europa, sendo de primordial importância os seus contributos para o desenvolvimento científico da humanidade, nomeadamente na botânica, medicina, astronomia; cartografia; matemática; geografia e antropologia.

Ao longo dos séculos, outros portugueses como Serpa Pinto ou Hermenegildo Capelo, Gago Coutinho deram continuidade ao ADN genuinamente português de inovação, audácia e desenvolvimento. Hoje, Portugal é um dos países que mais utiliza e implementa novas ferramentas e tecnologias de informação.

Encontra-se nos primeiros lugares do ranking mundial de e-government, e-banking  e acessibilidade ao mundo digital. Portugal é um conceituado fabricante de plataformas de software, implementadas por todo o mundo, com especial destaque na lusofonia, um mercado com mais de 260 milhões de pessoas.

Galeão Santíssima Trindade
Galeão Santíssima Trindade

A tecnologia portuguesa, foi nos últimos 600 anos, e continuará a ser uma das mais importantes no desenvolvimento da Europa e do mundo.

Um documentário feito há algum tempo mostra perfeitamente como Portugal estava à frente da tecnologia nos descobrimentos, estávamos ao mesmo nível de quem fabrica hoje as naves espaciais que viajam ao Espaço.

Um documentário feito há algum tempo mostra perfeitamente como Portugal estava à frente da tecnologia nos descobrimentos, estávamos ao mesmo nível de quem fabrica hoje as naves espaciais que viajam ao Espaço.

Como vários especialistas na matéria afirmam, o impacto desta inovação transformou Portugal na principal potência marítima e económica do século XVI.

Botafogo
Botafogo

Pese o facto deste documentário ter já alguns anos, a verdade é que o seu conteúdo mostra perfeitamente o que era o desenvolvimento tecnológico deste país plantado à beira mar e de brandos costumes. Passamos da maior potência mundial há uns séculos para um país que se recolheu às suas fronteiras.

Como é referido no documentário, quando se lê um livro de História espanhol, inglês, francês ou holandês, as referências ao papel desempenhado pelos portugueses na época dos descobrimentos são insignificantes. É importante recolher os dados históricos e compilar a história tal como ela se passou, sem atropelos de factos que podem mudar a visão mundana de quem entende não sermos líderes no mundo da tecnologia.

Quando estes testemunhos históricos são recolhidos através da opinião dos melhores historiadores mundiais e os resultados foram surpreendentes.

 

Como era a vida a bordo das Caravelas?

A construção das caravelas eram executadas a beira do Tejo na Ribeira das Naus junto ao Palácio Real, onde trabalhavam os mestres de carpinteiros os quais não se serviam de planos, nem de desenhos técnicos. Porém, através das suas experiências, sabiam exactamente as medidas mais equilibradas e como deviam proceder para que o navio funcionasse com perfeição.

Eles dirigiam equipas que eram compostas de aprendizes de carpinteiros e os calafates a quem competiam a aplicação de betume entre as tábuas para suas impermeabilidade, os ferreiros e fundidores que fabricavam as peças e objectos de metais, os veleiros que fabricavam as velas, os cordeiros que fabricavam os cabos e cordas e os tamoeiros que cuidavam da fabricação das pipas para o transporte da água, dos vinhos, dos alimentos e a maior parte da carga.

Nau
Nau

O material empregado na construção da caravela eram os seguintes: para o casco eram utilizada as madeiras de pinho, carvalho, castanheiro e sobreiro, para a calafetagem do casco era empregado estopa, breu, pez, resina e alcatrão, para os mastros eram empregado as madeiras de pinho do norte da Europa, as velas eram confeccionada em linho ou lona, as cordoarias eram feitas com esparto ou linho e as peças fundidas eram empregado os seguintes matérias como o ferro, aço, chumbo, estanho, cobre e latão.

A caravela possuía um casco estreito e fundo e por isso ela possuía uma grande estabilidade. Por baixo do convés havia um espaço que servia para transportar os mantimentos, o castelo que era os aposentos do capitão e do escrivão se localizava na popa do navio. Porém a grande novidade deste navio foi a utilização das velas triangulares em mar aberto, as quais permitiam que a caravela avançasse em zig-zag mesmo com ventos contrários.

Nau
Nau

As caravelas não possuíam os mesmos tamanhos: as pequenas levavam entre vinte e cinco a trinta homens e as maiores chegavam a levar mais de cem homens a bordo. Geralmente a tripulação era formada por marinheiros muitos jovens e os capitães podiam ser rapazes de vinte anos de idade. Eles eram o chefe máximo, que tinham a competência de organizar a vida a bordo e tomar as decisões sobre as viagens enquanto que o escrivão tinha a competência de registar por escrito o rol da carga.

O piloto encarregava-se da orientação do navio. Geralmente viajava na popa do navio com os seguintes instrumentos: uma bússola, um astrolábio e um quadrante. Ele orientava os homens do leme que manejavam o navio de acordo com as instruções do piloto e do capitão e em dia de mar revolto era necessário dois homens ao leme do navio.

Caravelas
Caravelas

O homem da ampulheta era o marinheiro que vigiava o relógio de areia para saberem as horas. Os marinheiros a bordo das caravelas tinham que fazer todos os tipos de serviços, desde içar, manobrar e recolher as velas, esfregar o convés, carregar e descarregar a carga e outras fainas a bordo. Os grumetes eram constituído na sua maioria por rapazes de dez anos de idade que iam a bordo para aprender e fazer as rotinas das viagens.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here