Início Viagens 15 fantásticos locais para visitar no distrito de Évora

15 fantásticos locais para visitar no distrito de Évora

Em pleno Alentejo, repleto de aldeias e vilas cheias de charme com casas caiadas de branco: os melhores sítios para visitar no distrito de Évora.

7253
1
distrito de évora
Évora

O que visitar no distrito de Évora? Em pleno Alentejo, o distrito de Évora é famoso pelas suas paisagens tipicamente alentejanas e pela sua gastronomia. Mas não só… em todo o distrito abundam pequenas aldeias e vilas dignas de uma visita. A mais famosa é, sem dúvida, Monsaraz, uma das mais charmosas e bem preservadas vilas medievais portuguesas.

Além de tudo isto, o distrito de Évora é também conhecido pelos seus monumentos milenares, como o cromeleque dos Almendres ou o cromeleque do Xerez. Nos últimos anos, surgiram ainda diversas praias fluviais por toda a região, com destaque para as praias do Alqueva, possibilitando uns mergulhos refrescantes durante o Verão. Estes são os melhores locais para visitar no distrito de Évora.

 

1. Évora

Cidade Alentejana, capital de distrito e sede de um dos maiores concelhos do País, Évora é uma das mais emblemáticas cidades Portuguesas. O seu belo centro histórico foi classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, numa área de cerca de 105 hectares e cerca de 400 edifícios, que é, por si só, um dos melhores motivos para visitar esta maravilhosa cidade Alentejana. Com toda esta rica história, não faltam no município de Évora locais de incontornável visita, como a sua imponente Sé Catedral construída entre 1186 e 1204, o conhecido Templo Romano (popularmente apelidado de “Templo de Diana”) construído entre o século I e III d.C, a Igreja de São Francisco e a sua célebre Capela dos ossos, totalmente revestida de ossadas humanas, a bonita Igreja dos Lóios (século XV), ou o Palácio de D. Manuel, com a interessante Galeria das Damas, parte do que resta do Paço do século XVI construído pela Dinastia de Avis que tanto influenciou e adorou estes domínios.

Évora
Évora

As cerca de 20 igrejas e mosteiros da cidade denotam a sua importância histórica e religiosa. Local bem central e imperdível é a famosa Praça do Giraldo, com arcadas em estilo árabe e uma fonte datada de 1571, local de encontro de todas as gerações, de animação e espectáculos especiais. Évora possui uma excelente oferta de artesanato, hotelaria e restauração, podendo-se degustar verdadeiras delícias típicas Alentejanas, numa cidade que tradição, conjuga paz de espírito, história e animação como poucas.

 

2. Évora Monte

A pitoresca e deliciosa freguesia de Evoramonte (ou Évora Monte) está situada entre as formosíssimas cidades de Évora e Estremoz. Outrora de elevada importância geográfica e militar, esta vila alentejana, cujas muralhas ainda protegem os seus habitantes lá do topo, sente-se como um guerreiro ancião que pacientemente aguarda os visitantes com inúmeras histórias para lhes contar. Da mesma forma que em outras vilas alentejanas como Marvão e Monsaraz, a Evoramonte do alto da colina praticamente parou no tempo. Chegar lá acima pode ser um desafio se for a pé mas essa vontade instala-se nos mais ousados quando se vê o castelo desde a estrada, para quem vem de Évora ou de Estremoz.

Evoramonte
Evoramonte

Se decidir subir de carro, deixe-o fora das muralhas na Porta de São Sebastião para poder entrar na vila como o fizeram os portugueses ao longo da maioria dos séculos. A vila é pequena mas bonita e singular. O seu tamanho é um bom motivo para percorrer todas as ruas e recantos com atenção aos pormenores. Eles surgem por todo o lado em Évoramonte, seja um ornamento, uma porta ou janela claramente alentejanas, uma inscrição na parede, um pachorrento gato a descansar num lugar estratégico… Por onde quer que caminhe em Evoramonte vai encontrar simples casas brancas tradicionalmente pintadas com cal branca e, muitas vezes, com os coloridos rodapés, contornos de portas, janelas e frisos amarelos ou azuis típicos do Alentejo.

 

3. Estremoz

Cidade Alentejana, sede de concelho, Estremoz é conhecida pela “cidade branca” do Alentejo, em parte devido ao seu branco casario espalhado pela colina, mas também pelas suas jazidas de mármore branco, com uma exploração tão antiga e conceituada, de tal modo que esta região contribui em 90% para o facto de Portugal ser o segundo maior exportador de mármore do mundo.
A sua importância histórica e o reconhecimento como localidade são marcos bem antigos, já tendo sido importante na época da ocupação Romana e Muçulmana, mantendo ao longo de toda a Idade Média a sua relevância, também pela proximidade de apenas 50km da fronteira Espanhola. Estremoz está rodeada por por dois conjuntos de muralhas, as primeiras do século XIII em redor da vila velha, situada junto ao castelo, e uma segunda cintura de muros fortificados e baluartes erguida para proteger a parte baixa da localidade, durante a Guerra da Restauração (1640-48).

Estremoz
Estremoz

Com uma história tão rica, Estremoz possui igualmente um importante património de grande interesse. Começando pela Vila Velha (ou Largo Dom Dinis), subindo até ao Castelo do século XIII e ao histórico Paço Real, hoje em dia transformado numa luxuosa Pousada, passando pela bonita Capela da Rainha Santa, não esquecendo outros pontos de interesse como o Convento e Igreja de São Francisco (séculos XIV-XVIII), a Igreja de Santa Maria (século XVI) ou a Praça de Dom José I, o Largo do Rossio, com a sua tradicional Feira de Velharias e o Museu Municipal Professor Joaquim Vermelho, com uma interessante colecção de obras populares dos séculos XVIII e XIX.

 

4. Monsaraz

A vila de Monsaraz, ainda hoje envolta pelas suas muralhas medievais, ergue-se sobre urna pedregosa escarpa dominadora de uma vasta região que inclui o vale do Guadiana, situação privilegiada propícia a uma presença humana muito remota, embora não haja certeza acerca de uma ocupação castreja ou mesmo romana.

Monsaraz
Monsaraz

Por entre lojas de artesanato local e velharias, está um rico património de onde se destacam a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa (séculos XVI e XVII), os Antigos Paços da Audiência (séculos XIV e XVI), a Ermida de São Bento, a Torre de São Gens do Xarez ou a Ermida de Santa Catarina de Monsaraz (nos arredores).

 

5. Terena

Terena tem estatuto de vila, apesar de possuir apenas 700 habitantes, mas achamos que também merece ser incluída na lista. Terena, também conhecida por São Pedro ou São Pedro de Terena, é uma bonita vila Alentejana, pertencente ao concelho do Alandroal, situada numa bonita região onde reina a paz de espírito, próxima da Ribeira e da Albufeira da Barragem de Lucifécit, e próxima da fronteira com Espanha. As origens desta vila são bem remotas, existindo pela região diversos vestígios megalíticos de tempos pré-históricos, como as xistosas Antas do Lucas. Na Idade Média esta vila sofreu um importante papel defensivo, como o prova o seu Castelo, que integrava a linha de defesa do Guadiana. Pensa-se que a fundação de Terena datará de 1262, tendo sido anteriormente ocupada por outros povos, como os Mouros que aqui deixaram a sua marca.

Terena (Alandroal)

As calmas ruas de Terena são caracterizadas pela bonita arquitectura Alentejana de casario rural alvo, de faixas coloridas, e orgulhoso Património, como é visível no antigo Castelo da vila, no Santuário de Nossa Senhora da Boa Nova, na Igreja Matriz de São Pedro de fundação anterior ao século XIV, na bonita Igreja da Misericórdia (século XVI), na Capela de Santo António (erguida em 1657), nas Ermidas de São Sebastião, de Nossa Senhora da Conceição da Fonte Santa ou mesmo nas ruínas da Ermida de Santa Clara. Em Terena, é de destacar igualmente o Pelourinho do século XVI, a Torre do Relógio, as ruínas romanas do povoado fortificado de Endovélico e respectivo santuário, e também as ruínas do Castro de Castelo Velho.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here