Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar na Ilha Terceira

Os 12 melhores locais para visitar na Ilha Terceira

É conhecida como a "ilha festiva" e a "ilha lilás" e tem muito por descobrir. Estes são os melhores locais para visitar na Ilha Terceira, nos Açores.

852
0
Ilha Terceira
Ilha Terceira

A ilha da Terceira, um dos principais pontos de entrada dos Açores, forma conjuntamente com as ilhas de Graciosa, São Jorge, Pico e Faial o grupo Central do Arquipélago. Tal como o próprio nome indica, esta foi a terceira ilha do arquipélago a ser descoberta, embora no início fosse chamada de Ilha de Jesus Cristo. Começou a ser povoada no século XV, tendo-se desenvolvido de forma consistente desde então, muito devido à sua localização geográfica. Mas o que torna a Terceira tão especial é o magnífico contraste entre a beleza natural desta ilha vulcânica e o admirável trabalho do homem no centro histórico de Angra do Heroísmo, a sua capital, fundada em 1534, primeira localidade dos Açores a ser elevada a cidade e classificada Património Mundial pela UNESCO. Aliás, o título “Muito Nobre, Leal e Sempre Constante” atribuído a esta cidade realça a importância que teve ao longo da História de Portugal. A baía de Angra ganhou grande relevância não só como entreposto comercial interno dos produtos regionais produzidos nas demais ilhas, como assumiu ainda maior protagonismo como escala intercontinental para as naus que navegavam entre a Europa e as Américas e Índia.

Ilha Terceira
Ilha Terceira

Conhecida muitas vezes por a ilha festiva, na Terceira podemos encontrar durante todo o ano um rico calendário de celebrações religiosas ou tradicionais, bem como diversas instituições e agremiações culturais, grupos de teatro e locais de exposição temporárias ou permanentes que contribuem para a promoção da cultura da ilha. Estes são os melhores locais para visitar na Ilha Terceira, nos Açores.

 

1. Angra do Heroísmo

A encantadora capital da bonita Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, encontra-se desde 1983 classificada como Património Mundial pela UNESCO, plena de beleza, história, monumentos, cosmopolitismo, e dona de um ambiente muito próprio. Situada a sul da Ilha Terceira numa pequena e belíssima baía, Angra tem muito para contar. Esta foi a primeira cidade do Arquipélago dos Açores, elevada em 1534, já na altura uma muito importante e influente localidade, grande ponto de comércio e troca e ponto de escala obrigatório nas travessias transcontinentais, em busca dos “Novos Mundos”. As suas bonitas e típicas ruas são o reflexo de anos de história, influência dos vários habitantes vindos de variadas regiões, e dos muitos visitantes e negociantes que por tão importante ponto de comércio e troca, pleno de beleza, se apaixonaram.

Angra do Heroísmo
Igreja da Misericórdia de Angra do Heroísmo

A sua riqueza está também patente nos monumentos, existindo por Angra diversas casas senhoriais e palacetes, como o Palácio Bettencourt, o dos Capitães Generais ou o Solar da Madre de Deus, entre tantos outros. Muito há para ver e conhecer nesta cidade Património da Humanidade, que conta com monumentos como o Forte ou Castelo de São João Baptista e o de São Sebastião, que têm guardado a sua costa ao longo dos séculos, sem falar nos outros muitos fortes que defenderam a Ilha durante séculos, ou as muitas Igrejas, Capelas e Ermidas, cujo expoente máximo é a Sé Catedral do século XVI, e também Conventos como o de São Gonçalo do mesmo século, ou mesmo a centralidade e beleza da Praça Velha, ponto de partida para a descoberta do riquíssimo Património que a cidade oferece.

 

2. Algar do Carvão

O Algar do Carvão situa-se no interior de um vulcão adormecido, constituído por um cone vulcânico com cerca de 90 metros de altura, contendo no seu interior também uma lindíssima lagoa de águas cristalinas e tranquilas a cerca de 100 metros de profundidade. O Algar do Carvão terá tido origem na grande erupção do Pico Alto que lançou lava a grande distância. Posteriormente, uma outra erupção basáltica iniciou o processo da formação de um outro vulcão, o Pico do Carvão.

Algar do Carvão
Algar do Carvão

Numa primeira fase, formou-se a zona da bonita lagoa e as duas abóbadas sobre ela, e só numa fase sinal, aquando das descidas mais profundas do magma, se formou o Algar. Os derrames de lava muito efusiva, produziram rios de lava ácida muito fluídas que carbonizaram vegetação existente. O acesso ao Algar do Carvão está hoje facilitado, com a construção de escadarias no seu interior, que permitem uma mais cómoda visualização deste fenómeno natural, onde é possível observar o trajecto percorrido pelo rio de lava, e as curiosas estalactites e estalagmites vulcânicas.

 

3. Monte Brasil

O Monte Brasil formou-se a partir de actividade vulcânica submarina, em águas pouco profundas, estando ligado à parte média da costa sul da ilha Terceira. A defesa estratégica da cidade e baía de Angra do Heroísmo levaram à construção de inúmeras fortificações na península ao longo de cinco séculos, onde se destaca o Forte de S. João Batista (séc. XVI), uma jóia da arquitectura militar, com os seus impressionantes 4 km de muralhas que rodeiam o Monte.

Angra do Heroísmo
Angra do Heroísmo

O século XX assistiu a um reforço da vocação militar do local com a instalação de baterias antiaéreas, durante a segunda guerra mundial. No entanto, o cultivo de hortícolas que ali se chegou a praticar pronunciava uma função muito mais pacífica, a de Reserva Florestal de Recreio do Monte Brasil. Ao vasto património paisagístico e arquitectónico (militar), foram acrescentados a riqueza botânica e os equipamentos de lazer que transformaram o Monte Brasil no parque urbano de Angra do Heroísmo.

 

4. Serra do Cume

A espectacular Serra do Cume, uma das maiores atracções da Ilha Terceira, é resultado de uma erupção vulcânica, a formação rochosa chama a atenção pela exuberância e pela vista privilegiada de grande parte da porção de terra circundada de água por todos os lados. Durante a Segunda Grande Guerra, a Serra do Cume abrigou instalações militares, instaladas estrategicamente para observar e guardar aquela porção oceânica. No seu ponto mais alto, a Serra do Cume eleva-se a 545 metros de altura, permitindo uma observação ampla e de excelente visibilidade.

Serra do Cume
Serra do Cume

De uma de suas faces avista-se a cidade da Praia da Vitória e sua baia, a Base Aérea e a Planície das Lajes. De outra, a visão é da imensa planície e sua vegetação, além dos muros naturais de pedra. Para facilitar a visita à Serra do Cume, em 2008 foram concluídas as obras dos Miradouros da Serra do Cume, uma obra fantástica que permite a observação de ambas as faces da formação geológica. As planícies do interior da ilha são conhecidas pelas suas “mantas de retalhos”, nome dado aos quadriláteros separados pelos muros de pedra vulcânica que abrigam as plantações das culturas locais, e que chamam muito a atenção pela sua forma geométrica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here