Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar na Áustria

Os 12 melhores locais para visitar na Áustria

É um dos segredos mais bem guardados da Europa e tem muito para ver além de Viena. Estes são os melhores locais para visitar na Áustria.

446
0
Áustria
Áustria

A Áustria é um dos países europeus com mais qualidade de vida e também considerado como sendo um dos mais seguros. Este pequeno país da Europa Central sempre teve uma história atribulada. Ao longo dos séculos perdeu muito do seu território e apenas deixou de ser considerado um império no século XX. Faz fronteira com vários países, incluindo a Alemanha, a Eslovénia, a Suíça e a Itália. A maioria dos turistas visita apenas a sua capital, Viena. No entanto, a Áustria tem muito mais para descobrir do que apenas a sua belíssima capital. É ainda um destino popular para quem é adepto de desportos de Inverno graças às suas montanhas repletas de neve de elevada qualidade. Também possui um sem número de pequenas vilas históricas que são autênticos tesouros para descobrir. Estes são os melhores locais para visitar na Áustria.

 

1. Viena

Uma imponente oferta cultural, lugares turísticos fascinantes e o acolhedor ambiente vienense podem ser vivenciados nos cafés ou nos Heurigen (típicas tabernas austríacas), que proporcionam à cidade sua fama mundial. A história de Viena remonta ao primeiro século depois de Cristo, quando os romanos fundaram o acampamento militar “Vindobona”. Atualmente, a imagem da cidade está marcada principalmente pelo Barroco, especialmente o do período da regência da imperatriz Maria Teresa e do imperador Francisco José, que mandou construir a luxuosa alameda Ringstraße.

Viena
Viena

A sumptuosidade imperial no Palácio de Schönbrunn, antiga residência de verão do imperador, seduz com seu belo parque, a Casa das Palmeiras (Palmenhaus), a praça e o jardim zoológico. No Palácio de Hofburg, de onde o império dos Habsburgo regia, o visitante pode mergulhar no fascinante dia-a-dia da família imperial. O Palácio de Balverde, de estilo barroco, acolhe hoje a Galeria da Áustria, que apresenta a maior colecção de obras de Klimt e Kokoschka, além de proeminentes obras de Schiele. Os símbolos de Viena são a Catedral de São Estêvão, situada no centro histórico, a Roda Gigante, situada no Wiener Prater, um tradicional parque de diversões, e a Escola Espanhola de Equitação, com sua famosa dança dos Lipizanos.

 

2. Graz

Situado bem no meio da cidade, reina o Schlossberg, um castelo com bosque, por onde é possível passear. Do forte, hoje resta apenas a Torre do Relógio (Uhrturm), que se mantém em sua totalidade e é o símbolo da cidade. Como novo símbolo, desde 2003, o edifício Kunsthaus flutua sobre a margem direita do Mur, como uma gigante e resplandecente bolha azul. Na cidade de 305.000 habitantes, entre tradição e vanguarda, o visitante encontrará monumentos como a catedral de estilo gótico tardio, que lembra a época em que Graz era uma cidade imperial, o mausoléu onde descansa o imperador Fernando II, o Landeszeughaus (museu militar), impressionante com suas 32.000 importantes armas históricas e apetrechos expostos em cinco andares, e o edifício do Landhaus (governo regional), com seus pórticos renascentistas e que quase pode ser considerado um “Palazzo” veneziano.

Graz
Graz

No princípio do século XIX, o arquiduque Juan fundou o maior museu regional da Áustria, o Joanneum, onde a Estíria deposita sua total confiança no que se refere à ciência, cultura e arte. Por causa do título de capital cultural europeia em 2003, foi construída uma ilha sobre o Mur, a “Murinsel”. Hoje, esta construção metálica com forma de concha meio aberta pode ser visitada diariamente. Festivais culturais de prestígio, como o “Styriarte”, dedicado especialmente à música clássica, ou o Outono da Estíria (Steirischer Herbst), festival que gira em torno do teatro, arte pictórica, cinema, literatura e música, são outras atracções da cidade, assim como seus Verões de Jazz ou concertos no castelo de Eggenberg. Para celebrar acontecimentos e desfrutar de extraordinários eventos, instalações como as do edifício “Kunsthaus”, da Ópera, do Teatro e do Fórum Stadtpark também são excelentes opções.

 

3. Hallstatt

Hallstatt é uma pequena cidade localizada na Áustria, cercada pelo lago Hallstätter See e por montanhas e parece um local saído de um conto de fadas, aquelas cidades que foram construídas para serem cenário de filmes. A cidade é conhecida desenvolveu-se sobretudo graças à indústria do sal e possui inúmeras minas nas montanhas que a circundam. Hallstatt é tão linda que uma companhia estatal minera chinesa, Minmetals Land, construiu na China, em 2011, uma cópia fiel da cidade. Por isso, encontramos muitos e muitos turistas chineses na cidade que vão para conhecerem a cidade original e comparar com a cópia chinesa.

Hallstatt
Hallstatt

Em 1997, Hallstatt e toda a região denominada Salzkammergut, entraram para a Lista de Património Mundial da UNESCO com a seguinte descrição: “A actividade humana no magnífico cenário natural do Salzkammergut começou em tempos pré-históricos, com os depósitos de sal sendo explorados já no A.C.. Este recurso formou a base da prosperidade da área até meados do século XX, uma prosperidade que se reflecte na bela arquitectura da cidade de Hallstatt.”

 

4. Salzburgo

No meio da cidade ergue-se a colina do castelo, com penhascos tão íngremes de perder o fôlego. As rochas alpinas e a fortaleza intacta de Hohensalzburg, construída sobre a colina, dominam a paisagem tão conhecida dos postais de Salzburgo. A visita ao maior burgo totalmente preservado da Europa Central oferece o prelúdio perfeito de uma excursão a Salzburgo por duas razões. Em primeiro lugar, temos uma vista perfeita dos destinos a serem visitados mais tarde: a residência arcebispal construída no início do barroco com quartos pomposos e a galeria de artes (Residenzgalerie) com pintura europeia dos séculos XVI a XIX são os melhores exemplos. Ao mesmo tempo, a fortaleza nos faz sentir o enorme charme histórico de Salzburgo, que compõe um ambiente adequado para a genialidade de Wolfgang Amadeus.

Salzburgo
Salzburgo

Os vestígios deixados pelo génio dão sinais da rota a ser seguida, tal como a vastidão fria da Catedral de Salzburgo, onde Mozart foi baptizado. Uma visita à casa natal de Mozart, na Getreidegasse, onde o talentoso compositor ouviu seus primeiros sons em 27 de Janeiro de 1756, nos conduz à pitoresca cidade antiga. À noite, casas altas e estreitas e jardins românticos são mergulhados na luz esbranquiçada lançada pelos postes. Não é de se admirar que este quarteirão medieval ainda intacto tenha sido nomeado Património Cultural da Humanidade. A música barroca de Mozart criou universos sonoros complexos. Mas os construtores da sua época também favoreceram grandiosamente a cidade de Salzburgo. As linhas curvas e as cores vivas do barroco podem ser vistas no Palácio Mirabell e nos canteiros floridos dos jardins adjacentes. No Palácio Hellbrunn, localizado próximo à cidade, as inúmeras fontes de água exibem a mesma engenhosidade: a vivacidade barroca proporciona aqui momentos de extraordinária beleza.

1
2
3
Artigo anteriorLíngua Portuguesa: os 10 melhores poemas de Olavo Bilac
Próximo artigoOs 12 melhores locais para visitar em Viena

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here