Início Viagens Os 10 monumentos mais bonitos de Lisboa

Os 10 monumentos mais bonitos de Lisboa

Da Torre de Belém ao Mosteiro dos Jerónimos, do Padrão dos Descobrimentos ao Castelo de São Jorge. Os 10 monumentos mais bonitos de Lisboa.

40107
2
património mundial
Mosteiro dos Jerónimos - Uxio

Lisboa, cidade milenar, possui imensos monumentos para visitar. No entanto, apesar da sua antiguidade, Lisboa possui poucos monumentos com mais de 250 anos por causa da devastação causada pelo terramoto de 1755, que destruiu praticamente todas as construções da cidade. Apesar disso, restam alguns monumentos construídos antes do sismo e, os que foram construídos depois, são belos e imponentes. Descubra os 10 monumentos mais bonitos de Lisboa.

 

1. Mosteiro dos Jerónimos

O Mosteiro dos Jerónimos situa-se perto da costa da freguesia de Belém. O mosteiro é um dos monumentos mais importantes da arquitectura estilo manuelino em Lisboa, considerado Património Mundial pela UNESCO em 1983, juntamente com a vizinha torre de Belém.

património mundial
Mosteiro dos Jerónimos – Joe Price

O mosteiro foi mandado construir por D. Manuel I para perpetuar a memória do Infante D. Henrique. Foi fundado em 1496, na altura como Mosteiro de Sta. Maria de Belém. Aqui se encontram sepultados alguns rei portugueses como D. Manuel I e sua mulher, D. João II e sua mulher, e alguns poetas como Luís Vaz de Camões e Fernando Pessoa.

 

2. Torre de Belém

A Torre de Belém é uma torre fortificada, localizada na freguesia de Santa Maria de Belém. É Património Mundial devido ao papel significativo que desempenhou nas descobertas marítimas portuguesas. O edifício foi encomendado pelo rei João II para ser parte de um sistema de defesa na foz do rio Tejo e uma porta de entrada para Lisboa.

património mundial
Torre de Belém

Construída em 1515 como uma fortaleza para proteger a entrada do Porto de Lisboa, a torre de Belém foi o ponto de partida para muitas das viagens de descoberta, e para muitos os marinheiros foi a última visão da sua pátria.

 

3. Palácio Nacional da Ajuda

O Palácio Nacional da Ajuda é um monumento neoclássico na freguesia de Ajuda da cidade de Lisboa. Foi construído no local de um edifício de madeira temporário para abrigar a família real após o terramoto de 1755. Foi originalmente iniciado pelo arquitecto Manuel Caetano de Sousa mas, mais tarde, foi confiado a José da Costa e Silva e Francisco Xavier Fabri, que planearam um elegante edifício em estilo neoclássico moderno.

palácios mais bonitos de Portugal
Palácio Nacional da Ajuda

Desde 1019 que o Palácio Nacional da Ajuda é um monumento nacional, não só a antiga habitação real e museu de artes decorativas mas também a sede de outras instituições portuguesas ligadas à cultura e palco de cerimónias protocolares.

 

4. Castelo de São Jorge

O Castelo de São Jorge é um dos monumentos mais emblemáticos de Lisboa, situado na mais alta colina da cidade. A mais antiga fortificação no local conhecida data do séc. II a.C, embora vestígios aqui encontrados datem do séc. VI a.C. A arqueologia permitiu ainda descobrir vestígios de fenícios, gregos, cartagineses, romanos e muçulmanos, comprovando a ocupação humana constante desde tempos remotos. O castelo propriamente dito teve a sua fundação nos séculos X e XI, quando Lisboa era uma importante cidade portuária muçulmana. Em 1147, o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, conquistou o castelo e a cidade aos mouros. Entre o séc. XIII e o séc. XVI teve o seu período mais importante. No séc. XVI, foi no castelo que o rei D. Manuel I recebeu Vasco da Gama depois da sua viagem marítima à Índia e que a primeira peça de teatro portuguesa, da autoria de Gil Vicente, foi representada, por ocasião do nascimento do rei D. João III.

Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge

Declarado Monumento Nacional em 1910, sofreu grandes obras de restauro durante o séc. XX, que lhe deram o aspecto actual. É um dos locais mais importantes da cidade e um espaço de lazer muito concorrido pela população dos bairros envolventes. Pode-se dizer que tem a melhor vista da cidade e do Rio Tejo. No interior, destaca-se o núcleo museológico, onde se pode ver a história de Lisboa, e a Torre de Ulisses. O fundador lendário da cidade dá nome à antiga Torre do Tombo do castelo onde um periscópio permite observar a cidade em 360º em tempo real.

 

5. Elevador de Santa Justa

O elevador de Santa Justa, também chamado de elevador do Carmo, é um elevador na freguesia de Santa Justa, situado na extremidade da Rua de Santa Justa. Liga a Baixa ao Bairro Alto.

Elevador de Santa Justa – Joe Price

Foi construído por Raoul de Mesnier du Ponsard, francês nascido em Portugal, um aprendiz de Gustave Eiffel, explicando semelhanças na estrutura com a Torre Eiffel de Paris. Desde a sua construção, que o elevador se tornou numa atracão turística para Lisboa.

 

6. Convento do Carmo

O Convento do Carmo, em Lisboa, foi construído na sequência da vitória de Aljubarrota, tal como aconteceu com o Mosteiro de Santa Maria da Vitória. O Convento foi dedicado a N. Sra. do Vencimento, no Monte do Carmo, e surgiu para que se cumprisse o voto feito pelo Condestável D. Nuno Álvares Pereira, quando decorria o ano de 1389. Este foi desde sempre um convento protegido, não só pelo seu fundador, que o dotou de um vasto património, mas também por D. Duarte e D. Afonso V, reis de Portugal. O local escolhido para a sua construção, tinha um grande significado quer para o D. Nuno Álvares Pereira, quer para a ordem carmelita a quem este se destinava.

Convento do Carmo

No entanto, desde o início da construção que se encontraram grandes dificuldades técnicas, não só a nível dos alicerces, que cederam por duas vezes, mas também a nível do suporte da cabeceira. Por isso, numa terceira tentativa de construção, o seu fundador decidiu contratar os três irmãos Eanes, Afonso, Rodrigo e Gonçalo, sendo estes três conceituados mestres-de-obras. Na verdade, esta foi uma das maiores campanhas arquitectónicas que Lisboa já havia visto sendo que foi usado para a sua construção um grande contingente humano e tendo também sido aqui introduzidas várias novidades que haviam sido já experimentadas no estaleiro da Batalha.

 

7. Padrão dos Descobrimentos

O Padrão dos Descobrimentos foi inaugurado em 1960 como comemoração dos 500 anos da morte do Infante D. Henrique. A sua fachada tem esculpidas 33 figuras ilustrativas da época dos Descobrimentos, sendo que a mais imponente é a do Infante D. Henrique.

Padrão dos Descobrimentos

Ao seu lado está um mapa do Mundo desenhado no chão, com todas as rotas que os portugueses traçaram durante os Descobrimentos. É possível subir ao topo deste monumento para ter acesso a uma vista deslumbrante sobre o Rio Tejo e Belém.

 

8. Panteão Nacional

O Panteão Nacional está situado na Igreja de Santa Engrácia e existe desde 1916. Muitas figuras da história portuguesa estão lá sepultadas, como por exemplo Amália Rodrigues, Almeida Garrett e alguns Presidentes da República.

Panteão Nacional
Panteão Nacional

Estão também presentes memoriais dedicados a algumas figuras importantes da história portuguesa que não estão lá sepultadas, como Luís de Camões, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, entre outros.

 

9. Igreja de São Vicente de Fora

As origens do Mosteiro de São Vicente são bem antigas (por aqui terão mesmo as tropas de D. Afonso Henriques ficado acampadas aquando a importante tomada de Lisboa aos Mouros, em 1147), contudo o presente edifício foi construído entre 1582 e 1629, pelo plano do muito conceituado Filippo Terzi.

São Vicente de Fora – Joe Price

A fachada do Templo, atribuída a Baltazar Álvares, apresenta um estilo Maneirista sóbrio, de influência Italiana mas adaptado ao estilo Português, ladeado por torres e albergando as imagens de Santo Agostinho, São Sebastião e São Vicente. Este modelo arquitectónico viria a constituir a base das fachadas dos templos construídos nas colónias Portuguesas em África, Índia, Macau ou Brasil.

 

10. Igreja de São Roque

A Igreja de São Roque é uma igreja católica em Lisboa, dedicada a São Roque e mandada edificar no final do século XVI, com colaboração de Afonso Álvares e Bartolomeu Álvares. Pertenceu à Companhia de Jesus, sendo a sua primeira igreja em Portugal, e uma das primeiras igrejas jesuítas em todo o mundo.

Igreja de São Roque
Igreja de São Roque

Foi a igreja principal da Companhia em Portugal durante mais de 200 anos, antes de os Jesuítas terem sido expulsos do país no século XVIII. A igreja de São Roque foi um dos raros edifícios em Lisboa a sobreviver ao Terramoto de 1755 relativamente incólume. Tanto a igreja como a residência auxiliar foram cedidas à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para substituir os seus edifícios e igreja destruídos no sismo. Continua a fazer parte da Santa Casa hoje em dia.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Fui a Portugal e fiquei encantada com tudo que vi por lá. Pretendo voltar para ir as cidades que não tive a oportunidade de ver. Portugal é um dos países mais lindos que já conheci. AMO PORTUGAL!!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here