Início História 10 anedotas verídicas da história de Portugal

10 anedotas verídicas da história de Portugal

Reis com problemas com sinos, padres queixam-se que os fiéis não morrem, rainhas engravidam do Espírito Santo. Anedotas verídicas da história de Portugal.

67329
0
PARTILHE
Batalha de São Mamede

1. A POTÊNCIA DO REI AFONSO VI

Rei D. Afonso VI
Rei D. Afonso VI

O Rei D. Afonso VI era tão parvo que não conseguia arranjar mulher para si, excepto nos prostíbulos lisboetas, pelo que foi o Marquês de Sande (D. Francisco de Melo) a ir buscar mulher, D. Maria Francisca Isabel, na Casa de Sabóia (cujo brasão está no Paço real de Sintra). Chegada a 2/8/1666 a Lisboa, já casada, pede nos Tribunais Eclesiásticos a anulação do casamento, em 22/11/1667, com o fundamento na sua não consumação, por o rei ser impotente.

Formaram-se 2 partidos em Portugal: o da potência e o da impotência! Os partidários da impotência admitiam o rei gostar da caça, mas que depois não era capaz de comê-la. Acrescentavam que a paralisia infantil não lhe colheu, apenas os membros do lado direito.

Os partidários da potência apontavam a frequência dos prostíbulos e a informação da rainha ir dar um filho! A certa altura, para desempatar, os defensores da potência avançaram com um exame médico à virgindade da rainha!

Prevendo o mau resultado, opuseram-se ao exame, dizendo que o véu himenal é o selo de garantia com que o criador especializou a fêmea do homem e que o rompimento desse selo pelos dedos do examinador constituía uma forma grosseira, artificial, ensonsa e indigna de rasgar tal marca de autenticidade (VB-176/7).

O Papa Clemente IX deu a dispensa por motivo de impotência de Afonso VI, apesar do avançado estado de gravidez da rainha!

2. COMENDA DE TORRE-E-ESPADA PARA AMANTES DA MULHER
No Brasil, o nosso rei D. João VI recompensava os amantes da mulher com a comenda de Torre-e-Espada, mas não podendo dizer o porquê da condecoração, escrevia dos “justos e particulares motivos que tenho presentes”

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here