Início Viagens Visitar Viana do Castelo: o que ver e o que fazer na...

Visitar Viana do Castelo: o que ver e o que fazer na jóia da Costa Verde

No litoral Atlântico, perto da fronteira com Espanha, encontra-se a bela cidade de Viana do Castelo. Conheça toda a riqueza que esta tem para oferecer.

0
Viana do Castelo
Viana do Castelo

O que visitar em Viana do Castelo? Esta é uma cidade que tem uma lenda curiosa por trás do seu nome. Os antigos dizem que havia um grande castelo que as pessoas gostavam de admirar e por vezes, algumas conseguiam ver uma princesa através de uma das janelas.

Tratava-se de uma rapariga com uma beleza admirável que por não gostar de ser observada, escondia-se quando reparava que alguém a olhava. Sendo assim, ver esta princesa era um privilégio e quando isto acontecia dizia-se “eu vi Ana no Castelo” e, segundo a lenda, foi assim que surgiu o nome da cidade.

É vista como uma das cidades mais bonitas do Norte de Portugal e considerada “a joia da Costa Verde”. Com estes títulos, entende-se que Viana do Castelo é uma cidade de paragem obrigatória localizada no litoral norte do país. 

1. Quando visitar Viana do Castelo

Os melhores meses para visitar Viana do Castelo são os meses entre abril e setembro, sendo caraterizados pelo seu tempo agradável. Desde julho até setembro, o tempo é (quase) considerado perfeito para aproveitar a bela região do litoral norte.

2. O que visitar em Viana do Castelo?

Viana do Castelo é, atualmente, uma cidade com muitos motivos de interesse como a história, as paisagens e a cultura. Conheça estes pontos da região.

2.1. Praça da República

Praça da República
Praça da República

Todos os caminhos, em Viana do Castelo, vão dar à Praça da República, sendo esta a principal praça e centro da cidade. É um lugar dedicado ao comércio, passeio e lazer, mas trata-se, sobretudo, de uma zona emblemática. Aqui podem-se contemplar três monumentos que marcam o século XVI de uma forma especial, uma vez que foram todos considerados “monumentos nacionais” – o Chafariz, os Antigos Paços do Concelho e o Edifício da Misericórdia.

2.2. Sé Catedral de Viana do Castelo

Sé Catedral de Viana do Castelo
Sé Catedral de Viana do Castelo

Situada no centro histórico, a Sé Catedral de Viana do Castelo detém uma bonita fachada inspirada na arquitetura românica e um belo interior onde se encontram cinco capelas e um altar de estilos diferentes.  As suas torres mostram a revelam a inspiração na cultura medieval deste que é considerado um imóvel de interesse público.

2.3. Museu do Traje

Museu do Traje
Museu do Traje

Igualmente no centro histórico da cidade, pode-se visitar o Museu do Traje que apresenta, através de diversas exposições, a riqueza e a beleza dos trajes tradicionais de Viana que tão reconhecidos são pela quantidade de ouro carregada neles.

Estes trajes destacam-se pela sua originalidade, criatividade e diversidade de matérias primas e técnicas que fazem parte das confeções destas populares peças. Para além disto, o museu também apresenta outras peças de vestuário que são identificativas da região do Minho.

2.4. Jardim da Marginal

Jardim da Marginal
Jardim da Marginal

Admirar a estátua de Viana apenas é possível ao passear pelo Jardim da Marginal, localizado junto à foz do Rio Lima. É um jardim cuidado que proporciona passeios agradáveis e momentos de lazer e repouso neste que é o espaço verde mais antigo da cidade.

2.5. Santuário de Santa Luzia

Viana do Castelo
Santa Luzia – Viana do Castelo

Trata-se de um grande monumento da arquitetura romântica em cima de um monte, onde é possível ter uma vista privilegiada para uma grande parte da cidade. É, sem dúvidas, um dos santuários mais bonitos de Portugal.

Sendo o ícone mais carismático da cidade, o Santuário de Santa Luzia é considerado o ex-libris desta região, atraindo imensos turistas que atravessam o seu interior detentor de uma beleza incrível, até chegar ao topo e maravilharem-se com a paisagem espetacular sobre a cidade. 

2.6. Citânia de Santa Luzia

Citânia de Santa Luzia
Citânia de Santa Luzia

Neste monte, pode-se encontrar os vestígios da Citânia de Santa Luzia, classificada como monumento nacional. O povoado fortificado da Época Romana da Citânia, conhecida localmente por “cidade velha” é um dos castros mais conhecidos na região norte de Portugal.

2.7. Igreja de Nossa Senhora da Agonia

Igreja de Nossa Senhora da Agonia
Igreja de Nossa Senhora da Agonia

Com influências do barroco brasileiro e situada no campo da Agonia, a Igreja de Nossa Senhora da Agonia foi edificada em meados do século XVIII e atualmente, é um belo ícone da arquitetura religiosa presente na cidade. Apesar da sua simples aparência exterior, o interior da igreja é algo que é de uma beleza absolutamente extraordinária com detalhes da cor do ouro.

2.8. Navio Hospital Gil Eannes

Navio Escola Gil Eannes
Navio Hospital Gil Eannes

O Navio Hospital Gil Eannes iniciou a sua atividade como hospital em 1955, com o intuito de apoiar a antiga frota bacalhoeira portuguesa que atuava nos bancos da Terra Nova e Gronelândia. Com o projeto de reconversão, este navio foi transformado num Núcleo Museológico e Centro de Mar que proporciona aos seus visitantes uma experiência incrível pelos diferentes espaços de uma embarcação e simultaneamente, de uma zona hospitalar.

2.9. Moinhos de Montedor

Moinhos de Montedor

Situados na colina de Montedor, mais precisamente no concelho de Carreço, encontram-se dois moinhos de vento que integram o núcleo museológico “Moinhos de Montedor”. Estes foram recuperados e estão em atual funcionamento: um para moer milho e outro que serve de núcleo de informação sobre os mesmos.   

2.10. Cascata do Pincho

Cascata do Pincho

A 20 km de distância da cidade de Viana do Castelo, encontra-se um grande paraíso natural – a Cascata do Pincho – que está enquadrado num trilho circular com 10 km de comprimento. É caraterística pelo som denunciante da queda de água e pelas suas águas cristalinas que tanto apaixonam aqueles que a visitam.

3. O que fazer em Viana do Castelo

Uma visita a Viana do Castelo só estará completa se, além de visitar os seus muitos monumentos e pontos de interesse, também optar por realizar algumas atividades que lhe irão possibilitar conhecer melhor a cidade.

3.1. Percursos pedestres

Em baixo, são apresentados quatro percursos pedestres que dão a conhecer a região de Viana do Castelo. Rio, mar e montanha – são estes quase todos os cenários destes trilhos. Eis algumas sugestões:

São vários os pontos de interesse que se encontram ao longo do trilho do “Pôr-do-Sol”, como é o caso da Capela de São Mamede, do Relógio de Sol e Moinhos de Pedrulhos, os Moinhos e o Relógio de Espantar, entre outros. Trata-se de um trilho fácil com 10 km de distância, que tem como ponto de partida e de chegada o Antigo Viveiro Florestal.

Apesar da sua dificuldade moderada, o trilho do “Vale do Lima”, vale realmente a pena para todos aqueles que têm um grande carinho pela natureza. Este é um percurso circular com 15 km, tendo como ponto de partida e de chegada a Capela e Cruzeiro de São Sebastião. Tem como pontos de interesses a Igreja Paroquial de Santa Maria, o Lagar de azeite, a Capela de Santa Bárbara, entre outros.

Moinhos de Montedor
Moinhos de Montedor

O trilho dos “Moinhos de Vento de Montedor” é um percurso bastante curto com menos de dois quilómetros e por isso, é denominado de Pequena Rota. O seu caminho é muito idêntico àquele que é feito no trilho do “Forte de Paçô”. É um percurso circular paisagístico que é fácil de ser feito, partindo da praia de Fornelos e acabando neste mesmo sítio. 

Paisagístico, ecológico e cultural – é assim que é caraterizado o trilho da “Montanha Sagrada”. O largo do Souto, é o ponto de partida como de chegada do percurso cuja dificuldade é considerada moderada ao longos dos 19 km percorridos. O Mosteiro de São João de Arga, a Fonte da Urze, a Senhora do Minho e a Porta da Vila são alguns dos pontos de interesse que se encontram ao longo do trilho.

3.2. Atividades em Viana do Castelo

Já experimentou fazer canoagem? Poderá realizar esta atividade nas águas calmas do Rio Lima, fazendo um passeio ao longo dos seus cinco quilómetros de extensão. Esta atividade, quando feita com companhia, pode ser bastante divertida entre todo o ambiente que a mãe natureza proporciona no seu estado mais puro. 

Passear a cavalo pode ser uma experiência inesquecível, ainda para mais se este passeio for por um percurso paradisíaco. Durante três horas são atravessados campos, montanhas, caminhos rurais e praias selvagens, onde a incrível beleza de cada paisagem é garantida.

4. Onde comer e dormir em Viana do Castelo

Mesmo no centro histórico da cidade, a dois passos da emblemática Praça da República, encontra-se “O Laranjeira”, que, tal como refere o próprio site, não se trata de um hotel nem de um hostel, mas sim de uma casa familiar e de um restaurante. Esta é uma opção com uma boa relação de preço-qualidade e com um ambiente muito acolhedor que retrata os costumes e tradições da cidade.

O “Porta 93” é um dos restaurantes que chegou para dar frescura à cidade. Aqui é apresentado um leque grande de receitas típicas da região assim como alguns pratos que, com o passar do tempo, foram esquecidos. Neste espaço pode contar com refeições minhotas reinterpretadas.

Envolvida na vegetação e no ambiente tranquilo, a “Quinta da Bouça D’Arques” encontra-se a dez quilómetros da cidade de Viana do Castelo. Todos os hóspedes têm à sua disposição diversas casas equipadas, uma piscina exposta ao sol e uma cesta de pequeno-almoço servido à porta de cada casa. Para além disto, a Quinta também dispõe de um bosque onde é possível dar umas caminhadas pelo fim da tarde e realizar alguns dos trilhos.

“O Camelo”, às portas da cidade, é um restaurante com uma carta variadíssima, onde se destacam os seus típicos pratos como é o caso do bacalhau à Camelo, do cabritinho assado no forno, da lampreia e do famoso cozido à portuguesa. Aqui as horas de almoço estendem-se até mais tarde, devido ao bom ambiente e aos bons pratos que saem da cozinha.

O Atlântico faz companhia a todos os que pelo “Hotel Flor de Sal” passam. Detém cerca de 60 quartos, um restaurante e um bar, um centro de fitnesse que inclui alguns elementos de spa como o banho turco e a sauna, duas piscinas – interior e exterior – e ainda, um jardim. O luxo deste hotel é discreto com uma decoração minimalista.

Comparada com as maiores cidades do litoral português, esta não é uma das que mais se enche de turistas. Porém, isto é consequência da sua localização e não das suas potencialidades. A união entre o Atlântico, o Rio Lima e as montanhas fez com que esta cidade tivesse um encanto diferente e merecedor de ser deslumbrado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here