Início Sociedade Os defeitos (e as qualidades) dos portugueses contados por um espanhol

Os defeitos (e as qualidades) dos portugueses contados por um espanhol

Escrito por um estrangeiro e cheio de verdades sobre nós próprios. Conheça os defeitos dos portugueses aos olhos de um cidadão espanhol.

18159
7
COMPARTILHE
portugueses
Viana do Castelo

 

Caros amigos portugueses, permitam-me que vos trate por irmãos, tal como vocês nos tratam a nós, os espanhóis, por “nuestros hermanos”. Amo o vosso país com todo o meu coração. Preciso de vos contar, ante de começar, que amo tanto o vosso país que me casei com uma portuguesa, tenho duas filhas portuguesas e vivo em Portugal há 10 anos. Vivo em Portugal o tempo suficiente para me poder considerar também um pouco português mas também para poder ver, como quem vê de fora, o bom e o mau que este maravilhoso país e este maravilhoso povo possuem. Não pensem, meus caros irmãos portugueses, que isto é uma crítica. É apenas uma forma de vos dizer o quanto vos amo e também, ao mesmo tempo, o quanto vocês me confundem por vezes.

Não fiquem tristes ou furiosos com as minhas palavras. E espero que, quando lerem as minhas palavras, percebam que apesar das críticas, vos amo com todo o meu coração. E como é óbvio, nem todos os portugueses são como as minhas palavras os descrevem mas, pela minha próxima experiência, posso dizer que uma grande parte de vocês se irá rever no meu texto. De qualquer das formas, esta é a minha lista de defeitos e de coisas menos boas dos portugueses.

 

1. Vocês prestam demasiada atenção à opinião dos estrangeiros

Nunca vi um povo que se preocupasse tanto com aquilo que os outros pensam deles. De cada vez que há um ranking, bom ou mau, é motivo de notícias e de intenso e acalorado debate nas redes sociais. Portugal tem a rua mais bonita do mundo? As televisões fazem reportagens em directo nessa rua e entrevistam 200 pessoas com perguntas descabidas sobre a rua. Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo? São centenas de artigos na internet a falar da notícia. Portugal tem a maior área ardida da Europa em 2017? Fazem-se debates sobre o tema.

Confessem: vocês vibram com este tipo de notícias e rankings. Nestes anos em que vivo em Portugal tenho tentado encontrar a justificação para este comportamento e só me ocorre uma: a falta de auto-estima. Portugueses: vocês valem muito mais do que aquilo que imaginam. Deixem de olhar para rankings e concentrem-se em apreciar vocês próprios o vosso país. Não precisam que um estrangeiro vos diga que têm o melhor vinho do mundo, o melhor queijo do mundo, etc… são vocês mesmo que têm que achar que as vossas coisas são boas e valorizá-las.

 

2. Vocês oscilam entre a euforia e a depressão

Lembram-se de vos ter falado da vossa paixão pelos rankings? Pois bem… sempre que um ranking é positivo, vocês exaltam de alegria, de orgulho e de optimismo. Mas se o ranking é mau, vocês entram numa espiral depressiva e de repente, o que tudo era fantástico, passou agora a ser uma catástrofe. Se Portugal é campeão da Europa em futebol, o vosso orgulho excede tudo o se possa imaginar. Se Portugal possui a maior percentagem de alunos que não completam o ensino secundário, então tudo passa a ser mau no vosso país.

Portugal é extraordinário em muitas coisas mas não precisa de ser o melhor em tudo para ser bom. Percebam isso! O vosso sistema de saúde, por muito que vocês o critiquem, é um dos melhores do mundo. Basta verem as estatísticas sobre a esperança média de vida, por exemplo. O vosso sistema de ensino, embora possa ser melhorado, faz inveja a muitos países da Europa. Meus irmãos portugueses: vivam a vida com mais calma e não se exaltem demasiado nem se deprimam demasiado.

 

3. Vocês acham que percebem tudo sobre tudo

É algo que nunca compreendi muito bem: um português típico sabe tudo sobre política e tem a receita mágica para governar o país, sabe tudo sobre futebol e se fosse treinador ganhava a Liga dos Campeões, sabe tudo sobre saúde e passa a vida a aconselhar os amigos sobre os melhores medicamentos, sabe mais sobre educação do que a professora do seu filho. Convençam-se: vocês não sabem quase nada sobre política, por exemplo. Prova disso, é que vocês acham que a dívida pública se resolve diminuindo o ordenado dos políticos.

Meus amigos: essa medida iria diminuir os gastos do estado em 10 ou 15 milhões de euros, mas a dívida pública é de mais de 250 mil milhões de euros. Talvez fosse melhor, em vez de acharem que sabem tudo, confiar em quem efectivamente sabe. E isto aplica-se à política, à educação, ao futebol. Confiem em mim: a professora do vosso filho merece o vosso respeito e sabe mais de educação do que vocês.

 

4. Vocês têm memória curta

A vossa memória é boa quando diz respeito aos amigos. Mas não é muito boa em relação a outras coisas, especialmente à política. Lembram-me de vos ter dito que vocês não percebiam muito de política? Pois… este ponto é uma espécie de continuação. Alguns de vocês, que viveram no tempo de Salazar, já se esqueceram do quanto sofreram e hoje dizem que sentem saudades desse tempo. E mais… para vocês, a história começa a partir do momento que vocês decidem (ou se lembram melhor).

Prova disso é a forma como falam dos diferentes governos que governaram Portugal nos últimos anos. Reparo, por exemplo, que muitos de vocês criticam um governante pelas medidas impopulares que ele teve que tomar, mas esquecem-se de como esse governante encontrou o país quando foi eleito. Esquecem-se também que, quem governava o país antes dele, está agora a ser julgado por corrupção. E também se esquecem de todas as críticas negativas que fizeram ao vosso presidente da Câmara se ele pavimentar a vossa rua um mês antes das eleições.

 

5. Vocês são uns activistas de sofá

Sim, é verdade. Vocês protestam muito mas… só no Facebook. Protestam contra os incêndios, contra a subida de impostos, contra jantares de gala no Panteão Nacional… mas se for preciso saírem à rua e protestar a sério, raramente o fazem. E se o fizerem, é em autocarros organizados por algum partido político ou sindicato.

Portugal seria um país ainda mais fantástico se as pessoas protestassem realmente em vez de apenas mostrar a sua raiva nas redes sociais. E mais… muitos de vocês ainda criticam os poucos que se atrevem a sair do sofá e ir para o terreno protestar ou ajudar quem mais precisa. Há mais vida para além das redes sociais e a forma de lutar pelos vossos direitos não é a fazer likes.

 

Mas os portugueses não têm apenas defeitos…

Meus irmãos portugueses… não pensem que só tenho críticas para vos fazer. Como vos disse, amo o vosso país com todo o meu coração. E por isso mesmo, para que não pensem mal de mim ou fiquem zangados comigo, tenho que vos falar também de algumas das muitas coisas boas que vocês possuem…

Vocês são um povo sereno, amável e carinhoso. São dos poucos povos do mundo que nos fazem sentir genuinamente em casa e por isso não fico nada admirado quando vejo tantos turistas a falar bem do vosso país e tantos trabalhadores estrangeiros em Portugal a dizer que este é um local formidável para trabalhar e viver.

A vossa comida é das melhores do mundo. Não é apenas a vossa forma de a cozinhar mas também os vossos produtos. Não há melhor vinho ou azeite do que aqueles que são feitos em Portugal pelos portugueses. A vossa fruta e os vossos legumes são excelentes. A carne e o peixe que se vende em Portugal são das melhores do mundo. E se não acreditam, viajem até países como Suécia, Alemanha ou Rússia e tentem comer o peixe e a carne que eles produzem.

O vosso país é lindíssimo. Não é um país de uma beleza perfeita e harmónica. O vosso país prima pela beleza da simplicidade. Em Portugal, mesmo uma casa em ruínas numa aldeia de pedra na Beira Interior consegue ter uma beleza cativante. O vosso país, com a simplicidade das suas pessoas e da sua paisagem, é um país acolhedor, que nos faz sentir em casa, que nos faz regressar às nossas origens.

O vosso sistema de ensino é muito bom. O vosso serviço nacional de saúde é fantástico. As vossas estradas são das melhores do mundo. Os vossos políticos não são assim tão corruptos como vocês dizem (não são tão bons como os políticos do norte da Europa mas são bem melhores do que os políticos de mais de meio mundo). E acima de tudo, os vossos políticos são sensatos. Bem mais sensatos do que os políticos do meu país, a Espanha.

Meus irmãos portugueses… eu próprio me considero um pouco português e por isso quis escrever este texto para vocês. Se vos posso dar uma última e importante mensagem, só teria uma coisa para vos dizer: continuem a ser fantásticos como são, mas tenham um pouco mais de auto-estima. Afinal de contas, vocês são muito melhores do que aquilo que imaginam.

Autor: Miguel Suárez

 

7 COMENTÁRIOS

  1. Sou brasileira e os comentários dos espanhóis a respeito dos portugueses, são bem semelhantes aos comentários sobre o Brasil. Não é a toa que fomos colonizados pelos portugueses

  2. obrigado também gosto dos nossos irmãos , um pouco de atritos faz de nós irmãos de sangue.passamos por muito juntos nesta nossa península juntos seremos sempre família bjs

  3. Só a imagem da fotografia expressa –não é preciso palavras–, em sentido real e metafórico, a beleza e a riqueza do imenso país que se chama Portugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here