Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Marco de Canaveses

Os 12 melhores locais para visitar em Marco de Canaveses

É a terra de Carmem Miranda e faz parte da Rota do Românico. Descubra os melhores locais para visitar em Marco de Canaveses.

7710
0
Marco de Canaveses
Marco de Canaveses

Em terras de Carmen Miranda, Marco de Canaveses, encontramos as jóias de um povo com mais de dois mil anos de história, que se revê e encontra significado na cultura, tradições e sabores que luta por preservar. Do imenso património cultural, destaca-se a Igreja de Santa Maria, projectada pelo arquitecto português Siza Vieira, a Rota do Românico, ancorada em monumentos de histórias e valores excepcionais, e a lendária Cidade Romana de Tongobriga. Da gastronomia autêntica da região, releva-se o inconfundível Anho Assado com Arroz de Forno e os famosos doces regionais. Como um bom prato pede sempre um bom vinho, Marco de Canaveses é ainda retratado pela excelência nos vinhos verdes produzidos nas quintas locais. A riqueza da região prolonga-se, além fronteiras, na arte de extrair e trabalhar o Granito. Estes são os melhores locais para visitar em Marco de Canaveses.

 

1. Parque Fluvial do Tâmega

O Parque Fluvial do Tâmega, inaugurado a 3 de Dezembro de 2008, é constituído por 4 pólos de atracção. O primeiro, é constituído por uma fluvina com capacidade para 40 embarcações e um edifício de apoio onde funciona o Clube Náutico do Marco de Canaveses e um restaurante com vista privilegiada sobre o rio. O segundo, aproveitou uma plataforma natural sobre o rio criando passadiços para a prática de pesca desportiva. Este espaço é servido por uma instalação amovível de apoio onde funciona um bar com esplanada.

Parque Fluvial do Tâmega
Parque Fluvial do Tâmega

O terceiro, numa das plataformas superiores, é constituído uma zona de pique-nique e um parque infantil. O quarto, na margem esquerda do Tâmega junto à Igreja de S. Nicolau, é constituído por uma zona de estar e contemplação ao ar livre, duas plataformas flutuantes para a acostagem de embarcações e para a prática de pesca desportiva. Uma destas plataformas permite a realização de eventos de carácter cultural. Futuramente, surgirá um bar com esplanada.

 

2. Mosteiro de Santa Maria de Vila Boa do Bispo

Implantada numa encosta da margem esquerda do Tâmega, Vila Boa do Bispo impressiona pela sua monumentalidade. Estas dimensões podem ser explicadas pela importância que deteve ao longo dos períodos medieval e moderno, destacando-se a atenção que o poder senhorial lhe dedicou, nomeadamente a linhagem dos Gascos (ou dos Ribadouros). Embora profundamente alterado no período moderno, os vestígios românicos ajudam a compreender a riqueza histórica deste Mosteiro. Na fachada principal destacam-se as duas arcadas cegas que ladeiam o portal, muito originais, que ostentam uma composição característica do românico do eixo Braga-Rates.

Mosteiro de Santa Maria de Vila Boa do Bispo
Mosteiro de Santa Maria de Vila Boa do Bispo

Estes elementos e outros dispersos pela estrutura colocam a construção românica de Vila Boa do Bispo entre os séculos XII e XIII. É provável que, dada a existência de contrafortes, a primitiva capela-mor fosse quadrangular e abobadada. Outro elemento que recorda a edificação medieval e a ligação à nobreza da região são os túmulos subsistentes e que apontam para sepultamentos ao longo dos séculos XIII e XIV. O interior é marcado pelo espírito barroco, que através de várias técnicas e materiais criou um espaço particularmente monumental e luminoso. Sob os caixotões do tecto da capela-mor foi identificado um conjunto de pinturas murais do século XVI, evidenciando a cultura dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho.

 

3. Aldeia de Canaveses

Na margem direita do rio Tâmega, a apenas quatro quilómetros da sede do concelho e dividida pelas freguesias de Sobretâmega e São Nicolau, situa-se a pequena aldeia de Canaveses. O singelo conjunto de casas de traça tradicional em pedra granítica esconde um passado rico em história, palco de grandes feitos militares por altura das Invasões Francesas. Restam ainda inúmeros vestígios desse passado a merecerem visita atenta: a Igreja Paroquial de Santa Maria Maior, a Rua Direita, a Casa da Palmatória, a Capela de São Sebastião, a Casa do Fontainho, a Ponte dos Asnos, a Casa de Penidos e a Casa da Ribeira, restaurada e adaptada para acolher os visitantes. Pensado para receber turistas e de visita obrigatória é o Parque Fluvial do Tâmega, local aprazível na zona ribeirinha, ideal para a prática de actividades desportivas e para o contacto com a natureza.

Aldeia de Canaveses
Aldeia de Canaveses

Ali foi construída uma fluvina, com capacidade para 40 embarcações, um edifício de apoio onde funciona o Clube Náutico do Marco de Canaveses e um restaurante panorâmico, plataformas de pesca desportiva, bar, parque de merendas, parque infantil e um circuito pedonal e de manutenção. É precisamente no Parque Fluvial do Tâmega que parte e termina o recém-criado percurso pedestre “Caminhos de Canaveses”, um trilho de oito quilómetros que engloba toda a freguesia de Sobretâmega, passando na aldeia de Canaveses, que integra a Rota do Românico e a Rota do Vinho do Porto. Prove o pão-podre, típico da região, o anho assado com arroz de forno, o bazulaque e, claro, o vinho verde.

 

4. Tongobriga

Uma autêntica viagem ao passado é o que se propõe a quem visita Tongobriga. Situada na freguesia do Freixo, no concelho de Marco de Canaveses, tem como cartão-de-visita os vestígios arqueológicos de uma antiquíssima cidade romana. Classificada pelo IPPAR como monumento nacional, a Estação Arqueológica do Freixo é a prova de que Tongobriga representava um importante centro de atracção e decisão no final do século I e início do século II. Numa área de cerca de 50 hectares, são visíveis os vestígios das termas, do fórum, zonas habitacionais e uma necrópole. Como não poderia deixar de ser, a aldeia desenvolveu-se em torno deste achado arqueológico. O núcleo urbano do Freixo tem sido sujeito a diversas obras de recuperação e restauro, mas mantém as características de uma aldeia tradicional, com as suas casas de granito, o património religioso, as leiras cultivadas e as suas gentes.

Tongobriga
Tongobriga

Enquanto passeia pela aldeia, dedique especial atenção à Casa do Freixo e à Igreja Matriz. Percorra a pé a rota “Dos Flávios à D. Mafalda”. Por antigos caminhos e vias romanas, deslumbre-se com a paisagem da região! Sobranceira a Tongobriga, situada na meia encosta da Serra de Montedeiras, fica a Quinta do Crasto, especializada em turismo escolar e juvenil. Não deixe de saborear o anho assado com arroz de forno, a broa de milho e os doces do Freixo. E porque não levar uma recordação da Loja do Artesão? Fica na rua dos Judeus, bem no centro da aldeia, e lá encontrará um pouco do melhor artesanato local, tal como, a pequena distância, no Centro de Promoção de Produtos Locais da Dolmen.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here