Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Burgos

Os 12 melhores locais para visitar em Burgos

É conhecida sobretudo pela sua imponente Catedral, uma das mais belas de Espanha. Estes são os melhores locais para visitar em Burgos.

901
0
Burgos
Burgos

Fundada em 884, a cidade de Burgos, também conhecida como a “Terra dos Castelos”, é charmosa, memorável e profundamente enraizada na sua história medieval. O charme desta cidade vem do seu ambiente castelhano setentrional e de uma dispersão de monumentos medievais como a Cartuja de Miraflores e a Abadia de Santa Maria la Real de Las Huelgas.

Burgos
Burgos

Por mais impressionantes que estes locais sejam, a principal atracção da cidade é a extraordinária e imponente catedral gótica. Um exemplo brilhante da incrível arquitectura religiosa da Espanha, é uma presença dominante no horizonte de Burgos e definitivamente imperdível. Como Burgos é uma cidade limpa e tranquila, os visitantes são bem-vindos e encorajados a explorar a cidade a pé para descobrir algumas das partes menos conhecidas mas igualmente belas da região. Quem sabe, você pode até encontrar um requintado restaurante e provar a famosa gastronomia desta cidade. Estes são os melhores locais para visitar em Burgos.

 

1. Catedral de Burgos

A Catedral de Santa Maria de Burgos é, inegavelmente, uma das construções góticas mais espectaculares de todo o continente europeu. Não à toa, é o monumento mais conhecido e visitado da cidade. A sua construção iniciou-se em 1221, sobre um anterior templo românico erguido durante o reinado de Alfonso VI (1065/1109). As obras desta magnífica catedral começaram graças ao incentivo do monarca Fernando III e o Bispo Maurício. O seu estilo gótico foi inspirado nas catedrais francesas de Chartres, Amiens, Reims e na de Notre Dame de Paris. A parte principal da igreja já estava finalizada no final do séc. XIII, e o primeiro arquitecto conhecido é o chamado Mestre Enrique, mencionado num documento em 1261 (também responsável por uma parte da construção de outra catedral gótica fundamental, a de León). As ampliações realizadas nos séc. XV e XVI coincidem com a época dourada da cidade de Burgos.

Catedral de Burgos
Catedral de Burgos

Declarada Monumento Nacional em 1887, recebeu o título de Património da Humanidade em 1984, quando então foram realizados trabalhos de restauração na catedral. A Catedral de Burgos sofreu irreparáveis danos durante a ocupação francesa de início do séc. XIX, quando perdeu boa parte de seus vitrais góticos. As três portas que a compõem foram realizadas e reformadas posteriormente. A central, por exemplo, denominada de Porta do Perdão, foi construída em 1790 no estilo neoclássico, e as laterais foram reformadas no séc. XVII. Na parte central da fachada, vemos a 8 estátuas que representam personagens do Antigo Testamento, esculpidas no séc. XIII. As agulhas foram colocadas a mediados do séc. XV, por Juan de Colónia. O melhor conjunto escultórico da parte exterior da catedral corresponde à Porta del Sarmental, considerado um dos melhores do estilo gótico em todo o país.

 

2. Arco de Santa Maria

Burgos é uma cidade monumental com uma grande quantidade de locais históricos para se conhecer. Um dos seus monumentos mais emblemáticos é o denominado Arco de Santa Maria, a porta de entrada mais importante da antiga muralha medieval. Esta belíssima estrutura comunica a Ponte de Santa Maria, situada sobre o Rio Arlanzón, que atravessa a cidade, com a Plaza del Rey San Fernando, local onde se ergue a sua maravilhosa catedral gótica. Foi construído a partir dos séculos XIV, mas entre 1536 e 1553 foi reformada para receber o Imperador Carlos V na sua visita pela cidade.

Arco de Santa Maria
Arco de Santa Maria

A reforma do Arco de Santa Maria foi realizada pelos arquitectos Juan de Vallejo e Francisco de Colónia, que conceberam um grande arco triunfal, distribuído como se fosse um retábulo feito de pedra. Finalizou-se com a incorporação de várias estátuas, realizadas pelo escultor Ochoa de Arteaga, que representam personagens de relevância do antigo Reino de Castilla, da própria cidade de Burgos e de Espanha. O arco está presidido pela Virgem de Santa Maria, padroeira da cidade. Entre os personagens representados, destacam o herói castelhano El Cid, que viveu na cidade. O Arco de Santa Maria foi a sede do governo da cidade até à construção da actual Casa Consistorial, erguida no século XVIII e situada na Plaza Mayor de Burgos. O mais interessante é que podemos visitar seu interior. Uma escada de origem medieval conduz-nos à sala principal.

 

3. Muralhas e Castelo de Burgos

Apesar das transformações ocorridas nos últimos séculos, a Idade Média deixou um importante legado em Burgos, ainda visível num passeio pela cidade. Uma das principais construções deste período histórico é o Castelo, situado no Cerro de la Blanca ou das Flores, que a 75 metros sobre a própria cidade, era um local perfeito para a edificação de uma fortaleza militar. O Castelo de Burgos foi construído durante o reinado de Alfonso III no ano de 884, coincidindo com a fundação da própria cidade. Está constituído por uma muralha com 2.30 metros de grossura com torres almenadas no seu entorno. Entre os séculos XI e XIII a fortaleza tornou-se a residência dos Reis castelhanos. O castelo carece de Torre de Homenagem, um dos elementos mais emblemáticos dos castelos europeus medievais. No seu lugar construiu-se um palácio para o rei Alfonso X.

Muralhas e Castelo de Burgos
Muralhas e Castelo de Burgos

Foi utilizado eventualmente como local de alojamento de personalidades importantes, encontros diplomáticos, celebrações da corte e também como prisão. O recinto está formado por uma série de poços e galerias subterrâneas, cuja finalidade principal era prover de água os ocupantes do castelo, principalmente durante os assédios. Um destes poços possui quase 70 metros de profundidade. No séc. XIV, passou a ser propriedade da nobreza, concretamente da família dos Stúñiga, que exerceu o governo da fortaleza até à chegada dos Reis Católicos. Posteriormente, funcionou como fábrica de pólvora e escola para artilheiros. No final do séc. XV ou princípio do XVI, o castelo foi reconstruído.

 

4. Praça Maior de Burgos

Como sucede muitas vezes com a história das denominadas Praças Maiores da Espanha, na Praça Maior de Burgos realizava-se antigamente o mercado da cidade. Os carros, puxados por cavalos, nela entravam pela Porta das Carretas, uma porta menor que integrava a muralha, para então chegar aos postos de venda, distribuídos pelo entorno da praça. No final do séc. XVIII, a Praça Maior sofreu uma profunda reforma, e tanto a porta quanto a muralha foram derrubadas. No lugar da Porta das Carretas, construiu-se o Edifício do Ayuntamiento, também chamado de Casa Consistorial. Foi edificada no estilo neoclássico, obra do arquitecto burgalês Fernando González de Lara, em 1784. Depois da sua inauguração, efectuou-se o derrubamento da muralha, e muitos outros edifícios foram construídos posteriormente, outorgando à praça o aspecto que possui actualmente.

Praça Maior de Burgos
Praça Maior de Burgos

A Praça Maior continua a ser um dos principais pontos de encontro da cidade. Cercada por comércios variados e restaurantes, é um bom lugar para relaxar e ver o ambiente local. A praça possui um formato de polígono irregular, e quando o sol aperta (também para fugir do intenso frio dos meses invernais), as galerias que a cercam são um bom refúgio para os seus habitantes. Durante as reformas da praça no séc. XVIII, foi colocada no seu centro uma estátua do rei Carlos III, que colaborou para a transformação da cidade. Neste período, e graças ao espaço criado com o desaparecimento da muralha, foram abertos novas áreas de ócio para os cidadãos, como o conhecido Paseo del Espolón. Devido a proximidade com a Praça Maior e o Centro Histórico, este espaço ajardinado converteu-se numa das áreas mais frequentadas de Burgos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here