Início Cultura Língua Portuguesa: escreve-se “demais” ou “de mais”?

Língua Portuguesa: escreve-se “demais” ou “de mais”?

Sê quer falar português correctamente então tem que saber a diferença entre "demais" e "de mais". Compreenda os mistérios da Língua Portuguesa.

45507
2
língua portuguesa
"Demais" ou "De mais"

Falar português correctamente não é, por vezes, tarefa fácil. A Língua Portuguesa possui diversas “pequenas armadilhas”. Muitas dessas armadilhas surgem porque as palavras soam da mesma forma embora tenham grafia diferente. São as chamadas palavras homófonas. O caso das expressões “de mais” e “demais” é um pouco diferente (afinal de contas, não podem ser consideradas palavras homófonas porque o primeiro caso é constituído, na realidade, por 2 palavras).

Mas a semelhança entre o som das 2 expressões gera muitas dúvidas sobre qual a forma correcta a utilizar em cada situação. E, na realidade, apesar de serem 2 expressões, elas podem ser usadas de 4 formas diferentes. Leia com atenção os exemplos seguintes e compreenda as diferenças.

 

A. Demais, uma só palavra, pode ser um pronome ou um determinante indefinido, equivalente a «outros», «outras», «restantes».

Exemplos:

  • (1) Só entraram na igreja três excursionistas; os demais ficaram a apanhar sol no jardim (= «os outros, os restantes»).
  • (2) Daquelas senhoras, uma comeu peixe, as demais comeram carne (= «as outras, as restantes»).
  • (3) Toda a gente já ouviu falar de Luís de Camões, de Fernando Pessoa, de Miguel Torga e dos demais escritores indicados nos programas de Português do Ensino Secundário (= «os outros»).

 

B. Demais (ou ademais), uma só palavra, também pode ser um advérbio que significa «além disso», «de resto».

Exemplos:

  • (4) Esse trabalho é muito difícil; demais, é mal pago (= «além disso»).
  • (5) Não lhe obedeças; demais, essa determinação não está no regulamento (= «de resto»).

 

C. Demais, uma só palavra, pode ainda ser um advérbio de modo que exprime a intensidade e significa «muitíssimo», «excessivamente», «em demasia», «demasiadamente». Emprega-se intensificando formas verbais, advérbios ou adjectivos.

Exemplos:

  • (6) Ele fuma demais (= «fuma excessivamente», «em demasia»: o acto de fumar é praticado excessivamente).
  • (7) Aquele rapaz dorme demais (= «dorme excessivamente, em demasia»).
  • (8) A jarra é frágil demais; vai partir-se (= «muitíssimo frágil, demasiado frágil»).
  • (9) Ele é bom demais (= «muitíssimo bom»).
  • (10) Obrigada, mas não vou convosco: estou cansada demais (= «demasiado cansada»).
  • (11) Para aquele pasquim, ele escreve bem demais (= «muitíssimo bem»).

 

D. «De mais», duas palavras, é uma locução adverbial (formada pela preposição de e pelo advérbio mais) que exprime a ideia de quantidade. Tem um significado equivalente a «a mais» e aparece ligada a substantivos. Traduz a ideia de quantidade, e não a de intensidade.

Exemplos:

  • (12) Comprei discos de mais (= «comprei mais discos do que devia»).
  • (13) São de mais os livros que tenho para ler (= «são mais livros do que aqueles que tenho tempo para ler; são livros a mais»).
  • (14) O chá tem açúcar de mais (= «tem mais açúcar do que devia»).

 

Na frase “a festa foi demais”, foi usado um registo familiar da língua, estando subentendido o adjectivo «boa» ou outro com um significado próximo: a palavra demais significa, assim, «muito boa», «muito interessante», «excessivamente interessante». Trata-se, assim, da acepção de intensidade, correspondendo àquelas situações em que demais acompanha um adjectivo. Não são festas a mais, de mais (quantidade relativa a um substantivo, festas), mas uma festa demasiado boa, muitíssimo interessante, boa demais (intensidade relativa a um adjectivo subentendido, boa).

 

2 COMENTÁRIOS

  1. Começo a ler um artigo sobre língua portuguesa e a palavra CORRECTAMENTE aparece, caramba estudem e desde a unificação da língua portuguesa que se escreve corretamente.. Que credibilidade tem esse artigo?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here