Início Viagens 10 segredos de Lisboa que vai gostar de contar aos seus amigos

10 segredos de Lisboa que vai gostar de contar aos seus amigos

A capital de Portugal já teve muitas vidas ao longo dos séculos mas permanece desconhecida e cheia de surpresas. Descubra 10 segredos de Lisboa.

1346
0
Casa do Alentejo
Casa do Alentejo

 

A cidade de Lisboa conta já com vários séculos de idade e com várias vida: já foi moura, foi conquistada, por o centro das descobertas do novo mundo, foi destruída por um terrível terramoto, reergueu-se das cinzas, transformou-se em centro comercial, cultural e político e hoje está nas bocas do mundo por causa do turismo. Mas apesar de ser uma cidade muito conhecida, possui ainda muitos segredos por desvendar. E esses segredos são desconhecidos mesmo pela grande maioria dos lisboetas que todos os dias cruzam as ruas da cidade e nem imaginam as histórias que escondem as portas, as janelas, as varandas, as estátuas.

Esta é uma viagem pela Lisboa desconhecida e pelos encantos que a capital de Portugal possui em cada recanto. Venha descobri-los e conheça 10 segredos de Lisboa que o vão encantar (mesmo que seja Lisboeta).

 

1. O Largo de Camões já teve um palácio?

Largo de Camões
Largo de Camões

O Largo Luís de Camões alberga um monumento oitocentista, da autoria de Victor Bastos, que tem oito ilustres personalidades da História de Portugal. São eles: Fernão Lopes, Pedro Nunes, Gomes Eanes de Azurara, João de Barros, Fernão Lopes de Cantanhede, Vasco Mouzinho de Quevedo, Jerónimo Corte-Real e Francisco Sá de Menezes. Onde, hoje, se encontra este largo e o parque de estacionamento, existia, antes do terramoto de 1755, um importante palácio. Aliás, aquando da construção do parque foram descobertas ruínas dos Casebres do Loreto (século XIX) e estruturas do Palácio do Marquês de Marialva (de meados do século XVII). De forma a manter parte dessa história ainda viva, as escadas de acesso ao parque de estacionamento têm fotografias antigas que mostram as ruínas, o espólio encontrado e os trabalhos de construção.

 

2. Hospital de Bonecas

Hospital de Bonecas
Hospital de Bonecas

Na Praça da Figueira, em Lisboa, está, muito provavelmente, um dos últimos Hospitais de Bonecas do Mundo. Além da pequena loja, que vende bonecos antigos e actuais, existe no primeiro piso, o verdadeiro hospital de bonecas, onde as mesmas podem ser arranjadas, e o museu. Pode visitar o hospital e o museu, composto por sete salas onde estão peças muito antigas e bonecos que, juntos, acabam por mostrar a história do brinquedo em Portugal e no mundo.

 

3. Estátua do cauteleiro que dá sorte

Estátua do cauteleiro
Estátua do cauteleiro

No Largo Trindade Coelho, está uma estátua de um cauteleiro e dizem que dá sorte passar a mão na cautela de lotaria – que até se vê que está desgastada e tem uma cor diferente! A peça escultórica é da autoria de Fernanda de Assis e é uma homenagem aos cauteleiros. Foi inaugurada em 18 de Novembro de 1987, data em que a Lotaria Nacional comemorava 204 anos. A estátua mede 1,78m de altura e é feita de bronze.

 

4. Estátua do ardina e busto fundador do DN

Estátua do ardina e busto fundador do DN
Estátua do ardina e busto fundador do DN

É no jardim de S. Pedro de Alcântara que está muito provavelmente a maior homenagem aos jornais portugueses, em Lisboa. No mesmo espaço vai encontrar a pequena estátua do ardina (descalço), junto ao busto de Eduardo Coelho, um dos fundadores do vetusto jornal Diário de Notícias. Ambas as peças foram inauguradas em 1904 e são da autoria de António Augusto da Costa Mota (tio) e pedestal da autoria do arquitecto Álvaro Machado.

 

5. O pátio árabe da Casa do Alentejo

Casa do Alentejo
Casa do Alentejo

Este espaço, também apelidado de Palácio Alverca tem um restaurante – e chá dançante ao domingo – de comida alentejana, pois claro. Fica na Rua das Portas de Santo Antão, 58, Lisboa. O edifício é de fim do século XVII, mas aqui já funcionou, em 1919, o famoso casino Club Majestic (também bar, restaurante e pista de dança). E o segredo deste espaço? O seu maravilhoso pátio árabe que nos põe num cenário quase-marroquino! Tão bonito!

 

6. Ruínas no Palácio do Governador

Palácio do Governador
Palácio do Governador

Em Belém, o Palácio do Governador (que agora é hotel) tem, à entrada, ruínas romanas, que pertenciam a uma antiga fábrica de garum, ou seja, o tradicional molho de peixe. O edifício, que foi a casa do governador da Torre de Belém, Gaspar de Paiva, no século XVI, tem no interior azulejos antigos e ainda vestígios de uma capela (e coro alto) no interior da casa.

 

7. De onde vem o nome Alfama?

Alfama
Alfama

O Largo das Portas do Sol tem um dos mais bonitos miradouros de Lisboa, com Alfama aos nossos pés. E porque se chama Alfama? Na época romana, as águas desta área tinham propriedades termais, com nascentes de água quente e fria. E daí vem o nome: do termo al-hamma, que significa nascente de água quente.

 

8. Na rua onde Colombo casou

Rua de Santiago
Rua de Santiago

Actualmente, é o Santiago de Alfama – Boutique Hotel, mas, este edifício de origem quinhentista, já foi o Palácio dos Castros. Reza a história que Cristóvão Colombo casou na mesma rua do hotel (Rua de Santiago).

 

9. Porque se diz résvés Campo de Ourique?

Campo de Ourique
Campo de Ourique

Na altura do grande terramoto de 1755, e da grande destruição da cidade, a área de Campo de Ourique ficou intacta. Daí o “résvés Campo de Ourique” ter passado a ter o significado de “à justa” ou “por um triz”.

 

10. Azulejos com navio de guerra

Azulejos com navio de guerra
Azulejos com navio de guerra

Fica no Jardim Júlio de Castilho, junto a um dos mais bonitos miradouros da cidade: Miradouro de Santa Luzia. O painel de azulejos, de 1939, cobre parte de uma parede e mostra a cidade de Lisboa, vista a partir do rio, com embarcações típicas. Mas, o que mais sobressai é um navio de guerra no centro da imagem. Autor do desenho: Martins Barata; pintura: Victoria Pereira.

Fonte: viajecomigo.com

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here