Início Viagens 9 locais de visita obrigatória em Monsaraz

9 locais de visita obrigatória em Monsaraz

No alto de uma colina e com vista para o Alqueva e para a planície do Alentejo. Estes são os melhores locais para visitar em Monsaraz.

14604
1
Monsaraz
Monsaraz

A vila de Monsaraz tem um encanto especial que fascina quem visita esta pequena pérola no Alentejo nas margens do Alqueva. Trata-se de uma das mais bonitas vilas de Portugal e encanta os turistas graças às suas casas caiadas de branco, às suas ruas de xisto, às suas muralhas e ao seu castelo. Desde Monsaraz é possível avistar grande parte das planícies do Alentejo, agora cobertas por água por causa da construção da Barragem do Alqueva que veio transformar a paisagem e que deu origem a um dos maiores lagos da Europa.

Visitar Monsaraz é uma experiência única e a grande maioria das pessoas irá sentir-se recompensada apenas pelo simples acto de passear pelas suas ruas ou de assistir ao um magnífico pôr-do-sol desde o alto das suas muralhas. No entanto, caso pretenda conhecer este pequeno paraíso com mais detalhe, saiba que há muito para ver e muitas coisas que fazer nesta vila alentejana. Estes são os melhores locais para visitar em Monsaraz.

 

1. Castelo de Monsaraz

O Castelo de Monsaraz encontra-se localizado no extremo Sudoeste desta encantadora povoação da região do Alentejo, em Portugal. Este castelo, classificado como Monumento Nacional, foi construído em finais do século XIII por pedido do rei D. Dinis e faz parte da cadeia de fortificações que faziam fronteira com Espanha.

Monsaraz
Monsaraz

Actualmente podem-se reconhecer nele a torre de menagem e quatro torres quadradas mais pequenas. Hoje em dia, a parte central do Castelo é muitas vezes usado como pano de fundo e a torre de menagem é dividida em três andares, o inferior que foi usado como uma prisão, o intermediário como salão nobre do perfeito e o último como sótão do palácio.

 

2. Igreja Matriz de Santa Maria da Lagoa

A primitiva igreja gótica é construída na segunda metade do século XIII, sendo a sua referência mais antiga do tempo do rei D. Dinis. Em virtude da peste negra que assolou a região, a igreja original desaparece no reinado de D. João I, dando azo à construção de uma nova Matriz, uma vez que as reduzidas dimensões do edifício não permitiam o sepultamento da população local.

Monsaraz
Monsaraz

A construção da actual igreja matriz, da responsabilidade do arquitecto Pêro Gomes, é do século XVI, baseada no estilo renascentista, com três naves apoiadas em quatro colunas toscanas, onde predomina o xisto regional. O frontão encontra-se decorado com um painel de azulejos e encabeçado por uma Cruz da Ordem de Cristo, representativo de Nossa Senhora da Conceição. O altar-mor, composto por talha dourada, manifesta duas esculturas em madeira que representam Santo Agostinho e Santa Mónica. O seu interior está ornamentado com decorações artísticas dos séculos XVII e XVIII e com oito capelas laterais. É essencial destacar o túmulo de Gomes Martins Silvestre, primeiro alcaide e povoador de Monsaraz, construído em mármore de Estremoz, cuja face frontal mostra um cortejo fúnebre onde desfilam diversas figuras e no topo uma figura alusiva à actividade do cavaleiro templário.

 

3. Cromeleque do Xerez

O conjunto megalítico da Herdade do Xerez ou Cromeleque do Xerez pode ser visitado actualmente numa área junto ao Convento da Orada, perto de Monsaraz. Encontra-se destacado na paisagem, beneficiando do plano elevado da planície em que se encontra. O acesso é muito fácil. É constituído por um recinto de planta quadrangular regular, centralizada, definida por 50 menires de granito, com tamanhos entre os 120 e 150 cm de altura cada um. Ao centro, existe um monólito de aspecto fálico com cerca de 4 metros de altura, em que foi identificada uma fiada de covinhas na face Oeste.

Cromeleque do Xerez
Cromeleque do Xerez

O Cromeleque data do período entre o início de 4000 a.C. e meados de 3000 a.C. O conjunto foi encontrado deitado por terra na Herdade do Xerez, tendo sido composto com a disposição actual em 1969, com base num desenho de um dos menires mais pequenos, que se julgou ser a planta original. É um dos poucos cromeleques existentes em território português.

1 COMENTÁRIO

  1. Monsaraz… Tudo isso é muito bonito. Mas, acaso, as acessibilidades estão, ou foram, minimamente acauteladas?… Ou as pessoas com mobilidade condicionada (idosos, pessoas com deficiência, grávidas, etc…), não têm direito a usufruir de um património que é de todos nós?…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here