Início Viagens 12 locais de visita obrigatória em Ponte de Lima

12 locais de visita obrigatória em Ponte de Lima

É considerada como sendo a vila mais antiga de Portugal e tem muito para descobrir. Estes são os melhores locais para visitar em Ponte de Lima.

13088
0
Ponte de Lima
Estorãos

A belíssima Ponte de Lima é conhecida como a localidade que prefere ser uma “vila grande em vez de uma cidade pequena”. Ponte de Lima sempre renunciou ao estatuto de cidade e preferiu manter-se sempre como uma vila história, encantadora e repleta de pequenos tesouros por descobrir. Nas margens do Rio Lima, esta vila do Minho conserva ainda muitas das suas tradições. Por todo o concelho estão espalhados muitos típicos solares do Minho, construídos por famílias abastadas que se dedicavam ao comércio, principalmente no Brasil. Um dos mais famosos é o solar de Bertiandos, apesar de estar longe de ser o único a merecer um destaque especial. Ponte de Lima é ainda conhecida pela sua belíssima ponte que atravessa o Rio Lima, conhecido pela lenda do “Rio do Esquecimento”.

Ponte de Lima
Ponte de Lima

Ainda no concelho de Ponte de Lima, vale a pena uma visita demorada a Estorãos e a Bertiandos, onde pode ver algumas construções medievais, igrejas barrocas e passear pelas Lagoas, uma área protegida que convida ao contacto com a Natureza. A não perder, claro, é o famoso vinho verde típico desta região, de preferência acompanhado com a gastronomia singular destas terras. Estes são os melhores locais para visitar em Ponte de Lima.

 

1. Ponte Romana e Ponte Medieval

O ex-libris de Ponte de Lima, que conjuntamente com o rio que banha a vila, deu o nome à localidade, é a sua ponte. Na realidade, é um conjunto formado por duas pontes: um troço medieval, de maior dimensão, que tem início na margem esquerda e se estende até à Igreja de Santo António da Torre Velha e a passa ainda em dois arcos. Depois, o troço que resta da ponte romana. São apenas cinco arcos a partir do grande arco que está em leito seco. Se descer verá também os alicerces da Torre Velha, talvez a primeira do sistema defensivo medieval.

Ponte de Lima
Ponte de Lima – Rui Videira

A ponte romana data provavelmente do século I, uma vez que foi nessa época que se procedeu à abertura do trajeto de uma das vias militares do antigo “Conventus Bracaraugustanus”, que ligava Braga a Astorga, neste caso a Via XIX, mandada abrir pelo Imperador Augusto. No que respeita à parte medieval, pese embora se possa recuar no tempo, pelo menos até aos reinados de D. Pedro I e de D. Fernando, por ligação directa à construção das muralhas e das torres que fortificavam a vila, obra terminada em 1370, ou até de D. Dinis, tendo em conta documentação que refere uma ponte, que também poderia, por aquela altura, ser de madeira, sabemos da sua existência no reinado de D. Manuel I, mais precisamente em 1504, por este monarca ter mandado fazer novo calcetamento e colocar merlões para decoração da ponte, pois já não se justificavam como opção defensiva e militar.

 

2. Estorãos

Independentemente de Ponte de Lima, em termos de pontes, ser uma referência nacional, pela importância arquitectónica e viária que o conjunto da ponte romana e da ponte medieval significam, muitas outras existem no concelho e que detêm a competente relevância, destacando-se as acima epigrafadas, de entre outras, a maior parte delas inventariadas e estudadas.

Estorãos
Estorãos

A Ponte de Estorãos, para alguns de origem romana, tem características medievais e, segundo os inventários do património, trata-se de uma “ponte lançada sobre o rio Estorãos com tabuleiro formando cavalete e extremidades rampeadas e que assenta em três arcos de volta perfeita desiguais, sendo maior o central, com talhamares virados a montante e um olhal já debaixo da rampa de acesso do lado poente. A meio do lado montante, tem exteriormente um cruzeiro, sobre peanha, de coluna jónica e cruz latina de braços rectangulares”.

 

3. Parque do Arnado

O Parque insere-se no Projecto Global de Valorização das Margens do Rio Lima e a sua concepção procura ter uma função cultural e recreativa. A componente cultural chama a atenção do visitante para a evolução histórica da humanização da paisagem. Nasce assim a ideia de criar um jardim temático que permita fazer uma viagem pela história da arte dos jardins, cujas raízes estão profundamente ligadas à cultura rural.

Parque do Arnado
Parque do Arnado

Ao mesmo tempo que se faz a reutilização das estruturas preexistentes da exploração agrícola, são integrados, nos antigos campos de cultivo, jardins eruditos característicos de diferentes épocas. No horto botânico fazem-se plantações com um sentido pedagógico, destacando-se a estufa com o lago envolvente. A cultura rural permanece presente através dos diferentes elementos, como as ramadas com vinha, os sistemas de rega a partir do tanque e através das regueiras em granito, a nora, a grande eira e o espigueiro.

 

4. Solar de Bertiandos

O Solar de Bertiandos é um importante solar minhoto, situado na freguesia de Bertiandos, concelho de Ponte de Lima. É formado por dois corpos, em cada lado de uma torre do século XVI, sendo um deles mais antigo, com pedra de armas. A construção revela características maneiristas, apresentando uma imponente e nobre escadaria exterior. Já o seu interior revela o gosto setecentista, possuindo um rico espólio, nomeadamente na biblioteca. O conjunto arquitectónico é composto ainda por uma capela do século XVIII.

Solar de Bertiandos
Solar de Bertiandos

A fundação do solar remonta ao século XV e à família dos Pereiras. Em 1566 a viúva de D. Lopo Pereira, D. Inês Pinto, a quem se deve a construção da torre, instituiu no solar dois vínculos independentes: um, no corpo oriental do palácio de então, destinando ao filho mais velho; o outro, no corpo ocidental e na torre, entregue ao filho segundo. Os dois irmãos vieram depois a zangar-se, e durante mais de dois séculos os seus descendentes viveram sem contactos, realizando obras, como entenderam, nas partes respectivas do palácio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here