Início Viagens 12 locais de visita obrigatória em Beja

12 locais de visita obrigatória em Beja

Em pleno Alentejo, uma cidade repleta de história e com muito para descobrir. Estes são os melhores locais para visitar em Beja.

1
Beja
Castelo de Beja

Em pleno Alentejo, rodeada por vales ondulantes e melancólicos nos quais a paisagem muda consoante as estações do ano, a cidade de Beja tem muito mais para ver e visitar do que aquilo que imagina. Numa cidade repleta de história e que testemunhou a passagens de povos tão distintos como o Visigodos ou os Mouros, os monumentos, igrejas, conventos e museus são uma constante presença. Visitar Beja é regressar ao passado e viajar por uma cidade que tem orgulho em preservar a sua memória histórica.

Beja

Beja tem muito para lhe oferecer… Um concelho em que o campo e a cidade se envolvem e que se alteram nas diferentes épocas do ano, permitindo olhares e formas diferentes de os sentir. Para que possa viver estas transformações, não deixe de conhecer os espaços e os locais certos onde pode participar nas diversas iniciativas, pensadas em função do que está a acontecer a cada momento. Estes são os melhores locais para visitar em Beja.

 

1. Castelo de Beja

O Castelo de Beja está localizado no extremo Noroeste da cidade de Beja, no Alentejo, Portugal. É um Castelo medieval, que foi construído em finais do século XIII sobre umas fundações romanas, por ordens do rei D. Dinis. O Castelo está disposto em planta pentagonal, flanqueado por seis torres, entre elas a Torre de menagem, considerada uma das torres de menagem mais belas de todo Portugal.

Beja
Beja

A partir do alto desta impressionante torre de 42 metros de altura desfrutarás de umas magníficas vistas sobre a cidade. Na praça de armas ergue-se a Casa do Governador, um edifício que sofreu numerosas modificações nos finais da década de 30, e que, na actualidade, alberga o posto de turismo e um espaço Museológico para exposições temporárias.

 

2. Sé Catedral de Beja

A paróquia de Santiago Maior é uma das mais antigas de Beja. No início, teve sede na Igreja de Santo Amaro, mas no século XIV foi transferida para este local, onde já existia uma igreja. O templo actual, em estilo maneirista, data de 1590, quando foi construído por vontade do arcebispo D. Teotónio de Bragança segundo um projecto de Jorge Rodrigues. Em matéria de arquitectura, este templo segue a tipologia maneirista, já aplicada noutros monumentos do Alentejo, como, por exemplo, na Igreja de Santo António em Évora. No interior, ricamente decorado, destacam-se o retábulo da capela-mor em talha dourada da autoria do mestre lisboeta Manuel João da Fonseca, datado de 1696-97, os retábulos policromados das capelas laterais e a pintura do altar de São José, atribuída a André Reinoso.

Sé Catedral de Beja
Sé Catedral de Beja

Na capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição, é digno de nota o conjunto de painéis de azulejos em azul e branco, datado do século XVIII. Salienta-se ainda o altar dedicado a São Sezinando, natural de Beja e padroeiro da cidade. Na década de 1930, o bispo de Beja D. José Patrocínio Dias solicitou à Santa Sé a elevação da Igreja de Santiago Maior a Sé Catedral de Beja, consagrada ao Sagrado Coração de Jesus, sendo a única em Portugal que não segue a invocação de Nossa Senhora da Conceição. Foram então efectuadas obras de restauro, nas quais se valorizaram as componentes maneiristas e barrocas, e enriqueceu-se o tesouro da Sé com peças de arte sacra provenientes de conventos extintos de Lisboa e do património da Casa de Bragança.

 

3. Museu Regional de Beja

O espólio do Museu Regional de Beja está instalado no Convento Nossa Sra. da Conceição desde 1927 e foi ampliado com colecções provenientes de outros conventos e palácios da região. Entre o rico acervo do Museu, realçamos o núcleo de pintura, composto por obras de mestres portugueses, espanhóis e holandeses, a secção lapidar, a colecção de Ourivesaria, e a secção de Arqueologia, centrada essencialmente no período romano, muito rico nesta região.

Museu Regional de Beja
Museu Regional de Beja

Pela sua importância salienta-se, na pintura, o conjunto de quadros da escola primitiva portuguesa, nomeadamente o Ecce Homo (séc. XV), o S. Vicente (séc. XVI) da escola do Mestre do Sardoal, a Virgem da Rosa (séc. XVI), do pintor português Francisco de Campos, e um grupo de quatro painéis (séc. XVI), do pintor português António Nogueira, cujas pinturas representam a Visitação de Santa Isabel, a Descida da Cruz, a Ressurreição e a Ascensão.

 

4. Convento de São Francisco

O Convento de São Francisco está localizado fora das muralhas medievais da cidade de Beja, junto à antiga estrada que ligava Beja a Mértola, no Alentejo, Portugal. Este convento foi fundado no século XIII, mas sofreu diversas alterações ao longo dos séculos, pelo que mostra elementos de diferentes estilos arquitectónicos.

Convento de São Francisco
Convento de São Francisco

Do período gótico ainda conserva uma capela funerária (século XV) conhecida como Sala dos Túmulos, que é considerada por muitos como um dos monumentos góticos mais interessantes do país. Na actualidade este convento forma parte da rede de Pousadas de Portugal.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here