Início Sociedade Turistas brasileiros em Portugal: 16 histórias que parecem piada mas são reais

Turistas brasileiros em Portugal: 16 histórias que parecem piada mas são reais

Cada vez recebemos mais turistas do país irmão mas por vezes a comunicação provoca situações caricatas. Histórias de turistas brasileiros em Portugal.

219410
92

 

ATENÇÃO: esta publicação serve apenas para ilustrar confusões de comunicação e diferenças culturais. Não tem como objectivo fomentar a discórdia nem provocar conflitos e deve ser lida com muito humor!

Portugal recebe cada vez mais turistas do nosso país irmão, o Brasil. Chegam muitas vezes à procura das suas raízes e da terra de que falavam os seus antepassados. Mas embora falemos a mesma língua, por vezes surgem algumas falhas na comunicação ou diferenças culturais que podem originar situações caricatas. Veja alguns exemplos.

Café?, por Nina Paduani

Meus pais e meus tios estão em Lisboa. Vão ao restaurante almoçar. No final, o garçom pergunta:
—Café?
Meu pai:
— Um, por favor.
Meu tio:
— Dois!
Minha tia:
— Três!
Passam alguns minutos e lá vem o garçom.
Com seis cafés.

Via Facebook: NinaPaduani

separador

Como vem o bife?, por Giuliana Miranda Santos

Querendo me informar mais sobre os acompanhamentos de um dos pratos de um restaurante em Alfama, perguntei ao garçom:
— Mas como vem esse bife aqui?
Ele prontamente me respondeu:
— Alguém o traz da cozinha!

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Leitão à bairrada, por Claudio Eduardo

Uma vez fui a um restaurante de um prato só que servia leitão à bairrada:
— Oi, como é o leitão à bairrada?
— Ora, não sabes o que é um leitão?
— Sim, mas o que é à bairrada?
— A região onde estamos.

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Pasteizinhos de Belém, por Raphael Delorme Magalhães

Meu padrasto estava em um ônibus em Portugal com a família e viram em um outdoor escrito algo como “Pasteizinhos de Belém, desde 1920” e uma foto dos pasteizinhos.
Ele comentou com a família, brincando:
— Olha, gente! Desde 1920!
No que uma senhora portuguesa interrompeu:
— Me perdoem, mas aqueles já foram comidos, chegando lá vão encontrar outros fresquinhos.

Via Facebook: alelex88

separador

Me traz aquele, por Nelio Costa

Um cliente estava indeciso sobre o que pedir. Viu um garçom passando com um prato que o agradou e falou para o que o atendia:
— Pode me trazer aquele.
A resposta do garçom:
— Não será possível porque aquele já é do senhor da mesa ao lado.

Via Facebook: NinaPaduani

separador

O prato de Fernando Pessoa, por Oniodi Gregolin

Minha amiga estava almoçando no mesmo restaurante que Fernando Pessoa frequentava assiduamente.
Como ela é formada em letras, com mestrado em literatura, estava mais interessada nas histórias do lugar do que na culinária.
No momento de escolher, chama o garçom e pergunta qual era o prato preferido de Fernando Pessoa. Sem pestanejar, ele responde:
— Já quebrou-se há muito tempo!

separador

Um táxi, por Marcelo Negromonte

Estávamos num hotel em Lisboa e descemos pra fumar. Decidi ir até a recepção pra pedir um táxi. Perguntei à funcionária:
— Por favor, você poderia chamar um táxi pra mim?
A funcionária disse que sim, continuou a fazer o que estava fazendo e não chamou o táxi. Daí eu percebi que estava dentro da piada.
Voltei pra fora pra rir um pouco com minha amiga e voltei novamente pra recepção, como se nada tivesse acontecido.
Claro que ela poderia chamar um táxi, não havia nada que a impedisse de fazê-lo.
Daí eu falei:
— Eu preciso de um táxi agora.
E ela:
— Pois não, senhoire.
E ligou pro táxi. Fim.

separador

Você sabe?, por Ney Hayashi da Cruz

Um dia em Lisboa eu parei um sujeito na rua e perguntei: “O senhor sabe como chegar no castelo de São Jorge?” Ele respondeu “sei!” e continuou andando.

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Foto, por Camila Martins

Meus tios estavam passeando em Portugal e pediram a um senhor:
— Por favor, pode tirar uma foto?
— Claro!
Foi lá e abraçou a minha tia posando pra foto.

Via Facebook: alelex88

separador

Passa no aeroporto?, por Braulio

Eu estava saindo do hotel e perguntei a alguém:
— Esse ônibus parado aí passa no aeroporto?
O cara responde:
—Não, passa em frente a ele.

separador

Me vê dois, por Sofia

Uma vez eu pedi no balcão de uma confeitaria:
— O senhor me vê dois pasteis de Belém?
O cara foi, olhou e não pegou nada.
Eu perguntei:
— Os meus pastéis de Belém?
E ele:
— Ah, a senhora quer que eu lhe dê dois pasteis? Porque só me pediu que visse.

separador

Londres é aqui?, por Felipe Cortez de Sá

Um dia eu estava no aeroporto em Lisboa e ia pegar uma conexão para Londres.
Perguntei a uma senhora que trabalhava no aeroporto: “Londres é aqui?”.
Ela disse “aqui é Lisboa” e riu.

Via Facebook: alelex88

separador

Na mesa, por Danilo Cabral

Fui numa doceria no Porto e perguntei para o garçom:
— Posso pedir aqui no balcão ou pode sentar na mesa?
Ele:
— Prefiro que você sente na cadeira mesmo.

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Aquela caixinha, por Julia Wiltgen

Fui comprar pastéis de Belém no local onde eles são fabricados.
Lugar lotado, balconistas concentrados, atendendo todo mundo super rápido e com muita seriedade.
Os pastéis de Belém vêm (ou pelo menos vinham) numa caixinha sextavada de papelão.
Eu e minha mãe nos aproximamos do balcão e ela pergunta a um dos atendentes:
— Os pastéis de Belém são aquela caixinha?
O balconista responde:
— Não, senhora, é o que tem dentro!
Ele continuou os atendimentos super sério e eu e minha mãe caímos na gargalhada.

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Posso estacionar?, por Filipe Teixeira

Num bar no centro histórico de Lisboa, uma brasileira entra e pergunta:
— Posso estacionar aqui na frente?
O balconista responde:
— Claro que pode. Só corre o risco de levar uma multa.

separador

Língua, por Marion Coting Braga

Minha tia estava com uma amiga no restaurante. O garçom criou coragem e indagou:
— Que língua estás a falar que estou entendendo tudo?

Via Facebook: rafaelcapanema

separador

Mas qual é a explicação para essas histórias? Alguns brasileiros e portugueses dão a sua explicação:

Eu tive um professor de lógica que estudou por um tempo em Portugal e um dia ele disse à turma que português não é burro, e sim ‘lógico’. Depois que ele disse isso eu passei a ouvir essas histórias pensando de outro jeito.

Via Facebook: alelex88

A portuguesa Inês Azevedo levantou duas hipóteses:

Perdoem-me, mas nunca vi nada do género em tempo real, parece que só acontece na comunicação entre portugueses e brasileiros.
O erro está em pensarmos que somos a mesma língua quando na prática não é bem assim.
Também ponho a hipótese de que muitas vezes possa ser o humor português a atacar, é bem irónico e subtil, quando não se está familiarizado com a cultura não se distingue quando é brincadeira ou não.

Via Facebook: alelex88

Ana Luisa Prado, também portuguesa, ofereceu seu ponto de vista sobre a história dos cafés:

Como portuguesa te digo que considero esta história perfeitamente possível e compreensível. Porque em Portugal não é comum que se faça pedidos dessa forma.
Normalmente cada um diz o que quer, o garçom que faz a soma. E a ele não cabe julgar se alguém quer encher-se de café ou não. Ele vai te dar exatamente o que pedires, mesmo que considere teu pedido um tanto estranho.
É verdade, somos bem mais literais que os brasileiros!

Fonte: buzzfeed

 

92 COMENTÁRIOS

  1. Isto é claramente treta. Quando muito são piadas criadas por brasileiros com alguma imaginação.
    Ou então se foi real, foram gozados à grande e não perceberam!!

      • Os portugueses nao sao nada literais, isto sao piadas tipicas a gozar com a lingua portuguesa. Quem conhece os portugueses sabe que isto é um habito.

    • Ha mais de quarenta anos que me lembro de a minha família (e amigos) pedirem cafés assim: “1, 2, 3” etc. e nunca nenhum empregado trouxe 6 cafés!!!!

      É tudo inventado por brazucas, até porque um empregado de mesa não diria “quebrou-se” (o prato) 🙁

      • Se é Brasileiro a contar a história é natural ele escrever segundo seu ponto de vista. Mas que tem piada, tem. Principalmente para mim, que sou brasileira neta de português. Ri até chorar.

  2. rafaelcapanema: “Como vem esse bife aqui? Nao achas isso uma pergunta extremamente estupida? estas a falar de que exactamente seu brasuca de m. rda. E obvio que o empregado de mesa deu essa resposta a gozar.

    • Muito fraquinhas e fantasiosas , coisa típica de brasileiros… Como esta: Um senhor brasileiro pergunta a uma senhora em Lisboa: Como faço para chegar ao Castelo de São Jorge? E a senhora lhe responde: O senhor pode ir de táxi, a pé, ou de elétrico podes escolher !

      • Os brasileiros adoram rir dos portugueses mas na verdade o motivo de riso são eles próprios pois não entendem a linguagem dos portugueses. O contrário não acontece. Os portugueses entendem tudo e sabem tudo dos brasileiros.

        • Zulmira, talvez seja pelo fato do Brasil exportar uma forte mídia para Portugal e ao mundo (Brasil possui o 2º- maior sistema de televisão e mídia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos da América) e por isso, dos portugueses saberem mais sobre da linguagem brasileira.
          Pela tamanho populacional dos portugueses, e pela pouca notoriedade em relação ao Brasil, os brasileiros pouco conhecem sobre o cotidiano dos portugueses, tal como a linguagem do Português de Portugal que é extremamento nulo no Português Brasileiro.

          • “Extremamente nulo” – que triste bacorada…

            Quando não se sabe falar (escrever) – inventa-se!!

            Por isso a revista VEJA publicou um artigo que descrevia os analfabetos brasileiros:
            “Nem falam o bom Português e já querem falar Espanhol (c/ os turistas vindos dos países vizinhos) aí só sai PORTUNHOL”

          • é mais pelo facto de o portugues de portugal ter muitos mais sons do que o do brasil que é mais simplificado entao e mais dificil para o brasileiro ao inicio perceber a quantidade de em que podemos dizer um A de 5 maneiras diferentes consoante ele é usado e os brasileiros dizem de duas

        • Deve ser mesmo isso… O Português no Brasil é diferente, simples. Agora estamos a fazer piadas inocentes. Acho que está a confundir abacaxi com abaixar aqui.

        • Desculpe Zulmira, mas se os portugueses entendessem mesmo o português brasileiro não dariam essas respostas, nem pediriam aqui um “penso para o período”.Deve ser gozação. Duvido que um português, no Brasil, diga que vai tomar uma pica ao cu (injeção na bunda) a não ser que seja “paneleiro”…
          Ou é gozação ou é invenção. Além do mais, um comerciante que atende turistas, se é bom em seu ofício, raciocina e entende.

    • E o senhor, Vitor, um estúpido, mal humorado e talvez, quem sabe, um fdp, tal como dizemos cá no Brasil. Concorda?

  3. Não me importo com piadas, fazem parte do dia a dia e servem pra diminuir o mau humor de muitos aqui, como já pude observar nos comentários. Pena que a maioria das piadas de portugueses aqui no Brasil, ainda são da época que os portugueses contavam piadas de seus conterrâneos de Trás os Montes, já que os achavam ignorantes e caipiras, foi assim que surgiu piadas de português no Brasil, pra quem ainda não sabe. Piada não sendo ofensiva e nem com palavreados chulos, é uma excelente diversão. Quanto ao Hilário, nós mesmos fazemos piadas com a gente mesmo, e não levamos a sério, levamos na esportiva e aproveitamos pra dar boas risadas.

  4. Isso é uma realidade eu mesmo chegando em Portugal queria fazer um embrulho para presente e perguntei ao vizinho se ele tinha durex ele me olhou de lado e perguntou para que que eu queria eu saí sem falar nada pois pensei que ele estava de má vontade e depois é que fiquei sabendo que era durex é camisinha

    • Na verdade, Durex é uma marca específica de preservativo masculino, que deve ser tão vendida em Portugal que virou sinônimo de camisinha. Esta marca só agora começa a chegar no Brasil.

  5. Em uma viagem também a Lisboa peguei um táxi para um centro comercial e disse pode parar por aqui moço… Ele quase me bateu!! Disse que não era moleque.. Enfim.. Não falei com intenção de ofender. Aqui no Brasil é comum. Outros portugueses me disse que o taxista deveria estar de péssimo humor.

    • Os taxistas são muitas vezes pessoas mal humoradas. Chamar de moço é como dizer que ele é um adolescente, aqui moço ou moça é um adolescente. o mesmo que rapaz ou rapariga. Penso que ele se fosse educado e culto teria ignorado isso. Infelizmente ainda temos taxistas assim na praça.

    • Eu aqui no Brasil chamo uma mulher ou um homem adultos de senhora ou senhora e ouço: “senhora ou senhor não! Essa ou esse está no céu!” Aqui até uma pessoa de 80 anos é moço ou moça.

  6. As piadas quando não são ofensivas, até são uma óptima forma de melhorarmos o nosso humor. O problema é quando as piadas servem só para ofender. Aí tem que se dar uma resposta a condizer.
    Passo a descrever o que sucedeu comigo numa das vezes que fui passar uns dias ao Brasil.
    Um grupo de brasileiros armados em finos, para tentarem esconder a sua inferioridade face aos Europeus disse a seguinte barbaridade: Os Portugueses que estão no Brasil são todos padeiros.
    Aí tive que lhes responder da mesma moeda mantendo o nível da conversa num patamar muito baixo: As Brasileiras que estão em Portugal são todas putas (moças de programa)

    • Inferior? Vc esta se achando quem? Tao latino qto nós. Aí na Europa vcs são considerados de segunda linha tanto qto nós. Pelo menos na América do Sul somos o país mais importante. Aliás em todo hemisferio sul.
      Só o Pib do meu estado é maior q portugal…uma pena termos sido colonizados por portugal. Só estamos mandando de volta o q deixaram de pior aqui. Recebemos muitas putas suas aqui tbem.

      • Cala-te Marcelo que o teu país com o Temer está indo pró brejo, rapaz! A continuar assim, o vosso PIB vai ser inferior ao das Berlengas!

      • Marcelo, olha que o governo atual está tratando de colocar o Brasil com um PIB bem ruim, hein? O PIB não é tudo na vida de uma nação, rapaz! E olha que se não fosse a colonização portuguesa com um rei que foi o único soberno de uma nação colonizadora a viver na colónia por 13 anos o que teve como consequência a unificação do país dando origem a esse colosso de que tanto te orgulhas. Tivessem sido colonizados por espanhóis e terias o território todo dividido por vários países. Putas portuguesas no Brasil, Marcelo? Ó rapaz essa demais! As portuguesas não são bigodadas? Como elas poderiam se prostituir num país de homens que não suportam mulheres bigodadas, só bombadas. As prostitutas portuguesas jamais viriam para o Brasil, moço, tem outros países para irem e onde são apreciadas.

        • Voce leu o q postei? Quem falou de portuguesas bigodadas? Sou neto de portugueses e italianos. Respeito o país dos meus ancestrais.

        • Estao vendo? Vcs tem senso de humor tbem. Nao levem tanto a sério a postagem das piadas. Minha mae esta bem sim. A sua manda abracos daqui do Brasil…arrumou emprego em uma padaria e ja raspou os bigodes.

          • Ahahahahahahah…. por isso que adoro estas picardias entre zucas e tugas… (parabéns Marcelo, pelo excelente humor) só tenho pena do argumento da colonização porque está errado..

      • Na zona euro pode se circular e trabalhar em qualquer estado.. Por isso amigo aqui é tudo primeira linha.. E devemos nos unir em vez de criticar pois somos países irmãos em língua e em genes

    • Prezado Senhor Joaquim Esteves,
      Acredito que pessoas como o senhor devam ser minoria. Haja visto que, nós brasileiros temos sim muito a ser corrigido, no entanto somos um país lindo , de um povo especialmente diverso, nos orgulhamos de nossas diferenças e são estas que nos fazem culturalmente ricos. Li diversas barbaridades em alguns comentários, e dentre estas, posso garantir que a sua beira a total ignorância.
      Este tipo de comportamento fomenta a intolerância e a violência que tanto nos preocupa no mundo de hoje.
      Visualizei comentários do tipo: “brasileiros deturparam nossa língua” e outros tantos…Não deturpamos a Língua Portuguesa, falamos uma língua portuguesa que sofreu várias outras influencias , porque somos uma Nação formada por portugueses, índios, negros, italianos, japoneses, alemães e tantos outros povos…Somos uma Nação de aproximadamente 206 milhões de habitantes… Somos um continente…Fomos colônia sim (de exploração, diga-se de passagem)… Temos muitas desigualdades sociais sim!
      Enfim , sou Brasileira, filha de italianos ( como tantos outros) , não sou PUTA Senhor! Não me acho melhor ou pior do que nenhuma pessoa digna que viva neste planeta…Mas me acho que melhor que gente como você!

      • A uma generalização que pretendia diminuir alguém respondeu com outra. Ser padeiro ou ter outra actividade manual, no Brasil como em Portugal, é considerado actividade pouco digna. Aliás, no Brasil e Portugal como nos outros países do terceiro mundo ou que perderam essa classificação há pouco como Portugal, (novo-riquismo), quem não for licenciado é considerado como um ser inferior. O desprezo pelo trabalho manual é característica primeira para identificar membros da pequena burguesia (vulgo classe média baixa) recém promovida.

    • E as portuguesas uma geleira. Por este motivo os portugueses preferem nos brasileiras chamadas de putas por sermos, carinhosas, sedutoras , educadas e muito, muito… quentes.

  7. O problema aqui, é que o brasileiro adoptou o “brasileres” e só diz e escreve asneiras com a lingua que utiliza, nada mais!

  8. Na verdade os portugueses falam correto, nos brasileiros é que não sabemos nos expressar, por exemplo, freio de carro para nós brasileiros, aqui é travão ou seja vc pisa e trava, freio na verdade é paracido com cabresto de cavalo que vc puxa e ele para.

  9. Pois…

    Lamento informar que muitas respostas são mesmo para confundir o turista. São uma piada que lhes fazemos. Para o “tal” ilustrar de confusões quando nos visitam. O português gosta de dar umas respostas vagas e tontas (tipo: quer um café? já ou agora?). Questão cultural. Humor seco…whatever!
    Sou de Guimarães e há uns anos um casal de turistas brasileiros perguntou a uma pessoa amiga onde foi que nasceu Portugal. A pessoa respondeu naturalmente que foi aqui (pelo menos como reza a história). Mas os turistas brasileiros insistiam em saber o local exato.
    Ora…a história é documentada e cada um a conta da sua forma. O local onde se travou a Batalha de São Mamede foi algures por aqui, nestas terras. O sitio exato onde se travou a batalha não se sabe com certezas.
    Com tanta insistência, a pessoa minha amiga respondeu-lhes que foi ali: No pedaço de muralha junto ao Toural, cuja fotografia existe em todo o lado e que diz “Aqui Nasceu Portugal”. E lá foram eles tirar fotos…….
    E pronto! Perante isto é normal que ás vezes demos assim umas respostas.

  10. “Pasteizinhos”? hã, hã, não seriam antes Pastelinhos? Não há dúvida de que tudo isto é invenção de brasileiros. Mas se não for, quem tem sido alvo de piada são os próprios brasileiros. De facto, como o garçon do restaurante que dizem ter sido o preferido de Fernando Pessoa vai saber qual era o prato preferido dele se o poeta morreu em 1935? Só alguém idiota iria fazer uma pergunta imbecil dessas! A resposta do garçon foi perfeita!

  11. Aconteceu comigo no Rio de Janeiro com duas amigas brasileiras como testemunhas. Na rua, um rapaz ouviu-me falar e perguntou-me de onde eu era e eu respondi-lhe: “De Portugal!” resposta dele: “Uau, mas você fala português muito legal!” As minhas amigas comentaram: “Eita e somos nós que contamos piadas de vocês. Putz grila!” hã, hã …

  12. Não são problemas de comunicação caros amigos. Isso é sentido de humor e sarcasmo português vocês é que não perceberam

  13. Não curti estas invencionices, muito sem criatividade. Que pergunta mais sentido de “como vem o bife”? A resposta do garçom demonstrou humor inteligente.

  14. Sou brasileiro, do Rio de Janeiro. Já fui a Portugal algumas vezes e em todas elas me deparei com diferenças não apenas no uso fo idioma, mas também na forma como as pessoas tratam umas às outras. E rapidamente entendi que o que vi são apenas diferenças. Se eu quisesse conviver com gente que pensa e fala igual a mim, ficaria em casa. Aliás, como disse Caetano Veloso na canção “Sampa”, fazendo autocrítica, quando, saindo do interior da Bahia, foi viver na cidade de São Paulo, “Narciso acha feio o que não é espelho”. Se há algo que, definitivamente, não é recomendável a um turista é ser narcisista. Aliás, nacionalismo exagerado é coisa de quem não gosta de gente. E isto vale para brasileiros e portugueses.

    • É bem isso.
      Diferenças culturais que devemos ambos respeitar.
      Nós, brasileiros, não levamos tudo tão “ao pé da letra”, tão “ipses literis “. O mais importante pra nós é a comunicação, já que somos muito comunicativos. Perguntar como vem o bife é querer saber de que jeito ele é apresentado.Se tem acompanhamento de fritas, por exemplo, se é acebolado, se vem com molho madeira etc.
      Nem todo bife é igual..É óbvio que o bife não vem à nado, ou à galope. Pra nós isso é muito claro.

  15. Os nossos irmãos Brasileiros, adoram não só nomes pomposos, palavra chique como garçom, petit Gâteau e papai noel, mas também fazer gracinha com os Portugueses, como o filho pretensioso que adora desdenhar do pai, só para se sentir moderno e cosmopolita. Estou a lembrar-me da actriz Maité Proença que num programa da TV Globo, revelou um pouco de si, chamando ignorantes aos Portugueses, a propósito do número 3 invertido, numa porta em Sintra, desconhecendo o seu significado simbólico.

  16. Infelizmente só estive uma vez em Portugal, em Lisboa, na verdade. Amei a cidade, as pessoas, a comida. Planejo voltar em breve, para conhecer mais lugares .

  17. São piadas. O que existe na verdade são expressões idiomáticas com sigificados distintos: Bicha em Portugal é Fila no Brasil. Prego em Portugal é um sanduiche e no brasil é prego mesmo. Rapariga em Portugal é moça e no nordeste do Brasil é puta. Puto em Portugal é guri no Brasil. O maior problema é o português ter que tomar uma injeção na bunda, estando no Brasil… pediria uma pica ao cu. Desculpem, não resisti

  18. Estive em Lisboa, Porto, Coimbra, Braga há poucas semanas e amei Portugal. Achei os Portugueses cordiais, atenciosos e muito educados. Portugal vive um momento econômico muito positivo de de grande desenvolvimento. Aconselho aos Brasileiros que visitem Portugal. As diferenças linguísticas e culturais, por óbvio, sempre existirão. Entretanto não podemos negar nossos fortes laços culturais. Não vejo porque não nos considerarmos povos irmãos. Não há porque nos reconhecermos com base em visões preconceituosas e arcaicas. Devemos nos ver comi dois grandes países que marcam seu lugar no mundo contemporâneo.

  19. Meus caros tenho família brasileira e é um facto que o nosso sentido de humor é diferente.
    È frequente ter de lhes explicar as piadas.
    A de ” como e que vem o bife ” já a testei varias vezes e eles genuinamente não compreendem a piada.
    Pelo que dizem os humoristas brasileiros o sentido de humor no brasil e muito mais direto.
    Assim um herman vs Jo

  20. Entristece-me imenso alguns destes comentários. As piadas expostas, criadas ou reais, são só piadas. Sou portuguesa, tenho imenso amigos brasileiros e já tive a felicidade de viajar ao Brasil várias vezes. Sempre me senti bem vinda e tratada com respeito. Acho o povo brasileiro fantástico e admiro a sua cultura tão rica. Claro que somos diferentes. Temos uma história diferente, culturas diferentes, mas parte de um percurso feito em conjunto. Pessoalmente, agrada-me a musicalidade do sotaque brasileiro e a riqueza de vocabulário que engrandece a lingua portuguesa. Bem hajam os nossos irmãos brasileiros.

  21. Acredito que alguns deste casos narrados tenham realmente acontecido e, quase todos terão enquadramento nas formas distintas que são a forma de falar o português…
    De qualquer forma, sabemos que muitos brasileiros (por pura ignorância) nos tratam como se fossem intelectualmente superiores – o que não é verdade nem de longe nem de perto…
    Certo dia, numa loja do aeroporto Guararapes, no Recife, quando me preparava para comprar uma t-shirt de menina que tinha escolhido, a funcionária diz-me:
    – Não leva a saia? Estou oferecendo!
    Ao que eu respondi que não. Só levaria a t-shirt. Repetiu ela:
    – Mas estou oferecendo!
    -Ai está? Então está bem. Eu levo.
    Aproximou-se da caixa e faturou ambas as peças!
    Então eu disse: Afinal como é? Está a debitar-me a saia?
    – Claro! Não leva as duas?…
    Eu levaria as duas se a saia fosse oferecida, como a senhora me disse. Para sua informação OFERECER em português é DAR, não vender!
    Claro que não trouxe a saia….

  22. O “alemão” Joaquim marca um encontro com seu primo Manoel em um shopping . No caminho ao subir na escada rolante a mesma pára por um defeito mecânico, por mais de três horas. -Não pude acá chegarr a tempo, diz o “alemão” Joaquim a seu primo. Estava a me mover pela escada quando de todo ela parou… continua a falar. Como consequência fiquei por mais de três horas parado e em pé, finaliza o “alemão”. – Parado, em pé? Oras bolas, Joaquim, como tu és burro. Em pé parado numa escada rolante… Por que tu não assentaste, gajo??

  23. Então vamos lá ! sou cidadãob portugués radicado em brasília.Posso falar por experiência que aqui vivo há 7 anos e o que acharem impossível por parte humano fazer sem lógica ,aqui para eles é normal. Quando vou num restaurante e se pedir 1 Bitoque , o garçon fica olhando para mim! ( bitoque lá significa beijo na boca.)Caso tenhas 1 empresa e precisares de 1 funcionário para part time . Muito cuidado com as palavras que eles usam . Eles fazem bicos (faze 1 extra,part-time _ quebra – galho) Não o brazuka não vai quebrar 1 galho ou ramo de 1 árvore ,mas sim fazer 1 part time / Extra.
    Pedes 1 bife… eo garçon fala … mal passado para bem /mal . muitao mal passado / ao ponto / ao ponto para bem / So ponto para mal .Bem passado / bem passado para bem , bem passado para mal …desisto tem mais oki ….kkkk
    Entras numa lanchonete vés a vitrine … deparas com 1 éclair , chamas o funcionario(a) e fazes o pedido … e ele fica olhando para ti.Senhor qual o nome desse bolo por favor .ahhhh a bomba . Éclair = bomba . Vais ao mac donalds pedes 1 menu big mac …ninguém sabe o que é . Menu lanche da promoção. Vais ao mercado pedes uma caixinha de natas …ninguém sabe o que é! se chama créme de leite. Vais a 1 açougueiro pedes 1 costeleta de vaca de 1 kilo …nao tem ..mpedes t-bone ja tens. Pedes 1 hamburguer eles chamam de bomba …. kkkk atenção éclair= bomba / hamburger =bomba . Pedes 1 batido .. eles nao sabem o que é …eles chamam de milkshake. Vais á padaria pedes papo secos e ninguem sabe o que é …tens de falar pao salgado ou pao francés.
    Pedes 1 café , te enchem a xícara ate cair fora .Mandas chamar a rapariga , cuidado bo brasil significa piranha puta .Motoristas de ónibus (autocarro…. lombas # quebra molas para eles.
    Comboio = trem.
    Dirigir por aqui …nao sei dirigir pelo brasil . Setas pisca pisca . este nao existe. Circular , dar prioridade á direita nao existe. Asfalto = estrada. Morar na rossa da capital do brasil tem destas coisas. Chácara – = quinta
    Bem fui brando .Tem tanta coisa que oara 1 ser hunano tal facto ser impossivel , por ser sem logica .Brazuka faz o qymue nao tem lógica até reparar quando dá errado aí aprende.
    Só não entendo o potmrqué de tanta piada do portugués se o próprio brazuka é piada no dia a dia. Não estou criticando . A formação é muito baixa mesmo.
    Agora fica 1 ponto no ar sobre o brasileiro , este é sem lógica mesmo ou faz parte do sangue do brasileiro ver estas coisas sem lógica nenhuma. O que está errado aqui .Nós portugal ou brasil que tem coisas bem difeentes deles a actuaren e falarem dessa forna . Ben vou ficar por aqui …nao va meu argunento virar off topic .

    😉
    .1 bem haja a todos

    • Nossa, quanta bobagem. São palavras diferentes. Porque fazemos coisas sem lógica? Tudo bem que os brasileiros no geral tem uma formação inferior aos portugueses na média. Mas confesso que foi muito complicado entender o que escreveu. Com certeza faltou nas aulas de português e não tem capacidade de formar frases. Agora, o Brasil é muito grande e Portugal distante, ao longo dos tempos palavras foram criadas…todas ou a maioria que citou foram criadas depois que nos libertamos de vocês, então são diferentes mesmo. Agora bomba= hamburguer? Talvez aí em Brasília…aqui em SP é hamburguer mesmo. Mas tudo bem, aproveite a diversidade cultural e aprenda novas palavras, se tiver capacidade. Mas uma coisa me ficou na cabeça….ganhou o beijo na boca do garçom?? Kkkk um abraço do outro lado do atlântico…a bitoca não dou em homens não.

  24. Não tive boa experiência ao vistar Portugal. Foi o único país da Europa que fui mau tratado por ser brasileiro. Sou branco, bisneto de italianos, não tenho diferença notável a primeira vista a excessão da pronúncia.
    Acho que houve um grande fluxo de brasileiros jovens aventureiros, com pouca formação, a partir da década de 80 para a Europa e encheu o saco dos portugueses.
    Não recomendo nenhum brasileiro a ir pra lá sem saber disso. Os portugueses têm restrições ao excesso de brasileiros, muitos dos quais mal educados e até com maus hábitos. E têm uma mágoa, ou um complexo, ao ver as gozações e indiferença dos brasileiros em relação aos portugueses. Acho que revivem a mágoa que tiveram quando Dom João VI abandonou Portugal em 1808 e só retornou 13 anos depois, deixando-os sob invasão francesa, onde passaram até fome. Soube que a independência não nasceu do desejo dos brasileiros, mas das imposições da corte portuguesa em querer forçar o Brasil a ser colônia de novo, o que implicaria em não mais participar das decisões políticas como parte do reino e restringir o comércio. Houve uma guerra da independência em minha cidade, Salvador. Acho que a gozação com os portugueses deve ser dessa época, como forma de negação do governo de Portugal.

    Está fora de meus planos voltar a Portugal.
    Perdi o apego à lingua portuguesa ao ver que em Portugal as TVs passavam filmes em inglês, com legenda ou não, enquanto no Brasil, não passava. Ao saber que um colega foi estudar em Lisboa e precisava aprender inglês, pois na universidade quase toda a bibliografia era em inglês. Eles não traduzem porque não compensa financeiramente e dizem que todas (eles dizem todas) as traduções feitas no Brasil são de má qualidade. Como eles têm uma dependência histórica da Inglaterra, acham oportuno falar inglês. Se não fosse o Império Britânico, Portugal seria parte da Espanha hoje. Então, recomendo meus alunos a aprenderem inglês e se desapegarem do português. Preservar o português em respeito aos nossos ancestrais, ou como identidade, mas não pra ir estudar ou fazer algo em Portugal. Um português me disse que todos os carros, de multinacionais como a Ford, Volks, etc, montados no Brasil são de má qualidade. Nåo dá nem pra conversar!

    • Caro Alberto.
      Depois de tantos atropelos à história, peço—lhe encarecidamente que nunca diga a ninguém que é professor, seja de que cadeira ou disciplina for… pois com tantas declarações erradas que proferiu, das duas uma, ou é intelectualmente desonesto, ou então não tem as qualificações e conhecimentos necessários para exercer a sua profissão…
      Sei que existem diferenças culturais evidentes e notórias mas a melhor forma de as combatemos não será certamente pela via da mentira.

      • Sr. Pedro

        Não sou desonesto e não minto. Relatei o que passei em Portugal. Sei que tem muita gente boa por lá. Mas certamente dei azar na convivência. Acredito que, mesmo os que me trataram mal, não devem ser pessoas ruins. Mas ouvi queixas similares de brasileiros aqui. Conheci portugueses muito simpáticos no Brasil e na França em outras circunstâncias.

        A “indiferença” que citei dos brasileiros com os portugueses seria melhor substituir por ignorância. Digo isso porque não é comum encontrar extrangeiros aqui como na Europa. De minha cidade poso traçar um círculo de 2000 Km sem sair do Brasil, exceto o oceano.

        Em geral, os europeus são mais respeitadores das individualidades e diferenças das pessoas, mas são muito mais grosseiros no trato que os brasileiros se se sentirem incomodados. Depois da aprovação da lei do consumidor no Brasil, dificilmente um cliente consegue brigar com um vendedor numa loja. Os proprietários também, geralmente, fazem o possível para atender bem e não se opor a um cliente. Não é o que vi na Europa. Em minha experiência, achei os italianos os vencedores das grosserias aos clientes. Certa vez, um senhor italiano na fila de comprar passagem de ônibus, brigou por mim contra o vendedor dos bilhetes ao ver que eu e minha mulher éramos extrangeiros. Ainda me pediu desculpas pelas grosserias do vendedor. A razão foi eu dar uma nota muito grande e ele apenas não tinha troco para o dinheiro que eu dei.

        O que citei para justificar o que senti dos portugueses é apenas uma interpretação histórica de um engenheiro. Certamente um hitoriador terá melhor interpretação que eu. Seria mais produtivo você dizer onde estão as mentiras no que eu falei. Porque aí eu vou procurar rever.

        Para mim, o que pesa é que Portugal foi o único país onde fui mau tratado por ser brasileiro e, por isso, não pretendo voltar lá. Também, não recomendo a brasileiros irem para lá sem saberem da visão crítica que muitos portugueses têm dos brasileiros. Recomendo: não façam “piadas de portugueses” e não pensem que são todos amigos. Esse deve ter sido o meu erro. Cheguei a Lisboa contente e pensei:
        – Que legal, Portugal existe mesmo! Peguei a ficha errada no guichê de atendimento e a mulher, atendente da estação de trem, descarregou em mim todas as mágoas que guardava dos brasileiros. Foi horrível e injusto. O Brasil tem 200 milhões de habitantes e eu só errei com a ficha de papel!

        Isso é apenas a minha experiência pessoal ruim de Portugal. Tem quem fale maravilhas.

    • Mas lá está, julgo eu que não se deve fazer generalizações quando se visita um país e se conhece um povo.

      Relativamente aos factos históricos, está redondamente enganado. Portugal tem uma aliança com Inglaterra. Mas nunca esteve dependente da mesma.
      Aliás e em boa verdade o exército inglês aquando das invasões francesas esteve cá, não por precisarmos mas porque ao contrário do que se pensa, o que se passou foi basicamente uma estratégia dos liberais (a família imperial) de forma a não entregar o poder em portugal aos absolutistas.
      Aliás depois das invasões francesas tivemos a guerra liberalismo vs absolutismo. E especialmente os habitantes da cidade do Porto – que como se sabe, se ocupavam de transações mercantis; deram o necessário impulso para que o liberalismo triunfa-se – basta ver a tradição que as famílias portuenses tinham nas suas ligações com ingleses.
      Por isso, está errado o seu pressuposto de uma qualquer dependência.
      Por outro lado, o erro ainda é maior quando se diz que Portugal, não fosse a ajuda de inglaterra (??????) faria parte de Espanha…. Completamente errado. Após a dinastia filipina (3 Reis Filipes), e com a restauração da independência proclamada pelo futuro Rei. D. João IV, nunca mais tivemos problemas com “nuestros hermanos” – e nessa guerra foram os portugueses, meu amigo, a fazê-la. Nada de ingleses. Por isso também cai o “facto histórico” aqui.
      O que existia e só para elucidar, era esforços diplomáticos (especialmente com o poder papal).

      Por fim, repito não sei o que se passou e lamento por isso. Mas em boa verdade sou português e sou bastante mal tratado por cá (ahahahah) especialmente nos locais onde esteve. Existe, infelizmente outro grande problema com os brasileiros por cá: a primeira vaga eram composta por maioritariamente por brasileiros manhosos e brasileiras que se dedicavam a outro tipo de “trabalhos”. Ou seja, tivemos maus exemplos de brasileiros (diga-se cartão de visita) e depois o facto de a maior parte das pessoas generalizar gerou-se aqui o preconceito do brasileiro.
      Contudo, e felizmente, nem tudo é assim. Aliás, eu próprio casei com uma brasileira e estou a fazer o meu processo de naturalização no brasil.

    • Se. Alberto: fica bem evidente por que apregoa a seus alunos deixar de aprender o idioma português – sendo descendente de italianos, sua visão limitada de países como o Brasil e Portugal é absurda ! Portugal é um país maravilhoso, seu povo tem uma cultura muito acima da nossa (haja vista a conservação de seu patrimônio e de todos os serviços que prestam). Quem usa os meios de transporte por lá pode observar o quanto se preserva o bem comum. Reveja suas observações e reflita bem no que escreveu.

      • Leandro

        Não prego que meus alunos deixem de estudar o português e sei, como já disse, que em Portugal existe muita gente boa, educada, etc. Mas existem por aqui, muitas pessoas que repudiam o inglês por oposição ao imperialismo americano, preguiça de estudar ou outras coisas. Dizer para meus alunos que Portugal fala inglês, e que não se opõem ao uso do inglês nas mídias e que usam livros em inglês, sem traduzir, nas universidades é um incentivo a estudar o inglês, que é a língua mais usada na engenharia eletrônica. Não devemos nos preocupar em ‘”proteger ou preservar” a língua portuguesa, mais que os portugueses!

        Por outro lado, é um risco, para os brasileiros desavisados, esconder ou negar os muitos casos de discriminação aos brasileiros em Portugal. Veja no google. Com razão ou sem razão, merecido ou não, convém que saibam. O preconceito está acima das diferenças linguísticas, que são motivos de graça. Jamais sairei de meu país para ser mal recebido em Portugal outra vez. Isso independe de quão maravilhosos eles sejam e de quão bonito é o país. O melhor lugar é onde se está com amigos. A discriminação conosco lá é muito maior que em outros países europeus. Apesar das gozações que fazemos com portugueses aqui, geralmente eles, e todos os extrangeiros, são tratados sem discriminação.

  25. O problema é que os brasileiros não falam bem português ,falam um português cheio de erros gramaticais ,usam mal os ,verbos ,etc,a escrever então nem se fala,por isso,quando brincamos com eles não entendem as piadas,nem entendem que é brincadeira. Quando visitam portugal podiam aproceitar para aprender melhor a língua materna assim como os nossos usos e costumes. Por exemplo; me vê aí um café… Me vê não,..de-me um café ou quero um café por favor .Também no outro dia vi um brasileiro a reclamar no supermercado,tinha comprado uma lata de feijão encarnado,reclamava pois a lata só tinha feijão e não tinham posto a carne só tinha feijão, en-carnado 🙂

  26. Faço minhas as palavras de Robson Sá ! Estive por la em outubro de 2017. Amei Portugal; fiquei em Lisboa, de onde fui para Cascais, Sintra, Porto, Aveiro e Óbidos. Fiquei maravilhado com o país e sua cultura… Quem achar que Brasil é culturalmente mais elevado que Portugal está extremamente enganado. Conversei com muitas pessoas lá e, de longe são mais instruídos que nós !

  27. Há uns anos atrás, acompanhando um grupo de portugueses no Nordeste, o guia local, para quem o estava a ouvir, comentou: – …e a razão porque o Brasil está assim, é porque fomos colonizados pelos portugueses em vez dos holanseses…! Aí, foi demais; de guia para guia, puxei-o à parte e disse-lhe: Pois é: como guia deveria primeiro e documentar sobre o que os holandeses fizeram num país como a Africa do Sul: algo que foi chamado de “Apartheid”. Pensa bem: Se os holandeses tivessem vingado por aqui, com essa bonita cor de café com leite, … queres dizer-me de que lado da linha…estarias?

  28. Olá a todos! Aprendi e me diverti muito lendo todos os comentários e cheguei à conclusão de que o maior erro, tanto de brasileiros quanto de portugueses é acharmos que falamos a mesma língua e eu, particularmente creio que não, tanto que os muitos tradutores online já disponibilizam a opção “Português brasileiro”. E como brasileira me vejo obrigada a defender as críticas quanto ao nosso modo de falar, escrever e pensar.
    Quanto a falar e escrever encontrei este ótimo artigo que explica muitíssimo bem as diferenças e os “por quês” entre o Português em Portugal e o Português no brasil, desta forma, peço que o leiam se houver interesse; mesmo porque, os mais puristas veriam que não há motivos para tantas críticas. (wikipedia: portugues_brasileiro – não consigo colar o link).
    Quanto a nossa forma de agir, pensar e se comportar, não há uma explicação acadêmica (ao menos não a encontrei) mas se quiserem mesmo saber assistam aos vídeos de Ariano Suassuna no Youtube, ninguém nos traduziria melhor. Grande abraço a todos!

  29. Tipica piada de Português. Vêm da forma como os Brasileiros encaram os Portugueses cuja cultura não conhecem e cuja maneira de falar lhes faz confusão. A maior parte das histórias são completamente implausíveis.

  30. Sou brasileira e fazem 5 meses que estou morando no Porto.
    Regra primordial, não generalizadar. Portanto contarei sobre minha experiência.
    A minha primeira impressão dos portugueses foi péssima. Achei-os grosseirões, excessivamente diretos, impessoais, frios, mal humorados, hostis, briguentos. Falam alto, gritam, reclamam de tudo, estão sempre demasiadamente apressados e não se esforçam minimamente para serem gentis ou cordiais.
    Assim que cheguei entrei em pânico total e quis embarcar no mesmo avião que cheguei se fosse possível.
    Hoje em dia, aprendi a compreende-los melhor.
    Falou-se muito sobre educação. Pois bem, notei que muitos aqui, prezam pela etiqueta, mas ignoram o bom senso.
    Várias vezes percebi por exemplo, que eles ficam irritados se não dizemos olá antes do bom dia, ou se não dizemos com licença antes de nos levantar da mesa. Eles o fazem, porém, pedem informação e não dizem por favor. Ou se você não tem a informação, não agradecem. Fumam em qualquer lugar, na porta da escola, nas paragens de autocarro e metro no meio das pessoas crianças, quem for.
    Conversam um falando por cima do outro, não respeitam a sua vez de falar. Não esperam você concluir ou se explicar. Educação não é apenas etiqueta.
    Há regiões do Brasil em que a maioria das pessoas mais velhas são analfabetas, ou semi-analfabetas. Não lêem, pouco sabem falar ou escrever português.
    E mesmo entre os instruídos ou cultos, a informalidade é algo muito comum entre os brasileiros. Muito mais do que deveria, admito. Mas isso não significa que não se saiba falar e escrever da maneira correta.
    Acho que os portugueses são realmente mais literais, ipisis verbis. Certa vez, eu disse ao vendedor. Posso dar uma olhada? Que para nós paulistanos significa: Posso tocar? E o homem me disse: Tu já estás a olhar, pode apanhar com os dedos!
    Outra vez, estávamos na entrada do prédio meu marido, eu e um casal de amigos falando com a senhoria do apartamento que alugaríamos. Nesse momento passou um morador, minha amiga sorriu, cumprimentou, e brincou dizendo a ele: É uma reunião de condomínio. Todos rimos. Ele saiu pela porta de vidro, e 3 segundos depois, voltou, bateu no vidro. Minha amiga abriu e o homem disse a senhoria, a proprietária do apartamento: – Reunião de condomínio? Hoje? A essa hora? Estão todos a trabalhar…
    Minha amiga disse: Estou brincando. Ficamos todos com cara de hã? É sério que ele achou que falávamos a sério???? E rimos bastante.
    Eles também não entendem nossas piadas. E nem nossa maneira de brincar. E olha que nós sorrimos enquanto fazemos piada ou brincamos com alguém. Já eles fazem as tais piadas com cara de quem não almoça desde ontém.
    Outra vez, conversávamos meu marido e eu com a senhoria sobre o valor total a pagar pelo aluguel e pela água e energia. Meu marido perguntou se ele poderia fazer uma transferência. Ela disse que não transferiria a conta de energia para o nome dele porque… Blá, blá, blá…
    O sentido das palavras são usados de uma maneira muito diferente. Um brasileiro, aqui em Portugal, mesmo que fale o português corretamente, pode parecer uma pessoa burra. E um português, no Brasil, também pode parecer uma pessoa burra. Imagino que este seja o real motivo das piadas sobre burrice.
    Se você comprar e perguntar quanto deu? Ou quanto é? Eles não responderão com um número total final, como acontece no Brasil. Eles irão falar o quê, e o quanto custou por cada serviço. Enfim, as diferenças são enormes.
    Já sabemos que isso acontece até mesmo dentro do Brasil, quando alguém do Sul ou do Sudeste visita o Norte ou Nordeste, aprende, praticamente, uma nova língua.
    Ainda estou me acostumando com Portugal. Tem muita coisa boa aqui, tem muita gente legal, interessante, mas também tem o preconceito, e de vez enquando, sinto que estou sendo maltratada por um ou outro. Infelizmente, gente idiota há em qualquer lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here