Início História Tem 870 anos e é a igreja mais antiga de Lisboa

Tem 870 anos e é a igreja mais antiga de Lisboa

Foi mandada construir por D. Afonso Henriques e resistiu ao sismo de 1755. É um dos monumentos mais apreciados por turistas: a igreja mais antiga de Lisboa.

6788
0
COMPARTILHE
Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

 

A Sé Catedral de Lisboa (a Santa Maria Maior de Lisboa) é uma paragem obrigatória para os fãs de arquitectura religiosa. É a igreja mais antiga de Lisboa e foi alterada várias vezes, reflectindo assim diferentes estilos arquitectónicos incluindo o gótico, o romano e o neoclássico. É a sede do Patriarcado de Lisboa e da Paróquia da Sé. A sua construção teve início na segunda metade do século XII, em 1147, após a tomada da cidade aos Mouros por D. Afonso Henriques. É classificada como Monumento Nacional desde 1910.

locais grátis para visitar em Lisboa
Sé de Lisboa

Lisboa é sede de um bispado desde pelo menos o século IV, no final da Antiguidade. Sabe-se também da existência de vários bispos da cidade durante o período visigótico, entre os séculos V e VII. No início do século VIII, Lisboa foi conquistada pelos Mouros, mas continuou a haver uma população cristã na cidade e nos arredores.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Em 1147, quando D. Afonso Henriques tomou a cidade aos Mouros, Lisboa tinha um bispo moçárabe (como eram denominados os cristãos que viviam sob domínio muçulmano). Após a reconquista da cidade pelo rei português e os cavaleiros que tomavam parte da Segunda Cruzada, um cruzado inglês, Gilberto de Hastings, foi feito bispo. Começaram então as obras de construção da catedral, aparentemente no lugar da antiga mesquita de Lisboa. Nessa mesma época, Afonso Henriques trouxe do Algarve as relíquias de São Vicente de Saragoça e depositou-as na Sé.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

O edifício em estilo românico da Sé começou a ser levantado a partir de 1147 e foi terminado nas primeiras décadas do século XIII. O projecto, de três naves com trifório, transepto saliente e cabeceira com três capelas, é muito semelhante ao da Sé de Coimbra e segue modelos normandos. O seu primeiro arquitecto foi Mestre Roberto, provavelmente de origem normanda, que trabalhou na construção da Sé de Coimbra, de Lisboa e do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Apesar da proibição medieval de laicos serem enterrados na capela-mor, foi aberta uma excepção para D. Afonso IV pelo seu desempenho heróico na Batalha do Salado (1340). A nova cabeceira começou a ser construída na primeira metade do século XIV, mas as obras só terminaram nos inícios do século XV, durante o reinado de D. João I, quando os túmulos de D. Afonso IV e sua mulher, D. Beatriz, foram transladados para a capela-mor.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

A criação de um deambulatório com uma série de capelas na cabeceira foi uma obra modernizadora da Sé que a tornou mais apta para receber os peregrinos que vinham ver as relíquias de São Vicente. No século XIV, Lisboa e a Sé foram afectadas por vários terramotos. Um forte terramoto no início do século XV causou modificações nas obras, nessa época é possível que tenham sido fechados os arcos que ligavam o corredor do deambulatório à capela-mor.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Em meados do século XVII foi construída uma sacristia em estilo maneirista junto à fachada sul da Sé. No século XVIII a capela-mor gótica foi alterada em forma barroca. O grande Terramoto de 1755 afectou a Sé, destruindo a Capela do Santíssimo, a torre sul e a decoração da capela-mor, incluindo os túmulos reais, e o claustro. A torre-lanterna ruiu parcialmente e destruiu parte da abóbada de pedra da nave, que foi reconstruída em madeira. Nas décadas seguintes a Sé passou por reformas e uma campanha de redecoração. Assim, entre 1761 e 1785 foi reconstruída a Capela do Santíssimo.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Grande parte das adições da era barroca foram retiradas a partir de uma grande campanha de restauro que ocorreu na primeira metade do século XX, cujo objectivo foi devolver à Sé algo de sua aparência medieval. O primeiro encarregado dos trabalhos, em 1902, foi Augusto Fuschini, que planeou um edifício revivalista em estilo neogótico. Fuschini demoliu algumas construções que flanqueavam a igreja, reconstruiu abóbadas, restaurou e abriu janelas e coroou de ameias o edifício. Após a sua morte, em 1911, o projecto de restauro foi retomado e modificado por António do Couto Abreu, que passou a privilegiar as estruturas medievais ainda existentes.

 

Dicas para apreciar a Sé de Lisboa

Um dos elementos mais impressionantes da catedral é sua fachada semelhante a de uma fortaleza, construída no século XII. A fachada garantia uma aparência ameaçadora para que a catedral pudesse ser usada para proteger os guardas durante um cerco. Caminhe pela fachada voltada para o oeste, que ainda tem vários detalhes originais que saltam aos olhos. Observe os motivos romanescos no tipo das colunas esculpidas do portal.

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Vá para dentro e observe a dramática abóbada gótica. Procure a sacristia em estilo barroco que foi construída no século XVII. Caminhe até a capela principal neoclássica, onde está o túmulo do Rei Afonso IV. Pode ainda ver a fonte onde se diz que Santo António de Pádua foi baptizado, em 1195 A.D.. O Rei D. Dinis encomendou a construção de um claustro em estilo gótico na ala leste da catedral no final do século XIII que foi bastante danificado no terramoto de 1755, mas as ruínas são visíveis até hoje.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here