Início Viagens Serra do Gerês: o paraíso entre o rio Homem e o rio...

Serra do Gerês: o paraíso entre o rio Homem e o rio Cávado

Um pequeno paraíso entre os rios Homem e Cávado, repleto de rios, cascatas, aldeias e tradições para descobrir. Assim é a Serra do Gerês.

3866
1
Cascata de Fecha de Barjas
Cascata de Fecha de Barjas

Há quem confunda a Serra do Gerês com todo o Parque Nacional da Peneda Gerês. A confusão deve-se ao facto de quase toda a gente chamar apenas “Gerês” a todo o parque nacional que, na realidade, engloba quatro serras: serra da Peneda, Soajo, Amarela e Gerês. A Serra do Gerês, entre os rios Homem e Cávado é, portanto, apenas uma das zonas do Parque Nacional.

Apesar de se tratar apenas de uma porção do Parque, a Serra do Gerês tem muito para ver e para visitar e é uma das mais emblemáticas serras do Norte de Portugal. Um mundo repleto de fauna e flora de especial importância, aldeias típicas e comunitários, rios de água pura e límpida, cascatas e lagoas.

Serra do Gerês

O Gerês constitui uma cadeia granítica que se estende de nordeste para sudoeste, numa extensão de 35 quilómetros, entre a Fonte Fria e o Rio Caldo. No cume dos Carris, a serra atinge os 1507 metros de altitude; na Nevosa, 1545 metros; no Pico da Cabreira, junto da raia de Espanha, os 1534 metros; e no Altar dos Cabrões (sim, leu bem), os 1544 metros.

Serra do Gerês
Serra do Gerês

Tanto a flora como a fauna desta região são consideradas das mais ricas de Portugal. No Gerês, a vegetação está escalonada por três zonas de altitude: na primeira, até 1200 metros, predominam os castanheiros, azevinhos, medronheiros e pilriteiros; na segunda, de 1200 a 1400 metros, os teixos, vidoeiros e pinheiros nórdicos; na terceira, acima de 1400 metros, as árvores dão lugar a pequenos arbustos e ao zimbro que cobrem os cumes. Nesta serra abundam os jacintos, narcisos e os lírios. Ocasionalmente, aparecem planaltos com vegetação herbácea onde, de Maio a Setembro, pastam os rebanhos.

Serra do Gerês
Serra do Gerês

É nesta serra, repleta de inúmeros atractivos turísticos, que nasce o rio Homem. Também aqui existe uma importante estância termal, as Caldas do Gerês, especializada em doenças de fígado. Mas não só: pequenas aldeias onde ainda se pratica a transumância, e rios repletos de cascatas e lagoas são alguns dos pontos de interesse da Serra do Gerês.

 

O que visitar na Serra do Gerês?

1. Cascata do Arado

Cascata do Arado
Cascata do Arado

A Cascata do Arado é uma queda de água (cascata) fluvial localizada no Rio Arado, perto da aldeia da Ermida. Esta cascata caracteriza-se por se localizar num curso de água de alta montanha, no rio Arado em que o desnível do terreno é vencido por uma sucessão de cascatas que terminam num lago de águas cristalinas nas proximidades da aldeia da Ermida, localizada a leste das Termas do Gerês.

 

2. Miradouro da Pedra Bela

Miradouro da Pedra Bela
Miradouro da Pedra Bela (bruno Cruz)

Espelho da beleza fantástica do Parque Parque Nacional da Peneda-Gerês, o Miradouro da Pedra Bela, em Terras de Bouro, está situado a cerca de 800 metros de altitude. Este é um dos locais mais famosos do Gerês, e uma vez avistando a paisagem, percebe-se instintivamente o porquê. Montanhas, a albufeira da Caniçada, os rios que serpenteiam a serra, a confluência do Rio Cávado com o rio Caldo, a vegetação própria desta serra, ou a estonteante Portela do Homem…

 

3. Cascata Fecha de Barjas

Cascata Fecha de Barjas
Cascata Fecha de Barjas

As Cascatas de Fecha de Barjas, por vezes designadas Cascatas do Taiti (designação errada) são uma queda de água (cascata) localizada nas Caldas do Gerês, freguesia de Vilar da Veiga. É uma cascata de alta montanha cujas águas são provenientes do Rio Arado e onde só se pode chegar por caminhos pedestres dada a grande dificuldades de acesso ao local visto os caminhos serem muito sinuosos e agrestes. Esta queda de água termina numa calma e serena lagoa com margens de areia e águas cristalinas que representa um refúgio para o difícil caminho.

 

4. Cascata de Leonte

Cascata de Leonte
Cascata de Leonte

A Cascata de Leonte é uma queda de água (cascata) localizada nas proximidades de Caldas do Gerês, freguesia de Vilar da Veiga, concelho de Terras de Bouro e distrito de Braga, em portuguesa. Esta queda de água encontra-se localizada a 2 km da Portela do Homem junto à ponte e as suas águas provêm do ainda incipiente rio Homem dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

 

5. Cascata de Cela Cavalos

Cascata de Cela Cavalos
Cascata de Cela Cavalos (António Cunha)

Cascata formidável onde os peixinhos nos vêm morder as pernas e onde a paz abunda. De fácil acesso basta que cheguemos à aldeia de Cela (localizada a poucos Kms da Paradela), atravessa-se a aldeia e estaciona-se junto da capela, sítio de onde se tem uma vista única sobra o vale e rio. É daí, que começa a melhor parte, mochila às costas e anda-se cerca de meia hora, quase sempre a descer e com uma vista fantástica até que se começa a ouvir o som de água. Anda-se mais um pouco até atravessar uma ponte que repousa à sombra de uma grande árvore… assim que a ponte é atravessada, basta que passemos as árvores do nosso lado direito e damos de frente com a beleza e a imponência desta bela cascata que nos reserva muito agradáveis surpresas assim que a começamos a subir.

 

6. Fafião

Fafião
Fafião

Fafião distingue-se das demais aldeias na zona do Gerês pelo estilo de vida comunitário que lá permanece há gerações. Com 80 a 90 residentes durante a semana, a aldeia duplica a população aos fins-de-semana com as pessoas espalhadas pelo resto do país e mantém vivos hábitos como a vezeira, mas também como o uso comum do lagar de azeite.

 

7. Cascata da Portela do Homem

Cascata da Portela do Homem
Cascata da Portela do Homem

Esta queda de água encontra-se localizada a 1 km da Portela do Homem junto à ponte e as suas águas provêm do ainda incipiente rio Homem dentro do Parque Nacional da Peneda-Gerês. Forma-se com o despenhar das águas do alto de uma penedia de rocha granítica. Depois da queda as águas dão forma a uma serena lagoa bastante utilizada nas épocas de veraneio. Para se chegar a esta cascata é preciso chegar até ao local da Portela do Homem, sendo que o caminho a partir daqui se encontra assinalado.

 

8. Sete Lagoas

Sete Lagoas
Sete Lagoas

Chegar até elas não é fácil e exige uma longa caminhada a pé. Um bom todo o terreno pode facilitar a viagem mas mesmo assim não é garantido e nem sequer aconselhável já que, caso encontre outro pelo caminho, não poderá passar porque a estrada é tão estreita que apenas permite a passagem de um carro. Pode começar este trilho a partir de 2 locais diferentes: da Ponte da Misarela, na fronteira entre Montalegre e Vieira do Minho, ou a partir da aldeia de Xertelo.

 

9. Cascata de Pitões das Júnias

Cascata de Pitões das Júnias
Cascata de Pitões das Júnias

A Cascata de Pitões das Júnias é uma queda de água (cascata) localizada quase no fim da aldeia e freguesia de Pitões das Júnias, concelho de Montalegre. Esta cascata é uma das muitas cascatas da região do Barroso e vai animar vários rios que nascem na Serra do Gerês. Nas proximidades desta cascata existe uma ponte de madeira e também um carvalho centenário, que ao longo dos séculos tem sido alvo de várias lendas locais, como a de um duende aí viver.

 

10. Pitões das Júnias

Pitões das Júnias
Pitões das Júnias – Rui Videira

Localizada em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês, no bonito concelho de Montalegre, Pitões das Júnias é uma das mais tradicionais e pitorescas aldeias transmontanas, que tem conseguido manter ao longo dos séculos a sua pequena população e o aspecto medieval, de construções em pedra, sendo um dos principais atractivos turísticos desta região nos meses de Verão, contando já com algumas unidades de turismo ecológico.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here