Início Sociedade Quem pode ser sepultado no Panteão Nacional?

Quem pode ser sepultado no Panteão Nacional?

Quem pode ser sepultado no Panteão Nacional. Quem já está sepultado? E quais são os próximos candidatos a serem sepultados? Descubra as respostas.

849
0
COMPARTILHE
Panteão Nacional

 

Com mais de 120 mil visitas apenas em 2016 (superando em 20% o ano prévio), o Panteão Nacional de Lisboa é um belíssimo exemplar arquitectónico em Lisboa. Embora o admiremos em todo o seu esplendor actualmente, a vida deste colosso é uma vasta história de atrasos, reconstruções e restaurações. A sua história começa em 1568, quando a Infanta D. Maria mandou construir uma igreja na freguesia de Santa Engrácia. Infelizmente, em 1681 um violento temporal devastou a Igreja, deixando muito pouco deste primeiro desenho do monumento religioso.

Panteão Nacional
Panteão Nacional – Joe Price

Um ano depois do desastre, em 1682, com novos planos de trabalho, iniciou-se a reconstrução da Igreja. No entanto, os trabalhos perduraram durante tanto tempo que deram origem à expressão “obras de Santa Engrácia” e que significa algo que nunca mais acaba… isto porque a conclusão “arrastou-se” quase 3 séculos (284 anos), terminando-se as obras em 1966! O desenho da Igreja terá sido inspirado na Igreja de São Pedro, em Roma. Feita em mármore de várias cores, a Igreja de Santa Engrácia ganhou o estatuto de “Panteão Nacional” em 1916.

 

Quem pode ser sepultado no Panteão Nacional?

A lei prevê que as “honras do Panteão” se destinam “a homenagear e a perpetuar a memória dos cidadãos portugueses que se distinguiram por serviços prestados ao país, no exercício de altos cargos públicos, altos serviços militares, na expansão da cultura portuguesa, na criação literária, científica e artística ou na defesa dos valores da civilização, em prol da dignificação da pessoa humana e da causa da liberdade”.

Panteão Nacional
Panteão Nacional

A trasladação é um ato que só pode ser aprovado pela Assembleia da República. E tem que ser assinado pelo Presidente da República um termo de sepultura. De acordo com a lei, essa trasladação só pode ocorrer depois de passar um ano sobre a data da morte.

 

Quem está sepultado no Panteão Nacional?

1. Almeida Garret

Foi um dos escritores  e dramaturgos portugueses mais importantes do século XIX e um dos maiores impulsionadores do teatro nacional. A construção Teatro Nacional de D. Maria II foi uma sugestão sua. Nascido no Porto, faleceu em 1854 já na cidade de Lisboa.

2. João de Deus

Poeta e pedagogo, escreveu a Cartilha Maternal em 1876, pela qual ficou conhecido. Colaborou em vários jornais e revistas e publicou vários poetas em nome próprio. Natural do Algarve, faleceu em 1896.

3. Manuel de Arriaga

Manuel de Arriaga foi o primeiro Presidente eleito da República Portuguesa, entre 1911 e 1915. Antes disso, já tinha sido figura proeminente na revolução republicana em Portugal. Acabou por falecer em 1917, amargurado por não ter evitado a demissão do seu Governo.

4. Sidónio Pais

Professor universitário e militar, Sidónio Pais foi eleito Presidente da República em 1918. Anteriormente, já tinha sido Ministro das Finanças, Ministro de Portugal em Berlim e um grande contestatário do Governo da altura. Foi no seu mandato que o sufrágio universal foi decretado. Faleceu em 1918.

5. Guerra Junqueiro

Influenciado por escritores como Vítor Hugo e Voltaire, é uma das figuras da literatura lírica e satírica portuguesa. Chegou a ser Ministro de Portugal na Suiça, mas foi na escrita que ficou conhecido. Faleceu em 1923.

6. Teófilo Braga

Sucedeu a Manuel de Arriaga como Presidente da República e foi também uma figura importante no republicanismo português. A partir do final de 1918 dedicou-se à escrita, tendo publicado vários trabalhos em que falava da origem das tradições portuguesas. Faleceu em 1924.

7. Óscar Carmona

Foi um membros do movimento militar de 28 de maio, que culminou no derrubar da I República, se bem que nunca teve nenhuma ligação partidária. Em 1928 é eleito Presidente da República, cargo que manteve até à sua morte, em 1951 – é o Presidente que mais anos esteve no poder.

8. Aquilino Ribeiro

Faleceu em 1963, mas só em 2007 o seu corpo foi transladado para o Panteão Nacional. É um dos grandes escritores portugueses e o primeiro presidente da Associação Portuguesa de Escritores.

9. Humberto Delgado

Foi apelidado de General Sem Medo e assumiu publicamente que, caso fosse eleito chefe de Governo em 1958, demitira António de Oliveira Salazar. Protagonizou uma aguerrida campanha política contra o então Primeiro Ministro, acabando por perder. Foi assassinado pela PIDE em 1965.

10. Amália Rodrigues

Ainda hoje é considerada uma das maiores e mais importantes fadistas portuguesas. Actuou um pouco por todo o mundo e levou o Fado aos quatro cantos da Terra. Participou também em peças de teatro e alguns filmes, escreveu as suas letras e foi alvo de várias homenagens. Faleceu em 1999 e desde 2001 que o seu corpo repousa no Panteão Nacional.

11. Sophia de Mello Breyner Andresen

Poetisa, foi a primeira portuguesa a vencer o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana, o que levou a que o seu espólio fosse editado em castelhano. Escreveu contos, poemas, histórias infantis e foi figura marcante no panorama literário português. Foi também a mais recente personalidade a ser transladada para o Panteão Nacional, em 2014, 10 anos depois do seu falecimento.

12. Eusébio

Pouco mais de um ano após a sua morte, os deputados de todas as bancadas partidárias do parlamento foram unânimes, em 20 de Fevereiro, na aprovação do projecto de resolução para conceder honras de Panteão Nacional àquele desportista de alta competição, o primeiro afro-português a merecê-las. Também alcunhado de “King” (Rei) ou “Pantera Negra”, ganhou em 1965 a Bola de Ouro, que então distinguia o melhor futebolista europeu a jogar na Europa, e conquistou duas vezes a Bota de Ouro (1967/68 e 1972/73), prémio para o melhor marcador dos campeonatos nacionais europeus.

NOTA:

No Panteão, encontram-se ainda cenotáfios — arcas tumulares de homenagem sem corpo – evocando as figuras de Luís de Camões, do infante D. Henrique, de D. Afonso de Albuquerque, Vasco da Gama e Pedro Álvares Cabral.

 

Existem planos para sepultar mais alguém no Panteão Nacional?

Estão ainda a decorrer várias petições para levar ao Panteão figuras como o cônsul-geral Aristides de Sousa Mendes, o músico Zeca Afonso e até o historiador José Hermano Saraiva.

“Aristides de Sousa Mendes dignificou e elevou a condição humana. Foi um homem e um português justo e bom, que teve a coragem de se erguer contra a injustiça dos homens, salvando milhares de vidas e tendo pago um preço elevado por isso. É hoje uma referência ética, moral e cívica para Portugal e para o mundo”, refere o texto da petição a favor do cônsul português em Bordéus, que tem 760 assinaturas. Em 1940, Aristides desobedeceu a ordens do regime de Salazar e concedeu milhares de vistos de entrada a judeus, ajudando-os, assim, a fugir dos nazis alemães.

O pedido de Zeca Afonso, por seu lado, lembra este músico como “uma voz inconfundível a favor da liberdade em Portugal”. “José Afonso esteve sempre ao lado dos desfavorecidos o que é bem notório nas letras das suas canções e baladas. José Afonso foi um cidadão perseguido e preso pela policia política do salazarismo. O seu talento como autor, músico e intérprete é ímpar. José Afonso merece ser trasladado para o Panteão Nacional fazendo-se jus à sua obra e nobilitando a democracia portuguesa reinstaurada em 25 de Abril de 1974 com a própria senha por si criada num momento de notável inspiração – Grândola Vila Morena”, lê-se.

Há ainda uma petição a favor da trasladação do historiador José Hermano Saraiva, que morreu em 2012.

 

A Igreja de Santa Engrácia é o único Panteão Nacional em Portugal?

Em Portugal existem dois panteões nacionais. O de Lisboa, na igreja de Santa Engrácia, que passou a ter esta função a partir de 1916, e o de Coimbra, no Mosteiro de Santa Cruz, a partir de 2003. O panteão em Coimbra deve este estatuto à presença tumular dos dois primeiros Reis de Portugal: D. Afonso Henriques e D. Sancho I.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here