Início História Portugal esquecido: 12 monumentos em ruínas

Portugal esquecido: 12 monumentos em ruínas

Fazem parte da nossa história mas foram abandonados. Porque denunciar o que está mal é importante... Portugal esquecido: 12 monumentos em ruínas.

185786
14

5. Quinta do Duque em Alpriate, Vila Franca de Xira

A Quinta do Duque situada junto á localidade de Alpriate, Vila Franca de Xira vai buscar o nome aos Duques de Lafões, antigos proprietários. O edifício principal foi dos primeiros a ser construído em Portugal seguindo a traça do neoclassicismo.

Quinta do Duque em Alpriate

Quinta de recreio dos duques de Lafões, este notável conjunto que denota uma campanha neoclássica, inclui, para além do solar residencial, instalações utilitárias e zonas de lazer (apesar de descaracterizado, devido ao abandono a que está sujeito aquele espaço, ainda se vislumbra o original jardim de buxo à francesa).

 

6. Convento de Seiça – Figueira da Foz

De fundação lendária, deste edifício monástico, doado no século XII por D. Sancho I à Ordem de Cister, sob patrocínio do Mosteiro de Alcobaça e sob invocação de Santa Maria, conforme uso em todos os mosteiros da Ordem, não resta mais do que uma imponente e impressionante ruína. Este complexo monástico cisterciense, localizado junto à ribeira de Seiça, foi fundamental na reorganização territorial e social das povoações do estuário do Mondego, pela introdução dos seus avançados conhecimentos de técnicas agrícolas (desbravamento de terras, drenagem de solos, etc.).

Convento de Seiça

Com a extinção das Ordens Religiosas, em 1834, o conjunto arquitectónico foi apropriado pelo Estado, tendo posteriormente sido entregue à Junta de Paróquia de Nossa Senhora do Ó do Paião a Igreja e a Sacristia do Mosteiro de Santa Maria de Seiça, através de Carta de Lei de 22 de Fevereiro de 1861, emitida por D. Pedro V. Em 1895 a Junta de Paróquia vendeu o Mosteiro de Seiça a particulares e em 1911 o Mosteiro foi vendido novamente. O seu riquíssimo recheio há muito que foi reaproveitado por outras igrejas e capelas do concelho. A grande chaminé que o ladeia, testemunha também o seu reaproveitamento enquanto unidade fabril de descasque de arroz, durante o século XIX, e serve hoje como local de vigia das cegonhas que guardam o silêncio e a quietude deste local.

 

7. Palacete Rosa Pena em Espinho

O Palacete Rosa Pena é pelas suas dimensões e jogo de volumes uma obra de rara beleza, sem paralelos no panorama arquitectónico de Espinho. Apresenta um alçado de dois andares sobre um piso térreo, ao qual o torreão do ângulo de acesso acrescenta mais um andar.

Palacete Rosa Pena

Duas áreas do edifício são percorridas por varandas salientes mas cobertas, prolongando espaços internos, local favorito de convívio nos dias quentes. Pensa-se que este edifício tenha sido mandado construir por emigrantes vindos do Brasil. Actualmente encontra-se em avançado estado de degradação.

 

8. Convento de Santa Cruz da Trapa – Solar dos Malafaias

O Solar dos Malafaias, de planta rectangular, forma um volume compacto, apenas animado pelas molduras dos diversos vãos que se abrem nas fachadas. Exemplifica de forma muito clara a tendência da arquitectura civil no nosso país, durante o período barroco, que se pautou pela horizontalidade dos volumes, pelo ritmo dos vãos e não por um desenvolvimento em profundidade com diversos planos.

Convento de Santa Cruz da Trapa

A importância dos seus proprietários é assinalada pela presença de um brasão sobre o portal principal, tal como se observa em Santa Cruz das Trapas, onde a pedra de armas da família Malafaia coroa a entrada. Esta é ladeada por duas janelas e, no segundo registo, encontram-se várias outras, de molduras trabalhadas, com lintel contracurvado e avental recortado. O interior estruturava-se em função da cenográfica escadaria de ligação ao andar nobre. Não se sabe ao certo porque razão o solar foi abandonado, já no século XX, mas a verdade é que esta conjuntura acabou por desencadear uma situação de degradação do imóvel, e as tentativas de reconstrução do mesmo, sob projecto do arquitecto Sérgio Infante, anunciadas em 1996, não foram ainda concretizadas.

14 COMENTÁRIOS

  1. Very very nice. having lived in Australia all my life it’s nice to see that I have something to look forward to one day.

  2. I wouldl love to buy one of those buildings shoud the Government of Portugal agrees to sell them. I would restore the interior and preserve the exterior! They are all so beutiful! It is a pity to let them continue to ruin to eventually come to inexistence!
    Cheers!

  3. Hello,
    Thank you for featuring such magnificent and antique buildings in Portugal! I am an American of Portuguese descent; I live in Seattle, Washington; I am a fine-artist.
    Is the Convent of Nossa Senhora do Desterro a property of the Portuguese Government or is it a private estate? Can it be sold? Please, if possible, I would appreciate it greatly if one could put me in direct contact with the appropriate party for more information about those 12 historic properties in ruin!
    Sincerely,

  4. Manuela Varela haverá algum americano que esteja interessado em comprar «« A LInha do Tua »»a mais bela ferrovia que eu conheço fica situada no nordeste Transmontano e que está desativada ?

  5. I am a very conservative persone, and I believe no patrimony from no country should be sold to no one.
    This belong to the country, to them people, are them history and them ruts.
    Of course: it brake my heart to see such history abandoned an in ruins.
    It would be wonderful if an invester recovery those building’s for a business as such :
    Sports center, restaurant, hotel, health clinic, retirement home or any other suitable for the area needs..

  6. Sugestão : parem as autarquias de aprovar novas urbanizações, pois há já construção de habitação a mais e lancem um plano de recuperação di território, demolindo o que não tem valor e reedificando o que tem significado para as raízes das comunidades locais.

  7. Realmente parte-me o coração ver pedaços da nossa história ao abandono, parece que quem deveria olhar para eles, os ignora! Gostaria de acrescentar um local que acho tal lindo e importante como todos estes e que fica em Manique do Intendente, uma pequena localidade no concelho do Cartaxo. Se tiverem um bocadinho pesquisem acerca deste sítio e vão ficar surpreendidos, pois em tempos foi uma parte de Portugal bastante importante, que poderia hoje ser a nossa capital! Obrigada

    • Marta, estou em acordo consigo a igreja e linda ja tentaram recupera la .Conheco o lugar aquela fachada e historica .

  8. Os cidadãos portugueses podem juntar-se e apresentar uma candidatura para a recuperação de um imóvel representativo do Património Português junto do Centro Nacional de Cultura que representa em Portugal a Europa Nostra que já participou na recuperação de vários edifícios históricos em Portugal http://www.europanostra.org/our-work/awards/ Essa candidatura é anual.

  9. e lamentavel nao meterem aqui parte da nossa historia um castelo abandonado que e do mais mlindo de Portugal castelo de jerumenha ou juromenha alentejo linda paisagem e hsitoria linda

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here