Início História Portugal desaparecido: 6 localidades que já não existem

Portugal desaparecido: 6 localidades que já não existem

Desapareceram por causa do progresso, de barragens ou por causas inexplicáveis. Portugal desaparecido: 6 localidades que já não existem.

40381
3
Vilarinho das Furnas

Estão presentes um pouco por todo o país mas caíram no esquecimento da maioria. São capazes de nos lembrar de glórias passadas, de tragédias esquecidas, de projectos falhados ou até de novos desígnios nacionais. As localidades desaparecidas de Portugal estão, na sua maioria, representadas e honradas em museus, mas desconhecidas pela maioria da população. Por isso mesmo, porque é preciso honrar a memória das gentes que viveram nestes locais, descubra 6 localidades que já não existem.

 

1. Monforte do Rio Livre

Monforte do Rio Livre
Monforte do Rio Livre

Monforte de Rio Livre veio a integrar o território português logo que se constituiu a nacionalidade. A mais antiga referência ao castelo medieval remonta ao século XII, num documento que cita um nobre tenente (tenens) do castelo. O julgado de Rio Livre foi instituído em 1267. Em 1273 a povoação recebeu foral de D. Afonso III (1248-1279), quando devem ter se iniciado as obras de reforma do conjunto que, em sua maior parte, chegou até aos nossos dias.

Uma planta do século XVIII documenta o estado de ruína da sua fortificação, quando habitariam a vila cerca de 381 habitantes. Em inícios do século XIX, no bojo de conjunto nacional de obras de beneficiação das fortificações, foi artilhada com quatro peças. Com a extinção do Concelho (6 de Novembro de 1853), o castelo foi abandonado, assim como a povoação.

 

2. Aldeia da Luz

Aldeia da Luz
Aldeia da Luz

Luz é uma freguesia portuguesa do concelho de Mourão, com 50,90 km² de área e 290 habitantes (2011). Densidade: 5,7 h/km².

Grande parte do território desta freguesia foi submerso pelas águas da albufeira da Barragem de Alqueva, a partir de 2002. Foi construída uma nova aldeia, situada a cerca de três quilómetros da velha povoação, para onde se mudaram todos os habitantes da Luz.

Em 2002 foram transferidos para as novas casas 423 habitantes. Em 2012 eram 297 os moradores. E cerca de cem casas estavam desocupadas.

 

3. Foz do Dão

Foz do Dão
Foz do Dão

Foz do Dão trata-se de uma antiga aldeia, pertencente à freguesia de Ovoa, localizada no concelho de Santa Comba Dão, distrito de Viseu.

Localizada na confluência entre os rios Dão e Mondego, a aldeia desapareceu após a construção da Barragem da Aguieira, que obrigou à total submersão desta. Após a sua submersão, os seus habitantes foram realojados na aldeia de Nova Foz do Dão.

O importante estatuto social que a aldeia detinha, poderia ser comprovado pelo facto da Foz do Dão se tratar da única aldeia na freguesia de Óvoa (para além da sede de freguesia), que possuía Igreja e cemitério.

De entre o antigo património que existia na Foz do Dão, destacava-se também a Ponte Salazar, em arco, inaugurada na década de 1930. Existe ainda uma ilha, junto ao presumível local onde se situava a aldeia a que se dá o nome de Foz do Dão.

 

4. Breda

Barragem da Aguieira
Barragem da Aguieira

Breda tratava-se de uma antiga aldeia, pertencente à freguesia de Sobral, localizada no concelho de Mortágua, distrito de Viseu.

Localizada sob a ponte homónima na Linha da Beira Alta, e a poucos quilómetros do rio Criz, a aldeia desapareceu após a construção da Barragem da Aguieira, que obrigou à submersão desta. Uma vez que, mesmo que a água da albufeira estivesse na cota máxima, a aldeia iria ficar a uma profundidade relativamente baixa, antes do enchimento da albufeira, a aldeia de Breda foi completamente demolida.

Deste modo, actualmente, da aldeia de Breda apenas existem restos de paredes e tijolos, que podem ser observados quando a água da albufeira desce para cotas mais baixas.

 

5. Juromenha

Juromenha
Juromenha

Juromenha foi sede de concelho, extinto em 1836, sendo que dele faziam parte as freguesias de Juromenha, São Brás dos Matos e Vila Real, (esta última, desde 1801, de jure mas não de facto, situada para lá do Guadiana, é administrada por Espanha, integrando o município de Olivença). O concelho de Juromenha tinha, em 1801, 823 habitantes.

Após a sua anexação no concelho do Alandroal, Juromenha iniciou um processo de declínio, acentuado na década de 1920, quando a população abandonou totalmente o espaço intramuros, desenvolvendo-se o arrabalde em torno da ermida de Santo António, que é hoje o núcleo fundamental da vila.

 

6. Vilarinho das Furnas

Vilarinho das Furnas
Vilarinho das Furnas

Vilarinho das Furnas (os furnenses, os povos da região e investigadores que estudaram a povoação chamam-lhe Vilarinho da Furna) era uma aldeia da freguesia de Campo do Gerês, situada no concelho de Terras de Bouro, no distrito de Braga. Desde 1971 que esta aldeia está submersa pela albufeira da barragem de Vilarinho das Furnas.

Contudo, quando a barragem é esvaziada para limpeza ou quando desce o nível das águas em períodos de seca, podem ver-se ainda as casas, os caminhos e os muros da antiga aldeia.

 

Artigo anteriorAs 7 maravilhas naturais de Portugal
Próximo artigoPromontório de Sagres declarado Património Europeu

3 COMENTÁRIOS

  1. Os temas abordados são de muito interesse
    Recomendei e convidei centenas de amigos do Facebook para gostarem da v/ página

  2. Uma Terra visitada pela mãe de Jesus Cristo. Noventa por cento sãos cristãos. Terra de trabalhadores honestos. Conservadores das leis de Deus. Dignos e respeitosos a todos que contradizem as leis divinas. Amigos sinceros a todos que os conhecem. Tem que ser Terra abençoada por Deus. Sou recifense, Pernambuco/Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here