Início História Os portugueses mortos nos campos de concentração nazis

Os portugueses mortos nos campos de concentração nazis

História desconhecida de Portugal: os portugueses mortos nos campos de concentração nazis. Ninguém fala deles e é nosso dever não os esquecer.

11223
0
Auschwitz
Dirigido por Fernando Rosas, trata-se de um estudo inédito sobre o trabalho forçado dos portugueses na Alemanha durante a II Guerra Mundial. Os investigadores já descobriram 70 portugueses mortos nos campos de concentração. “Obtivemos a primeira notícia através das informações que existem nos campos de concentração de que há vários portugueses mortos e o nosso projecto começou por aqui”, explicou Fernando Rosas.

Fernando Rosas espera que as conclusões da investigação façam o Estado português assinalar, à semelhança dos restantes países, a memória dos seus cidadãos mortos em Auschwitz e Birkenau, que serão mais de 70 de acordo com o que já foi possível confirmar. “Em todos os campos há pequenos monumentos de Estado aos seus nacionais que foram lá mortos”, lembra o historiador, defendendo que “essa justiça memorial devia fazer-se”.

Auschwitz
Auschwitz

300 portugueses foram sujeitos a trabalho forçado na Alemanha nazi

A investigação concentra-se na presença de portugueses nos campos de concentração ou a trabalhar como escravos em fábricas na Alemanha, tendo já descoberto 300 portugueses nessa situação. O trabalho dos investigadores apoia-se nos dados de “uma série de organismos que se dedicaram à estatística dos presos dos vários países e ao trabalho forçado”, explicou Fernando Rosas.

Auschwitz
Auschwitz

O historiador revelou ainda uma recente descoberta: “há mais de trinta pedidos de indemnização de portugueses” registados numa instituição alemã que indemniza aqueles que foram obrigados a trabalhar no país. Esta revelação poderá permitir à equipa de investigadores contactar os familiares e dar a conhecer melhor a história de algumas das vítimas portuguesas do nazismo.

Auschwitz
Auschwitz

Para Fernando Rosas, as razões para a presença de portugueses são sobretudo duas: “Uns foram parar aos campos de concentração porque já eram refugiados da Guerra Civil de Espanha e há também os emigrantes que são arrebanhados pelo nazis – quer por contratação directa, quer por troca efectuada pelo Governo francês sempre que se procedia ao regresso de prisioneiros”. O regime colaboracionista de Vichy trocava trabalhadores por prisioneiros de guerra franceses, recorrendo sobretudo a emigrantes como moeda de troca.

Auschwitz
Auschwitz

O eventual envolvimento da ditadura de Salazar no recrutamento de trabalho forçado em Portugal, à semelhança do que aconteceu em Espanha, será outra das questões que Fernando Rosas gostaria de ver aprofundadas a partir deste trabalho inédito.

 

Mais artigos

Lisboa, menina e moça

  Segundo a lenda, Lisboa foi originalmente construída sobre sete colinas e estende-se ao longo do rio Tejo numa paisagem ondulada repleta de edifícios Arte...

Mais recentes

Língua Portuguesa: a curiosa origem dos palavrões e das asneiras

  Apesar de muitas vezes serem considerados ofensivos, os palavrões fazem parte da linguagem do dia-a-dia da grande maioria das pessoas. São um “hábito”, uma...

REDES SOCIAIS

181,249FãsCurtir
275SeguidoresSeguir
759SeguidoresSeguir

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here