Início Viagens Os 15 melhores locais para visitar em Castelo Branco

Os 15 melhores locais para visitar em Castelo Branco

Um cidade deslumbrante no interior de Portugal e ainda praticamente desconhecida. Estes são os melhores locais para visitar em Castelo Branco.

16533
1

6. Solar dos Viscondes de Oleiros

Na actual Praça do Município, há um antigo Solar que foi propriedade da família Fonseca Albuquerque Mesquita e Castro à qual pertenceram os Viscondes de Oleiros. O edifício foi comprado pela Câmara Municipal, ao Dr. Francisco Rebelo de Albuquerque, por escritura celebrada em 18 de Outubro de 1935, e logo a 5 de Dezembro decorreu ali a primeira reunião do Executivo municipal.

Solar dos Viscondes de Oleiros
Solar dos Viscondes de Oleiros

A frontaria, ao gosto italiano do século XVII, apresenta uma escadaria exterior de dois lanços e janelas de vergas rectas com cimalhetas. A traça da porta principal foi influenciada pelo despertar do estilo Barroco. A fachada posterior é embelezada por um peristilo com colunas de granito e paredes revestidas de azulejos artísticos.

 

7. Solar dos Cavaleiros

De fachada Barroca, o designado Solar dos Cavaleiros começou por ser o Recolhimento da Santa Maria Madalena, uma casa destinada a abrigar mulheres sós e com atribuladas estórias de vida. Localizado na então chamada Rua do Cavaleiro, a partir do séc. XIX é convertido no Asilo Distrital da Infância Desvalida. Depois de várias alterações que comprometeram a arquitectura original do edifício, entre as quais a demolição integral da Capela, um grupo de cidadãos organizou-se, evitou a demolição integral do Solar e acabou por conseguir a recuperação do espaço ainda existente, no qual se destaca a entrada e a Roda.

Solar dos Cavaleiros
Solar dos Cavaleiros

Actualmente o Solar dos Cavaleiros acolhe o Museu Cargaleiro. Em 1768, o Marquês de Pombal institui esta modalidade – a RODA – com o objectivo de diminuir os infanticídios, ficando adstritas a hospitais ou albergarias de cada cidade. Num mecanismo cilíndrico, composto por duas partes, uma côncava e outra convexa, que giravam sobre si mesmas, eram depositadas as crianças cujos pais não podiam ou não queriam com elas ficar.

 

8. Convento da Graça

A Norte de Castelo Branco, junto ao Museu Francisco Tavares Proença Júnior, o Convento da Graça foi pertença, até 1526, da Ordem de S. Francisco, passando depois para a de St° Agostinho. Posteriormente, foi ali instalada a Santa Casa da Misericórdia. A Igreja do Convento da Graça foi construída no séc. XVI, restando da sua antiga traça a porta da entrada, ornamentada em Estilo Manuelino. No séc. XVII-XVIII fez-se a reconstrução do Convento e o alargamento da Igreja. É desse tempo o coro da Igreja e o portal Barroco, sendo que tanto a Igreja como Claustro merecem uma visita.

Convento da Graça
Convento da Graça

No Convento da Graça encontrava-se a sepultura de Simão da Costa, o pai de Bartolomeu da Costa. O actual edifício foi construído ao lado do conventinho (o conventinho ficou a ser a Igreja do convento) e é um exemplo da Arquitectura Chã, tão característica do final do séc XVI, do qual ressalta a estrutura clara e robusta do claustro. Por trás do altar-mor da Igreja da Graça encontra-se a Capela (carneiro) dos Fonsecas, construída por Diogo da Fonseca (um de quatro irmãos ilustres de Castelo Branco) para servir de mausoléu à sua família.

 

9. Palácio dos Viscondes de Portalegre

Também na Praça do Município, num plano relativamente elevado em relação ao edifício da Câmara Municipal, ergue-se, desde 1743, o Solar dos Viscondes de Portalegre (antiga propriedade da família Coutinho Refoios, hoje propriedade do Município). É um edifício de marcas acentuadamente Renascentistas. A sua fachada apresenta uma disposição simétrica no que concerne aos elementos arquitectónicos.

Palácio dos Viscondes de Portalegre
Palácio dos Viscondes de Portalegre

Neste conjunto destacam-se as janelas de sacada, pela harmonia e beleza visual. Nas traseiras existe um jardim com canteiros delimitados a buxo e amoreiras de grande porte. É desde finais do século XIX sede do Governo Civil do Distrito e ainda guarda no interior um quadro a óleo dos proprietários. Os visitantes podem entrar no palácio e ali vão descobrir a harmonia e beleza natural deste espaço, bem como uma sala de música que é excepcional.

 

10. Museu Cargaleiro

O Museu Cargaleiro é um equipamento cultural municipal, tutelado pela Câmara Municipal de Castelo Branco, cujo objectivo central é a divulgação, estudo e conservação das peças que integram o acervo da Colecção de Arte da Fundação Manuel Cargaleiro. Um objectivo que se traduz na promoção e organização de exposições de carácter temporário ou temporário de longa duração.

Museu Cargaleiro
Museu Cargaleiro

Constituído por dois edifícios contíguos – o Solar dos Cavaleiros, um palacete construído no séc.XVIII, e um edifício contemporâneo – o Museu Cargaleiro situa-se no coração da Zona Histórica da cidade, nas imediações da Praça de Camões, popularmente conhecida como Praça Velha. O Museu Cargaleiro complementa a sua oferta com um conjunto de serviços, com destaque para o Serviço Educativo, Biblioteca de Arte/Centro Documental e Loja, para além de um pequeno anfiteatro ao ar livre, com condições para acolher as mais diversas actividades e espectáculos, como acontece frequentemente, sobretudo na época estival.

1 COMENTÁRIO

  1. Concordo plenamente com a descrição deste e-mail. Conheço estes locais e sinto-me muito feliz quando os revejo. Aconselho a visitar esta aprazível cidade e não perder o jardim do Paço Episcopal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here