Início Cultura Os 15 erros mais comuns da Língua Portuguesa

Os 15 erros mais comuns da Língua Portuguesa

A Língua Portuguesa é tão complexa que nos leva a cometer erros de português todos os dias. Estes são alguns dos mais frequentes.

11600
18
Língua Portuguesa
Língua Portuguesa

A Língua Portuguesa é riquíssima no seu vocabulário, nos seus sons e nos seus sotaques. É considerada como sendo um dos mais belos idiomas do mundo para ser usado em poesia ou em música por causa do seu carácter doce e melodioso.

No entanto, a Língua Portuguesa é também desrespeitada e mal usada por muitas pessoas. Mas temos que admitir: por vezes é mesmo complicado perceber se realmente estamos a falar ou a escrever bem o nosso idioma.

A Língua Portuguesa é um dos mais belos idiomas do mundo. E, ao mesmo tempo, é também um dos que possui mais “ratoeiras” que podem apanhar desprevenidos até os mais experientes ou os mais estudados.

Um idioma com tantos pequenos pormenores tem, obrigatoriamente, que causar algumas confusões, mesmo àquelas pessoas que acham que dominam por completo a Língua Portuguesa.

Diz-se “ovelha ranhosa” ou “ovelha ronhosa”? Diz-se “mal e porcamente” ou “mal e parcamente”? Diz-se “salganhada” ou “salgalhada”? Se acha que sabe as respostas a todas estas dúvidas, então é melhor ler o artigo porque de certeza que vai falhar algumas.

Todos os dias, quando falamos com os nossos amigos ou familiares, quando vemos as notícias na televisão ou quando lemos os jornais, cometemos erros (ou assistimos a alguém a cometê-los) que, de tão frequentes, se assumiu serem as formas correctas de os dizer ou escrever.

O livro Dicionário de Erros Frequentes da Língua, escrito por Manuel Monteiro, pretende corrigir os erros mais usuais de quem fala português. Descubra os 15 erros mais frequentes da língua portuguesa.

 

1. 

Alta recreação (certo)

Autorrecreação (errado)

 

2. 

Cartapácio (certo)

Catrapázio (errado)

 

3. 

Mal e parcamente (certo)

Mal e porcamente (errado)

 

4. Ovelha ronhosa (certo)

Ovelha ranhosa (errado)

 

5. Olhos azul-escuros (certo)

Olhos azuis escuros (errado)

 

6. Atenazar (certo)

Atazanar (errado)

 

7. Quando muito (certo)

Quanto muito (errado)

 

8. Reouvéssemos (certo)

Reavêssemos (errado)

 

9. Ribaldaria (certo)

Rebaldaria (errado)

 

10.

Aselha (certo)

Azelha (errado)

 

11. Rinque de patinagem (certo)

Ringue de patinagem (errado)

 

12.

Há uma semana (certo)

Há uma semana atrás (errado)

 

13. Escravismo (certo)

Esclavagismo (errado)

 

14. Bandidismo (certo)

Banditismo (errado)

 

15. Passada uma semana (certo)

Passado uma semana (errado)

18 COMENTÁRIOS

    • Verdade… No Brasil escrevem humidade sem h, só para citar um exemplo. Dizem que o português do Brasil é mais fiel ao português arcaico. Não acho um elogio, as línguas são coisas vivas, têm que ir mudando. Caso contrário, ainda falávamos como há 800 anos, não devia ser bonito de ouvir. 🙂

      • O h de umidade foi perdido em uma reforma ortográfica recente. O português brasileiro é de fato foneticamente mais conservador e ponto final. Se trata de consenso acadêmico. No Brasil se pronuncia o S e as vogais do jeito que os lusitanos faziam no século XVII e XVIII. A métrica de Camões funciona no português brasileiro. Duarte Pacheco que esteve no Brasil em 1498 e Pedro Álvares Cabral pronunciariam o S e A de “terra a vista” como os brasileiros. Apenas o R seria vibrado, uma prova de que a língua é viva nos dois continentes. O R mudou no século XIX e XX e também em outras línguas europeias. O alemão e o francês também modificaram seus érres. Outra evolução comum em línguas latinas é a palatalização, o t e d em parede, dia, tia e tapete na metade sul do Brasil. Mesmo som de carro em francês, voiture, mesma origem de viatura ou nature. O francês canadense e o inglês americano também são arcaicos como costumam ser as colônias. Os ingleses costumavam pronunciar o R como os americanos mas o suprimiram no século XIX se tornando não-róticos. O português europeu neutralizou as vogais no século XIX e por isso abandonou a próclise que é a colocação do pronome antes do verbo, algo comum no português antigo, no latim, francês, italiano, espanhol etc. Eu te amo vem do latim Ego te amo. A pronúncia lusitana de fecho, vejo, manteiga e primeiro são todas modernas, tanto que não condizem com a grafia. Mantaiga por exemplo. Oiro, doirado, oiço são modernices. E a redução do o pré tônico como em Purtugal ao invés de Portugal. O schwa em El kã ao invés de eli qui ou ele que.

        • Pra mim vajo ao invés de vejo é um gajo com vagina, um transexual masculino haha! Eu acho mais bonito dizer casa de talho do que açougue. O açougue é palavra antiga que se usava em Portugal e vem do árabe e queria dizer matadouro ou chacina. Já talho é a mesma origem do alfaiate, a função sartorial em inglês tailor, sobrenome de profissão Taylor e o francês tailleur. Alfaiate em italiano é sarto com etimologia latina. A palavra alfaiate é árabe.

  1. O português é ridículo de feio
    Seria tão mais interessante pra nós que estamos na América Latina falar espanhol, mas não, somos o país mais importante da América do Sul mas estamos limitados por questões linguísticas
    Tudo bem, se realmente fossemos obrigado a falar o português, que ao menos tivéssemos uma segunda língua oficial, o inglês ou o espanhol de preferência

    • Ridículo de feio é esse seu comentário, quanto a terem outra língua oficial, é melhor que a arranjem rápido pois com essa volecidade de abastardamento da língua, um destes dias de estado para estado não se entendem

      • Não há abastardamento da língua. O português brasileiro é um koiné de vários falares de todas as regiões de Portugal pois os portugueses nunca cessaram de imigrar. A fonética do português brasileiro é mais conservadora tanto que a métrica de Camões somente funciona no português brasileiro. O que existem são sotaques, uma vez que o Brasil é o quinto maior país do planeta e maior do que a União Europeia. O estado de São Paulo é maior que o Reino Unido, Minas Gerais é do tamanho da França e Mato Grosso do Sul do tamanho da Alemanha.

    • Comentário patético e absurdo. Seria ridículo se não fosse tão triste tamanha ignorância. E o português é considerado melífluo por todos os falantes de línguas românicas, inclusive os argentinos e outros hispanohablantes. Falantes de alemão, inglês e outras línguas germânicas também já manifestaram que consideram o português brasileiro mais melódico. Enquanto que o castelhano tem fama de ser áspero com as mudanças que sofreu devido ao basco. H no lugar de F e o Li do latim virar J gutural. Além do maior vocabulário árabe. Latim folia, filia. Português folha, filha. Italiano foglia, figlia. Francês feuille, fille. Espanhol hoja, hija. Latim mulier, português mulher, italiano moglie com sentido de esposa, espanhol mujer.

  2. Prezados Senhores,

    Nossa lingua, de Tomás A. Gonzaga, passando por Noel Rosa, Vinicios de Moraes, Mário Quintana, Lya Luft e tantos outros divinos e maravilhosos, impossível adjetiva-la de ridícula e feia…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here