Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Vila Viçosa

Os 12 melhores locais para visitar em Vila Viçosa

É um dos locais mais bonitos do Alentejo e foi escolhida para residência da família real. Estes são os melhores locais para visitar em Vila Viçosa.

7104
3

9. Pedreira d’el Rey

São 120 metros de profundidade, impróprios para quem sofre de vertigens mas vertiginosamente surpreendentes. Uma das maiores pedreiras de Vila Viçosa pode ser admirada por visitantes através de visitas marcadas pelo Marmòris. Detida pelo mesmo proprietário que abriu o hotel, a pedreira d’el Rey — assim batizada por estar no antigo monte d’el Rey — permite extrair várias cores de mármore, do branco ao rosa, passando pelo creme e o pele de tigre, assim chamado por causa das manchas que se assemelham à pele do animal.

Pedreira d'el Rey
Pedreira d’el Rey

Como explica o guia a partir do miradouro no alto — a visita não permite descer à pedreira, por razões de segurança –, o mármore é retirado por patamares, e apenas maquinaria própria, com fio de diamante, consegue cortá-lo em blocos para venda. Esses blocos — gigantes retangulares e maciços — podem ser admirados na segunda paragem da visita, já marcados a vermelho e, portanto, prontos para venda. Confidência indiscreta: Saddam Hussein era um dos principais clientes do mármore de Vila Viçosa, e o negócio nunca mais foi o mesmo desde a sua morte.

 

10. Casa de Bento de Jesus Caraça

Foi aqui que Bento de Jesus Caraça nasceu em 1901 e viveu alguns anos. A casa ilustra a sua origem humilde, de uma família de trabalhadores agrícolas. Outro dado que rapidamente se evidencia é a capacidade de aprendizagem de Bento de Jesus Caraça que teve um percurso académico invulgar. Um ano depois de entrar no ensino superior foi nomeado assistente e aos 28 anos já era professor catedrático. Em Matemática, Álgebra e Geometria Analítica.

Bento de Jesus Caraça
Bento de Jesus Caraça

Na Casa Museu é feita esta cronologia e também há documentação que revela outras vertentes de Bento de Jesus Caraça que pagou caro por não se conformar com um regime politico que privava os portugueses de liberdade. Teve sempre uma forte actividade cívica e política. Apostava na cultura como um instrumento para afirmação do individuo e da sociedade e até criou a Biblioteca Cosmos onde publicou mais de uma centena de livros de divulgação cientifica e cultural. Devido a esta intervenção cívica e politica ligada à resistência, aos movimentos democráticos e ao PCP foi preso pela PIDE e demitido de professor catedrático. Dois anos depois faleceu.

 

11. Museu do Estanho

Apeles Caetano Coelho nasceu em Vila Viçosa a 8 de Abril de 1928. Nessa época, cedo iniciou a aprendizagem de um ofício. Concluída a 3ª classe (escolaridade obrigatória à época), Apeles rumou a uma oficina de serralharia de referência – “Os Manões”, onde aprendeu a arte como serralheiro e ferreiro. Com um filho, e um ordenado insuficiente, estabeleceu-se por conta própria no Monte das Cabanas, entre Vila Viçosa e Bencatel, a reparar ferramentas das pedreiras (picões, escopros, ponteiros, picaretas, enxadas). Teria então cerca de 32 anos. O Padrinho Espanca, antiquário, estimulara-o desde muito novo, arranjando-lhe alguns “biscates” de restauro de peças antigas. Empenhou-se então no fabrico de réplicas originais dos séc XVI e XVII. Iniciado o seu percurso artístico, adquiriu fama e passou a ser referenciado no fabrico de artefactos de estanho, dada a qualidade de acabamento e o desenho das suas peças, tendo obtido vários prémios nacionais e internacionais (ex. Menção Honrosa Prémio FNA 1998 “Fragata do Séc. XVIII”).

Museu do Estanho
Museu do Estanho

Transmitiu os seus conhecimentos a muitos jovens que lhe manifestavam vontade de aprender a arte; alguns deles viriam mais tarde a criar as suas próprias oficinas. Apeles Coelho, autodidacta, não conhecia impossíveis na arte de trabalhar o estanho e, sem segredos, evoluiu, aperfeiçoou a liga e foi aumentando a sua colecção, que chegou a ser considerada por especialistas na matéria como uma das maiores colecções de peças da Europa. A qualidade foi o único seu “segredo” – que sempre referiu com orgulho. Faleceu a 27 de Novembro de 2015 após doença prolongada. Por vontade expressa de seu filho, José António Simões Coelho, foi entregue à guarda da Câmara Municipal de Vila Viçosa, um conjunto de equipamentos, ferramentas e peças de estanho, que constituem um verdadeiro espólio que, pela sua grandeza e riqueza, justificou a criação deste espaço museológico, homologado por deliberação do Executivo Municipal, em reunião de 24 de Março de 2016. A Câmara Municipal de Vila Viçosa procedeu à inauguração do Museu do Estanho “Apeles Coelho”, tornando este espaço museológico, uma realidade a partir do dia 8 de Setembro de 2016.

 

12. Museu da Caça e Arqueologia

O Museu de Caça e Arqueologia estão instalados no piso térreo do Castelo. O museu de Arqueologia tem peças do Paleolítico ao século XVIII, sobretudo materiais romanos recolhidos em escavações efectuadas em Vila Viçosa. Inclui peças oriundas de antigas civilizações mediterrânicas, Egipto, Roma, Cartago – e pré-colombianas. O Museu da Caça representa um importante núcleo museológico quer pela qualidade e quantidade dos objetos expostos, como pela originalidade do projecto que lhe deu vida dentro do panorama nacional.

Museu da Caça e Arqueologia
Museu da Caça e Arqueologia

Esta colecção riquíssima de espécies venatórias, inclui numerosas aves europeias e troféus de caça de origem africana, bem como alguns exemplares propriedade da Fundação, como o crânio de elefante pigmeu. O grande núcleo de armas gentílicas foi oferecido ao rei D. Carlos e ao Príncipe D. Luis Filipe em 1907 quando da visita deste último às antigas colónias ultramarinas, nomeadamente a Moçambique.

3 COMENTÁRIOS

  1. Bom dia.
    Agradecendo a correção, informo que o Museu do Mármore, em Vila Viçosa, foi transferido no ano 2000 da antiga Estação da CP para as instalações da antiga pedreira da Gradinha. Agrupa num só espaço os aspetos fundamentais e marcantes da indústria extrativa.
    A informação atualizada está no site do Município – http://www.cm-vilavicosa.pt.
    Os meus cumprimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here