Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Santiago de Compostela

Os 12 melhores locais para visitar em Santiago de Compostela

É uma das mais bonitas cidades de Espanha e atrai milhões de peregrinos todos os anos. Estes são os melhores locais para visitar em Santiago de Compostela.

25652
2

9. Convento de São Domingos de Bonaval

São Domingos, descendente da família galega dos Condes de Traba, fundou-o por ocasião da sua visita a Santiago em 1220. A igreja do s. XIV foi construída segundo os cânones da arquitectura mendicante, com aspecto simples mas monumental com uma cabeceira vistosa. Tem planta de cruz latina, com três naves, cruzeiro e ábsides poligonais. No arco do pórtico conservam-se três imagens românicas. No ábside central localizam-se os sepulcros góticos dos Altamira e, à esquerda da nave principal, o Panteão dos Galegos Ilustres.

Convento de São Domingos de Bonaval
Convento de São Domingos de Bonaval

No edifício monacal, de época barroca, destaca a escada de caracol de tripla rampa, desenhada pelo arquitecto Domingo de Andrade. Ele também participou nas fachadas da igreja e do convento, o claustro e as dependências monacais. O claustro tem nove tramos de cada lado, com arcos de meio ponto e um marco rectangular acotovelado. Sobre as pilastras encontra-se reproduzida a decoração típica do barroco compostelano, centrada nas sartas de frutas. Actualmente, o convento é a sede do Museu do Pobo Galego e o espaço da igreja é dedicado pela Câmara Municipal à montagem de exposições temporárias. O edifício é Monumento Histórico-Artístico desde 1912.

 

10. Cidade da Cultura da Galiza

Situada em Santiago de Compostela, emblema da tradição cultural europeia e cuja cidade histórica foi declarada Património Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1985, a Cidade da Cultura da Galiza ergue-se, no cimo do monte Gaiás, como um formidável marco arquitectónico do novo século. Desenhada pelo arquitecto americano Peter Eisenman para receber as melhores expressões da cultura da Galiza, Espanha, Europa, América Latina e o mundo, esta nova “cidade”, inclusiva e plural, contribuirá para responder aos desafios da sociedade da informação e o conhecimento.

Cidade da Cultura da Galiza
Cidade da Cultura da Galiza

Os singulares edifícios, intercomunicados por ruas e praças e dotados de um avançado nível tecnológico, configuram um espaço de excelência para a reflexão, o debate e a acção orientados para o futuro da Galiza e a internacionalização. Nos espaços, acolherá serviços e actividades destinados à preservação do património, memória, estudo, investigação, experimentação, produção e difusão nos âmbitos das letras e o pensamento, a música, o teatro, a dança, o cinema, as artes visuais, a criação audiovisual e a comunicação. Como lugar de confluência e de projecção internacional, a Cidade da Cultura da Galiza revitalizará no século XXI a dupla vocação viajante e hospitalar do povo galego, contribuindo, desde o âmbito cultural, para o desenvolvimento económico e social.

 

11. Capela de Ánimas

Templo sufragado pela Confraria Geral de Almas da cidade de Santiago (fundada em 1655) que comprou o terreno onde se encontrava localizado um Hospital e Seminário. Foi construído entre 1784 e 1788 segundo os planos de Miguel Ferro Caaveiro e sob a direcção das obras de Juan lópez Freire. Tem planta rectangular com muros de silharia em granito e coberta de duas vertentes de telha. Tem uma só nave, coberta com abóbada cilíndrica e três capelas laterais, juntas entre si, de cada lado e presbitério com capela-mor rectangular, mais estreita que a nave. A monumental fachada atribui-se a Melchor de Prado. A sobriedade do frontispício enquadra-se com dois pares de colunas de ordem gigante com fustes lisos e capitéis jónicos, elevadas em altos pedestais. Sustentam um entablamento liso arrematado por um frontão recto.

Capela de Ánimas
Capela de Ánimas

Acima da porta um alto-relevo com as Almas do Purgatório e um óculo circular. Arrematam o frontão dois anjos adorando a Cruz. No interior, as capelas laterais são mobiladas com baixo-relevos policromados a representar cenas da Paixão de Cristo. Tem também pinturas murais, frescos, de Plácido Fernández Arosa com cenas do Lavatório e a Santa Ceia. No interior da igreja pode-se contemplar uma exposição, principalmente de arte sacra, que forma parte de um itinerário museográfico integrado, também, pelas exposições das igrejas de S. Bieito do Campo e Sta. María do Camiño. Subrecurso associado: Colecção de Arte Sacra de Almas, S. Bieito e Sta Mª do Camiño.

 

12. Museu da Catedral de Santiago de Compostela

Aberto todos os dias das 10:00 as 20:00, o museu tem uma colecção bem bonita que começa com explicações e descrições dos antigos templos que haviam em Santiago antes da construção da presente catedral, passando por colunas ornamentadas com flores e anjos, pinturas e esculturas antigas de Maria, Cristo e o apóstolo Santiago. No segundo andar, há um claustro com vistas bonitas para a torre do relógio, o tesouro e a biblioteca que não podem ser fotografados.

Museu da Catedral de Santiago de Compostela
Museu da Catedral de Santiago de Compostela

Na biblioteca você poderá ver de pertinho uma réplica de tamanho real do butafumeiro (alias, assistir uma missa com o botafumeiro em acção é uma dessas coisas que realmente merecem ser vistas). Por fim no terceiro andar, há algumas salas com tapetes de Goya e um terraço com vistas para a praça do Obradoeiro. A subida para o terceiro andar fica quase escondida e passa despercebida e se você não prestar atenção acaba por não se aperceber que existe mais um andar.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here