Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Montalegre

Os 12 melhores locais para visitar em Montalegre

Terra de gente aguerrida e hospitaleira, entre Trás-os-Montes e o Gerês. Estes são os melhores locais para visitar em Montalegre.

5823
0

5. Cascata de Pitões das Júnias

A Cascata de Pitões das Júnias é uma queda de água (cascata) localizada quase no fim da aldeia e freguesia de Pitões das Júnias, concelho de Montalegre, Distrito de Vila Real, em Portugal. As águas desta cascata são provenientes das águas do ribeiro de Pitões que devido aos desníveis do terreno se desenvolve por vários patamares, sendo que o primeiro tem cerca de 30 metros de altura e desagua num lago delimitado por afloramentos graníticos.

cascatas mais bonitas de Portugal
Cascata de Pitões das Júnias

Esta cascata é uma das muitas cascatas da região do Barroso e vai animar vários rios que nascem na Serra do Gerês. Nas proximidades desta cascata existe uma ponte de madeira e também um carvalho centenário, que ao longo dos séculos tem sido alvo de várias lendas locais, como a de um duende aí viver.

 

6. Ecomuseu do Barroso

O Barroso distingue-se por um património riquíssimo e um imaginário colectivo diferenciador. A necessidade de salvaguardar estes elementos únicos levou as autarquias de Montalegre e Boticas a delinear um projecto capaz de assumir a responsabilidade de uma estratégia de desenvolvimento. Nasceu, assim, o Ecomuseu de Barroso, reconhecido agregador e potenciador da identidade, museu de território em constante relação com a população local e portador da memória colectiva. Situada no planalto barrosão, a região e as suas gentes souberam preservar rituais únicos, produtos ímpares pela qualidade e autenticidade, associados a um saber receber sem igual. Estas características assumem-se como uma mais-valia na promoção turística, fruto da tenacidade de um povo forte, já com reconhecimento além-fronteiras.

Ecomuseu do Barroso
Ecomuseu do Barroso

“Tocar” a origem fica mais fácil através deste portal capaz de apelar aos sentidos de forma intuitiva. Fica o convite para que se deixe guiar numa viagem ao compêndio da essência barrosã e conheça este “pedaço de terra”, que ocupa um terço do único parque nacional do país: o Parque nacional da Peneda-Gerês (PNPG). Com a nobre missão de transportar relíquias, apresenta-se como fiel guardião de “momentos” que identificam um Povo e um território. Daqui parte a descoberta para o que de melhor o “reino maravilhoso” tem para oferecer. A aventura e as experiências sensoriais excepcionais apresentam-se obrigatórias num roteiro que abraça tradições, cultura, aldeias e as pessoas, verdadeiros agentes do desenvolvimento local.

 

7. Cascata das 7 lagoas

Perto de Cabril, no Parque Nacional da Peneda – Gêres encontra uma das mais fantásticas cascatas que origina uma cadeia de lagoas, a Cascata das 7 Lagoas. Estão situadas ao longo do rio que nasce na serra e atravessa Cabril. São dotadas de uma incrível paisagem envolvente que contrasta com a água pura, límpida e cristalina. É um local de perfeita comunhão com a natureza e existindo ainda uma diversidade de lagoas para todos os gostos. Para os amantes de adrenalina existe a possibilidade de saltar a 10 metros de altitude. Para os mais aventureiros existe uma com um pequeno escorrega natural que lhe permite ter momentos de pura diversão. Conta com umas mais compridas e outras mais fundas o que lhe permite nadar.

Cascata das 7 lagoas
Cascata das 7 lagoas (António Cunha)

Ao percorrer todas as lagoas pode ver como todas elas encaixam num vale criado pela natureza que torna todo o cenário digno de ser aproveitado. Todo o percurso até lá é de difícil acesso. Se optar por o fazer a caminhar tem de enfrentar um caminhada de 12 quilómetros (ida e volta) sem sombras ao longo de todo o percurso e ainda algumas subidas e descidas. Se optar por ir de carro opte por todo o terreno pois o caminho tem imensas pedras, buracos e tenha em atenção que não passam dois carros simultaneamente. Um dos locais de paragem obrigatória é à Ponte Misarela. É bastante conhecida como Ponte do Diabo erguida na idade média sendo reconstruída no século XIX. Esta está suportada apenas por um arco de 13 metros.

 

8. Caldeiras de Pereira

As Caldeiras de Pereira, lagoas frequentadas pelos residentes, só para visitantes mais aventureiros, desacompanhados de crianças, já que os acessos não são os mais fáceis. Mas compensa: depois de passar uma ponte de madeira, um parque de merendas e um abrigo para animais, avista-se finalmente a água, cujo som quebra um silêncio pintado, sobretudo, de verde.

Caldeiras de Pereira
Caldeiras de Pereira

Para encontrar as Caldeiras de Pereira, o melhor que pode fazer é pedir indicações à população local de Pitões das Júnias. Afinal de contas, estas pequenas lagoas são quase um segredo guardado pelos habitantes desta pequena aldeia e ainda longe do turismo de massas que assola tantas outras cascatas e lagoas do Parque Nacional Peneda Gerês. Se procura um refúgio para um banho sossegado no meio da Natureza, as Caldeiras de Pereira são uma das melhores opções nesta região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here