Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Marvão e arredores

Os 12 melhores locais para visitar em Marvão e arredores

No alto da Serra de São Mamede fica uma das vilas mais bonitas de Portugal. Estes são os melhores locais para visitar em Marvão e arredores.

0

9. Castelo de Vide

Castelo de Vide é uma localidade agradável do norte do Alentejo que assenta aos pés de uma colina, duplamente coroada por um Castelo medieval de D. Dinis (século XIII) e a Fortaleza de São Roque, com a Igreja do mesmo nome atrás dos seus muros. Entre ambos surge a Igreja de Santa Maria Devesa (séculos XVIII y XIX). Este local não apresenta muitos monumentos para visitar, mas também não são necessários; basta desfrutar deste bonito lugar durante um dia ou uma noite. A localidade è mais encantadora ao entardecer e à primeira hora da manhã.

Castelo de Vide
Castelo de Vide

A subida ao castelo é realizada pelas empinadas estradas do conhecido “Bairro gótico”, repleto de edifícios com portões e janelões de estilo gótico. Junto ao castelo, em que também existe um Centro de Megalitismo e um Museu de História e Arquitectura Militar, existe uma pequena judiaria, que alcançou o seu apogeu no século XV, após a expulsão dos judeus de Espanha. Prova disso é a pequena Sinagoga, hoje convertida em museu A Este da judiaria ergue-se a Fonte da Vila, uma erodida fonte de mármore do século XVI da qual, tal como em muitas outras fontes públicas da localidade, de onde mana água mineral deliciosa, que tornou Castelo de Vide famosa.

 

10. Alegrete

Alegrete é uma bonita e pacífica freguesia Alentejana situada a mais de 480 metros de altitude, em pleno Parque Natural da Serra de São Mamede, no concelho de Portalegre, dona de uma antiga e rica história. De facto, este é um lugar de antiga ocupação Humana, ocupado por vários povos, tendo sido reconquistado pelo primeiro rei Português, D. Afonso Henriques, possivelmente por volta de 1160.

Alegrete
Alegrete

Alegrete localiza-se próximo da fronteira com Espanha, pelo que a sua posição geográfica sempre permitiu observar toda a envolvente na perfeição, dotando a localidade de alguma importância e desenvolvimento, como ainda hoje é visível no principal monumento da localidade: o Castelo. O próprio topónimo do local deriva do latim ‘Ad Septem Aras’ que significa que se encontra numa alegre situação, localizada no alto do monte, proporcionando magníficos panoramas. Vale a pena conhecer as pacatas ruas de Alegrete, com o seu típico casario alvo de faixa colorida que alberga a verdadeira essência Alentejana, onde o tempo parece parar e as tradições vão sendo sabiamente mantidas com o passar dos anos.

 

11. Mosteiro da Flor da Rosa

Situado na aldeia de Flor da Rosa, bem próximo do Crato, o Mosteiro da Ordem do Hospital de Flor da Rosa, fundado em 1356, é o mais importante monumento da região e um dos mais emblemáticos exemplos de Mosteiro fortificado existentes em Portugal e nele está implementada uma das mais conceituadas Pousadas do País. Este Mosteiro é composto por três edificações distintas: a igreja-fortaleza de estilo Gótico, um paço-acastelado gótico, já com alterações quinhentistas, e as restantes dependências conventuais já renascentistas e mudéjares.

Flor da Rosa
Flor da Rosa

Já no tempo do Rei D. Manuel I o espaço monástico é alargado para um maior número de aposentos, transformando-o num Paço Real, e com o grande terramoto de 1755 e um temporal devastador em 1897 que se fez sofrer na área, o conjunto teria sofrido grandes desgastes. O Mosteiro da Ordem do Hospital de Flor da Rosa foi classificado em 1910 Monumento Nacional, e na década de 40 começam as obras de restauro. Mais tarde, em 1991 iniciam-se os trabalhos de reconversão para Pousada de Portugal, pelo Arquitecto João Luís Carrilho da Graça, aberta ao público em 1995 e transformando-se este legado patrimonial numa das mais aclamadas Pousadas do País.

 

12. La Codosera

Na zona raiana, a vila de La Codosera na Província de Badajoz, a sua fala corresponde à forma Alentejana das povoações próximas de Portugal, com a única diferença de incluir algum castelhanismo. A vitalidade da mesma é absoluta. O Português é ensinado na escola, e é a língua de comunicação preferida e a população tem muito orgulho nas suas ligações a Portugal, sendo este mesmo uma das fortes componentes da identidade da vila, que de resto segue em muito a tipicidade de uma vila alentejana.

La Codosera
La Codosera

Ao contrário do que se possa pensar, La Codosera não fazia parte do território de Olivença. Como explicar então esta forte presença da língua portuguesa e de hábitos culturais portugueses? Em primeiro lugar, durante séculos foi muito frequente a emigração de portugueses para esta pequena aldeia. E, talvez ainda mais importante, é muito frequente o casamento entre portugueses e espanhóis, sendo que nos últimos censos foram registados, apenas em La Codosera, 200 casamentos entre cidadãos dos 2 países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here