Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Marco de Canaveses

Os 12 melhores locais para visitar em Marco de Canaveses

É a terra de Carmem Miranda e faz parte da Rota do Românico. Descubra os melhores locais para visitar em Marco de Canaveses.

8738
0

9. Igreja de Santo André de Vila Boa de Quires

A Igreja de Santo André de Vila Boa de Quires foi edificada no segundo quartel do século XIII, enquanto parte de um complexo monástico. Parece ter sido secularizada já no século XIV e a ela se ligou a linhagem dos Portocarreiros, com particular importância local e regional ao longo da Idade Média. Destaca-se a fachada principal, uma das mais elaboradas do Baixo Tâmega, semelhante à Igreja de Barrô (Resende). O portal aproxima-se do da Igreja do Mosteiro de Paço de Sousa (Penafiel), ostentando capitéis ornamentados com motivos simétricos de sabor vegetalista.

Igreja de Santo André de Vila Boa de Quires
Igreja de Santo André de Vila Boa de Quires

As mísulas [pedras salientes de apoio] têm a forma de cabeças de bovídeos. Toda a fachada foi deslocada em 1881 quando se ampliou a nave e acrescentou a torre sineira. O interior contrasta com a sobriedade do exterior e o despojamento imposto pelo paramento granítico. É na capela-mor que as diferenças artísticas são mais notáveis. O retábulo-mor [altar principal] neoclássico apresenta uma tela de grandes dimensões alusiva à Adoração ao Santíssimo Sacramento. Na abóbada da capela-mor, um conjunto de pinturas datáveis do século XVIII narra cenas do Processo e Paixão de Cristo, cujo percurso termina na pintura mural existente sobre o arco triunfal, na nave.

 

10. Igreja do Salvador do Tabuado

Embora as fontes atestem a existência, no século XII, de dois templos em Tabuado, um dedicado a Santa Maria e outro ao Salvador, este parece ter vingado como orago titular. Esta é, contudo, de fundação posterior, provavelmente de meados do século XIII, conforme nos indica a rosácea protogótica da fachada principal e outros elementos ornamentais do edifício. O portal principal destaca-se pela sua qualidade: tímpano apoiado sobre mísulas [pedras salientes de apoio] em forma de cabeças de bovídeo (tal como no Mosteiro de Paço de Sousa, Penafiel) e capitéis talhados com motivos vegetalistas.

Igreja do Salvador do Tabuado
Igreja do Salvador do Tabuado

Também aqui se apresenta o motivo de pérolas, recorrente no românico das bacias do Tâmega e Sousa. O campanário apresenta-se como uma torre defensiva. No corpo da nave e ao nível do arco cruzeiro persistem dois contrafortes, que acentuam a volumetria da Igreja. No interior, o que mais se evidencia do românico é o arco triunfal, cujas arquivoltas assentam sobre duas colunas, sendo as impostas decoradas com dentes de serra e círculos encadeados. Os seus capitéis resultam de um arranjo contemporâneo. Vibrante é a pintura mural do século XVI que preenche a parede fundeira da capela-mor, representando Cristo juiz, ladeado por São João Baptista e São Tiago Maior.

 

11. Ponte do Arco

Unindo as margens do rio Ovelha, a Ponte do Arco faz jus ao nome. Composta por um só arco de volta perfeita, de grandes dimensões, assume-se como uma imponente obra de arquitectura. O seu tabuleiro forma um cavalete, inspirando-se na construção das pontes góticas. Os mestres pedreiros que a projectaram e conceberam, ergueram os seus alicerces em dois afloramentos das margens, formulando assim uma estrutura mais robusta e segura. Talvez sem o desejarem, acabaram por criar um exemplo de vigor e equilíbrio.

Ponte do Arco
Ponte do Arco

Esta harmonia só é perturbada quando se observa o intradorso da Ponte da margem esquerda, sendo possível notar o desfasamento dos silhares [pedras] de arranque, na margem direita, cuja posição foi interrompida para colocação do cimbre (estrutura em madeira que serve para o molde do arco). Parte de uma rede municipal e paroquial de caminhos no antigo concelho de Gouveia, a Ponte do Arco representa bem o modelo de travessias locais que se disseminou ao longo da Época Moderna.

 

12. Igreja de Santo Isidoro de Canaveses

Pequena Igreja, cujo estilo românico primitivo se apresenta em bom estado de conservação. Edificada na segunda metade do século XIII num pequeno planalto, foi dedicada ao bispo Santo Isidoro. Na sua estrutura destaca-se o elaborado portal principal. Os toros das arquivoltas ligam-no ao românico portuense, os fustes cilíndricos e prismáticos que as sustentam aproximam-no do românico disseminado pela bacia do Sousa e as palmetas nas impostas ligam-no ao eixo Braga-Rates.

Igreja de Santo Isidoro de Canaveses
Igreja de Santo Isidoro de Canaveses

No interior, a luz passa por estreitas frestas que acentuam o despojamento ditado pela intervenção de restauro de 1977. O arco triunfal, que divide a capela-mor da nave, apresenta-se ligeiramente quebrado e desprovido de qualquer ornamento. Salta à vista a pintura a fresco que reveste parte da parede fundeira da capela-mor. Datado de 1536 e assinado pelo pintor Moraes, o conjunto pictórico apresenta-se à maneira de um tríptico, que, lido da esquerda para a direita, apresenta a Virgem com o Menino, Santo Isidoro e Santa Catarina de Alexandria. Nas paredes laterais podemos ainda observar, do lado esquerdo, um São Miguel que pesa as almas e, do lado direito, um São Tiago Apóstolo, vestido como romeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here