Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Lamego e arredores

Os 12 melhores locais para visitar em Lamego e arredores

É uma das cidades mais antigas de Portugal e está intimamente ligada à história do nosso país. Estes são os melhores locais para visitar em Lamego.

1

5. Museu de Lamego

O belo edifício que foi paço episcopal alberga um dos mais cuidados museus do interior de Portugal. A sua visita constitui um duplo prazer, pelo riquíssimo espólio que expõe e pelo passeio no interior de um antigo palácio que não esconde a sua grandeza e austera beleza. Das colecções expostas merecem particular relevo, as pinturas de Vasco Fernandes, conhecido por Grão Vasco e a colecção de tapeçarias flamengas. No início do século de Quinhentos o bispo de Lamego, D. João Madureira encomendou ao grande Mestre português um grande retábulo destinado a ornamentar a capela-mor da Sé.

Museu de Lamego
Museu de Lamego

Dos 20 painéis pintados chegaram até nós as cinco tábuas expostas no museu: Criação dos Animais, Anunciação do Anjo a Maria, Visitação da Virgem Maria a sua prima Isabel, Apresentação do Menino no Templo e Circuncisão, exemplos do que melhor se criou na pintura quinhentista portuguesa. As tapeçarias do museu de Lamego são contemporâneas dos quadros de Grão Vasco e foram fabricadas em Bruxelas. Nobreza e príncipes da Igreja usavam os panos de tapeçaria para decorar o interior dos seus palácios e simultaneamente torná-los mais confortáveis. Da colecção exposta faz parte um pano alusivo ao Julgamento do Paraíso; uma belíssima composição intitulada o Templo de Latona, ilustrada com episódios mitológicos relativos à deusa Latona e quatro panos relativos à história de Édipo, o tema mais trágico da mitologia grega.

 

6. Miradouro de São Leonardo da Galafura

Próximo de Covelinhas e Gouvinhas, entre Vila Real e Peso da Régua, o Miradouro de São Leonardo da Galafura proporciona panoramas de grande beleza natural sobre o maravilhoso rio Douro, manifestando a excelência da região de Trás-os-Montes. Daqui as vistas surpreendem, pautadas com a beleza magnífica do rio Douro, recortado pelos socalcos de onde nasce o tão afamado vinho do Douro, que durante séculos tem caracterizado a vida da região. Situado a cerca de 640 metros de altitude, vale a pena contemplar a beleza da região, avistando-se daqui as regiões de Armamar, Sabrosa, Tabuaço, Fontelo ou Valença do Douro, entre tantos outros lugares que emolduram a paisagem.

Miradouro de São Leonardo da Galafura
Miradouro de São Leonardo da Galafura

O espaço possui ainda uma capela, onde anualmente no penúltimo fim-de-semana do mês de Agosto decorre a festividade local, que acolhe um largo número de visitantes, e também um marco geodésico, e um agradável parque de merendas, perfeito para momentos de lazer e comunhão com a natureza, que aqui é privilegiada. Sublinhando a beleza do panorama envolvente, encontra-se um painel de azulejos que parafraseia Miguel Torga: “O Doiro sublimado. O prodígio de uma paisagem que deixa de o ser à forma de se desmedir. Não é um panorama que os olhos contemplam: é um excesso de natureza”…

 

7. Peso da Régua

Peso da Régua, também conhecida apenas por “Régua”, é uma cidade do Norte de Portugal, sede de concelho, situada em Trás-os-Montes, junto ao Rio Douro, conhecida por ser a capital da região demarcada que produz o célebre vinho do Porto. Não existem certezas das origens da localidade, mas pensa-se aqui ter existido uma casa Romana denominada “Villa Reguela”. Era de Peso da Régua que partiam os típicos barcos rabelos, de madeira, que se aventuravam pelo rio Douro para transportar os barris de vinho até Vila Nova de Gaia, onde o vinho envelhecia nas caves.

Peso da Régua
Peso da Régua

As paisagens naturais da região são, pois, lindíssimas e especiais, estando o Alto Douro classificado pela UNESCO como Património da Humanidade, provendo panoramas espectaculares tanto observados do próprio Rio Douro, ou no alto, nos muitos miradouros da zona, destacando-se o de São Leonardo e o de Santo António do Loureiro. Do cais fluvial de Peso da Régua partem e chegam muitos dos famosos Cruzeiros que cruzam este bonito Rio Douro, possuindo igualmente várias infra-estruturas de lazer como uma área pedonal, campos de ténis, piscinas e equipamentos para pesca, lojas de artesanato, restaurantes e bares. A não perder o Museu do Douro, instalado na Casa da Companhia, demonstra a importância deste património através das várias exposições que organiza.

 

8. Ucanha

Ucanha, detentora de uma localização privilegiada na margem direita do rio Varosa, será, de acordo com algumas tradições, a vila mais antiga das redondezas. O seu nome remete a um vocábulo que pode designar casebre ou lugar de diversão. Os primeiros povos que aqui se instalaram foram os romanos, que aproveitaram as terras férteis do vale do Varosa e criaram pequenas explorações agrícolas. Ainda hoje se pode ver uma das principais vias da romanização que conduzia a Braga.

Ucanha
Ucanha

Séculos mais tarde, foram os monges da Ordem de Cister que acompanharam o desenvolvimento da vila de Ucanha. Prova disso é a nova ponte fortificada e a respectiva torre de portagem dos séculos XII/XV que representam, actualmente, o ex-libris da freguesia. Naquela época, serviram para proteger a entrada nas terras do Mosteiro de Salzedas e deduz-se que a povoação se tenha desenvolvido devido à obrigatoriedade de passagem pela ponte. Para saborear a aldeia em pleno é fundamental caminhar nas suas ruas estreitas, deslumbrar-se com o conjunto colorido de casas, visitar a Igreja Matriz de São João Evangelista do século XVII com o altar-mor revestido de talha dourada barroca, bem como as ruínas da Abadia Velha e dar um salto às Caves da Murganheira para poder apreciar o seu famoso espumante.

1 COMENTÁRIO

  1. Gostava de saber porque não consigo SUBSCREVER BLOG VIA EMAIL,já tenho tentado imensas vezes sem SUCESSO !!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here