Início Viagens Os 12 melhores locais para visitar em Dublin

Os 12 melhores locais para visitar em Dublin

A capital da Irlanda, com a sua história ligada às artes e à música, é uma caixinha de surpresas. Os melhores locais para visitar em Dublin.

2583
0

5. Catedral Christ Church

A Christ Church Cathedral está situada no centro da parte medieval de Dublin. Já foi uma igreja viking, fundada em 1030, depois ocupada por monges. Tem sofrido remodelações e alterações, ao longo de vários séculos, mas mantém uma cripta subterrânea, que é a maior cripta do Reino Unido e da Irlanda com 63,4 metros de comprimento. A Christ Church Cathedral é também um museu, já que juntamente com Dublinia acolhe a exposição permanente sobre os Tesouro da Christ Church.

Catedral Christ Church
Catedral Christ Church

No fim de ano, muitas pessoas juntam-se frente à catedral para ouvir as 12 badaladas, com o espectáculo dos 19 sinos da Christ Church. A entrada é paga porque, dizem, não têm ajudas estatais para manter o normal funcionamento do monumento. Há bilhetes com diferentes preços e entradas combinadas com Dublinia.

 

6. Kilmainham Goal 

Transformada em museu, Kilmainham Goal é uma antiga prisão onde muitas pessoas que lutaram pela independência da Irlanda foram encarceradas. A antiga prisão de Kilmainham (Kilmainham Gaol), inaugurada em 1796, foi por onde passaram muitos dos personagens envolvidos na luta pela independência da Irlanda durante mais de 100 anos. Hoje podemos ver as celas e as zonas comuns, que permaneceram impassíveis diante das inumeráveis execuções. A prisão de Jilmainham continua tendo um lugar muito especial na memória dos irlandeses, já que, graças à luta dos valentes patriotas que foram presos e assassinados, a Irlanda conquistou sua independência.

Kilmainham Goal 
Kilmainham Goal

Nesta prisão, eram encarcerados juntos prisioneiros de todo tipo, fossem homens, mulheres ou crianças com pequenos delitos de roubo. As escuras e frias celas em que permaneciam recluídos eram iluminadas apenas a luz de vela, uma fonte de calor insuficiente para um lugar tão húmido e frio. Com a chegada da fome em 1848, milhares de pessoas foram obrigadas a roubar para poder comer e isso piorou a vida na prisão, fazendo com que os presos vivessem amontoados. Ainda assim eram muitos os que se alegravam de estar na prisão porque assim pelo menos tinham o que comer. O último preso foi libertado em 1924, um pouco antes do fechamento da prisão. Era Eamon de Valera, que posteriormente chegaria a ser presidente da Irlanda. Embora hoje em dia a prisão de Kilmainham não abrigue presos, ainda continua sendo um lugar cheio de história.

 

7. Museu Nacional de Arqueologia

O Museu Nacional de Arqueologia de Dublin oferece exposições arqueológicas que traçam a evolução da civilização irlandesa desde a chegada dos primeiros habitantes no Mesolítico até a Irlanda Medieval. No piso térreo são expostos objectos procedentes da época pré-histórica na Irlanda: armas e ferramentas de pedra, bronze e aço, além de reconstruções de pequenas granjas e algumas tumbas do período Neolítico.

Museu Nacional de Arqueologia
Museu Nacional de Arqueologia

No mesmo andar podemos ver uma grande quantidade de objectos de ouro produzidos durante a Idade de Bronze, além de algumas mostras de arte irlandesa criada depois da chegada dos celtas à ilha, assim como alguns recipientes de cerâmica e cristal provenientes da Idade de Bronze no antigo Chipre. No andar superior são exibidas diferentes recriações que documentam a vida dos vikings depois de sua chegada à Irlanda, em 795 d.C., além da situação da Irlanda durante a época medieval. No museu também são abordados alguns assuntos externos à Irlanda, como é o caso da exposição sobre o antigo Egipto, na qual você pode ver objectos usados durante as cerimónias religiosas e as práticas de enterro, além de algumas múmias.

 

8. Grafton Street

Situada em pleno coração de Dublin, entre a Universidade Trinity College e o Parque St Stephens Green, a Grafton Street é uma das ruas de pedestres mais importantes e disputadas de toda a cidade, A música de dezenas de músicos e artistas de rua percorrem cada centímetro da Grafton Street, acompanhando turistas e dublinenses que passeiam entre centenas de lojas e shoppings que fazem dessa rua uma das melhores zonas de compras. Ao norte da Grafton Street, no cruzamento com a rua Nassau (onde termina a zona de uso exclusivo de pedestres), está a estátua de bronze da famosa vendedora ambulante Molly Mallone, uma mulher que de dia se dedicava a vender peixe com seu carro e à noite trabalhava como prostituta.

Grafton Street
Grafton Street

Em 1880, James Yorkson compôs a música “Cockles and Mussels” (berbigões e mexilhões) em homenagem a Molly e, hoje em dia, a música se tornou um hino para todos os cidadãos irlandeses. A rua Grafton oferece um ambiente muito agradável para passar as últimas horas do dia fazendo compras, passeando ou simplesmente observando o ir e vir da multidão enquanto se toma um café no Bewleys’s Oriental Café, uma agradável cafetaria inaugurada em 1927.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here