Início Viagens O que fazer em Lisboa: 20 sugestões para todos os gostos

O que fazer em Lisboa: 20 sugestões para todos os gostos

Se está com falta de imaginação para passar o seu tempo livre na capital, aceite as nossas sugestões: 20 coisas para fazer em Lisboa.

6393
0
filmes estrangeiros rodados em lisboa
Lisboa

O que fazer em Lisboa num dia de Chuva? O que fazer em Lisboa grátis? Se acha que já conhece tudo sobre a capital de Portugal e os seus segredos, está enganado. Há muito mais para descobrir em Lisboa para além dos monumentos visitados em massa pelos turistas. É uma Lisboa secreta, à espera de ser descoberta e vivenciada. Curiosamente, muitas destas actividades que lhe sugerimos são algumas das coisas para fazer em Lisboa que alguns turistas mais apreciam, especialmente aqueles que gostam de descobrir uma cidade nova através de experiências e não apenas de guias turísticos. Estas são algumas das melhores coisas para fazer em Lisboa.

 

1. Descer ao Reservatório da Patriarcal

Museu da Água
Museu da Água

Se calhar nunca esteve nesta galeria subterrânea, mas de certeza que já lá pôs os pés. De certeza que já a pisou. O Reservatório da Patriarcal fica por baixo do jardim do Príncipe Real. Construído entre 1860 e 1864 para servir a rede de distribuição de água da cidade de Lisboa, tem um reservatório protegido por 31 pilares e um tecto abobadado. Está desactivado desde os anos 40 e pode ser visitado através do Museu da Água ou durante um dos espectáculos que decorre por lá.

 

2. Visitar o Cemitério dos Prazeres

Cemitério dos Prazeres
Cemitério dos Prazeres – John Sand

Não é visto como uma atracção turística pelos locais e percebe-se porquê: é muito provável que todas as visitas a este sítio sejam pelo pior dos motivos. Mas o que leva os turistas ao cemitério dos prazeres? Aqui estão alguns dos melhores exemplos de arte fúnebre e os edifícios mais curiosos de Lisboa, como o mausoléu dos Duques de Palmela, uma pirâmide de inspiração maçónica onde estão sepultadas mais de 200 pessoas. Tem ainda uma vista privilegiada para o Tejo e uma das maiores concentrações de ciprestes da Europa. Há visitas guiadas, essenciais para descodificar as centenas de histórias do cemitério (por marcação 213 912 699) e um museu na capela.

 

3. Ver a cabeça de Diogo Alves

Diogo Alves
Diogo Alves

Apesar de estar preservado em formol, o pickle humano da Faculdade de Medicina viralizou. Sites como Atlas Obscura, Wired ou Dangerous Minds partilharam a foto e a história de Diogo Alves, dando ao assassino do Aqueduto das Águas Livres fama internacional – nas redes, várias pessoas fizeram notar as semelhanças do primeiro serial killer português com Thom Yorke, vocalista dos Radiohead, no videoclip da canção “No Surprises”. A cabeça decepada está no Teatro Anatómico da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

 

4. Tirar uma foto no melhor “jardim” de Lisboa

Jardim das Pichas Murchas
Jardim das Pichas Murchas

É um pagode para qualquer turista que fale português: Jardim das Pichas Murchas. Os guias turísticos a caminho do Castelo fazem aqui um pit stop para risinhos nervosos e fotografias. E há ainda quem se atreva a traduzir para inglês o significado da placa. Mas vamos à história: o jardim, que na verdade é um largo, foi baptizado pelo calceteiro Carlos Vinagre porque era o sítio onde os cidadãos séniores do bairro se sentava a praticar a sua desocupação. A placa foi colocada por brincadeira, a Junta não gostou e mandou tirar, mas a vontade da população foi mais forte e o nome mantém-se para gáudio de locais e turistas. O “jardim” fica no cruzamento da Rua de S. Tomé com a Rua do Salvador.

 

5. Subir ao Terraço da Basílica da Estrela

Basílica da Estrela
Basílica da Estrela

O guia Lonely Planet fez as contas: são 112 degraus até uma “vista de longo alcance sobre Lisboa”. De lá de cima vê-se o Jardim da Estrela, a Lapa, o Tejo e um ou outro pombo que vai olhar para si e pensar “quem é este?”. É que o terraço da Real Basílica da Estrela não é assim tão frequentado. Talvez por causa dos 112 degraus ou dos 4€ que custa o bilhete que lhe dá acesso. Das 10.00 às 18.30, encerra às segundas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here