Início Notícias O futuro das viagens depois da Pandemia Covid-19

O futuro das viagens depois da Pandemia Covid-19

Como mudará a forma de viajar após a pandemia de Covid19? Iremos mudar radicalmente os nossos hábitos ou tudo continuará na mesma?

0
viagens
viagens

No início deste ano, todo o mundo se viu assomado pela pandemia que tomou conta de quase todos os países.

Esta nova doença, levando à paragem abrupta de muitas atividades económicas essenciais, deixando-as num estado de limbo, obrigou muitas delas a utilizar esta interrupção como um período de reflexão sobre como voltar a trazer vida ao seu sector.

Nenhum dos sectores se encontra num lugar tão incerto como o das viagens, englobando indústrias como as do Transporte, Turismo e Hotelaria.

Tentemos capturar um vislumbre do que poderá estar para vir, após a Pandemia do novo Coronavírus.

As luzes verdes sinalizam novos pontos de descoberta

À medida que algumas Nações vão abrindo um corredor aéreo para turistas voltarem a visitar o seu país, estes viajantes têm a oportunidade de descobrir novos destinos, por novos motivos.

Muitas são as vozes que assinalam a conclusão de que qualquer país que tenha tido uma resposta forte à pandemia, se vai afirmar como uma forte opção de turismo internacional.

Posto isto, estes resultados positivos, tocantes à resposta ao novo coronavírus, serão utilizados como estratégias de marketing poderosas, apelando ao bom-senso e segurança.

Falamos de áreas como a Nova Zelândia, o Taiwan, a Alemanha e a Grécia. Países que se destacaram no seu combate à pandemia e, como tal, vêem abrir corredores verdes, sinalizando o transporte seguro e uma oportunidade de descoberta.

Como tal, países como a Índia, onde a resposta se viu mais fraca, sofrerão uma recuperação lenta e mais dolorosa.

É, portanto, impossível não chegar à conclusão de este cenário irá reestruturar o futuro da viagem internacional, já que muitos optarão por não se deslocarem, de todo.

As particularidades da segurança durante a Viagem

Hoje em dia, com corredores aéreos abertos para viagens domésticas e internacionais, medidas extraordinárias de segurança têm sido postas em prática, de forma a assegurar a viabilidade da indústria durante este período.

Posto isto, estas precauções estendem-se desde a medição da temperatura dos passageiros à prática de distanciamento social, dentro do aeroporto e do avião.

Mas não apenas no Universo real se verificam estes códigos de cavalheirismo e consideração pelos outros.

A pandemia mundial fez com que olhássemos mais para o futuro, em busca de soluções e novas hipóteses. Como tal, também estas devem ser consideradas com algum pudor e precaução.

Como tal, podemos recomendar que se utilize, durante uma viagem ou deslocação, um VPN. O que é um VPN, senão uma forma de anonimizar o seu percurso e identidade em navegações online?

Como tal, deverá fazer parte do rol de cuidados que qualquer viajante deverá ter, uma vez que estará sempre num contexto de rede pública, aberta, ou mesmo desconhecida.

O boom das viagens domésticas

Como facilmente se imaginaria, muitos colocam dúvidas sobre os destinos habituais de lazer.

Como afirmamos acima, muitos irão por em causa se deverão sequer viajar nestas condições. Uma vez que estes destinos populares são, muitas vezes, aquilo que se chamam de hot spots para novos casos de infecção.

Sem dúvida alguma, isto suscita um interesse em viagens domésticas, dentro do seu próprio país, onde existe um conhecimento mais generalizado sobre o cenário pandémico que se está a viver.

Aqueles cuja a opção mais provável para o seu Verão seria uma viagem a Bali ou Bruxelas, considerarão uma road trip ou uma viagem de mochila às costas, dentro do seu país de residência, onde podem manter uma consciência tranquila.

A liberdade de deslocação e a recuperação da Economia

Não teremos de olhar muito para trás, para nos lembrarmos de um cenário que também tenha afetado gravemente a indústria do transporte.

Em 2001, dias após o ataque às Torres Gémeas, os voos voltaram ao normal, tendo sido implementadas medidas de segurança para tentar colmatar falhas e riscos.

Como tal, também durante a Pandemia já regressámos à actividade neste sector, tendo sido introduzidas mudanças para combater os riscos patentes em reunir várias dezenas de pessoas num espaço fechado, como o de um avião.

Não deverá ser esquecido o papel que qualquer viajante tem para a recuperação económica pós-Covid. Uma crise deve ser combatida com estimulação. E a possibilidade que estes indivíduos têm de estimular e ajudar a recuperar vários sectores da Economia é fundamental.

A liberdade para deslocação é vital e, apesar de todas as restrições que estão a ser impostas, para garantir a segurança de qualquer pessoa envolvida no processo, a esperança é de que a experiência de passageiro após a crise será mais eficiente, rápida e segura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here