Início Sociedade Lamno: o povo de olhos azuis da Indonésia que descende de portugueses

Lamno: o povo de olhos azuis da Indonésia que descende de portugueses

Numa pequena vila piscatória da Indonésia vive um povo de olhos azuis que descende de portugueses. Conheça o povo de Lamno e a sua história.

180257
50
lamno
Criança de Lamno, Indonésia

Provavelmente nunca ouviu falar dos Lamno, o povo de olhos azuis da Indonésia que descende de portugueses. Em primeiro lugar, é importante explicar porque razão os Lamno têm olhos azuis e são descendentes de portugueses, sendo que a cor azul não é a mais comum em Portugal, excepto em algumas localidades do norte do país. Tem tudo a ver com genética.

Basta que 2 ou 3 dos marinheiros portugueses que desembarcaram nestas paragens tivesse olhos azuis e o tempo, juntamente com casamentos entre pessoas da mesma comunidade, para dar origem a uma população inteira onde a cor azul dos olhos fosse predominante.

Os portugueses da província indonésia de Aceh, conhecidos localmente como “olhos azuis”, estão em risco de se extinguirem desde que o tsunami de 2004 reduziu a comunidade de centenas de pessoas a menos de uma dezena.

Banda Aceh

No sopé de uma colina, tal como Lisboa, o bairro de pescadores em Lamno, localidade a cerca de 200 quilómetros de Banda Aceh, na ilha da Samatra, onde residia a maioria da comunidade dos portugueses de Aceh, tem apenas vestígios de uma ponte e de uma habitação.

O antigo mercado do peixe onde as centenas de pessoas do bairro português se abasteciam é hoje uma mistura de areia e de excrementos de búfalo em frente ao mar.

Lamno

Jamaluddin, que se apresenta só com um nome, faz parte de um grupo de cerca de quatro pessoas que ainda são conhecidos em Lamno como os portugueses de Aceh ou como os “mata biru” (olhos azuis, em indonésio).

Jamaluddin tem 45 anos e o tsunami roubou-lhe uma filha e a esposa, também ela da comunidade de descendentes portugueses, cujos elementos costumavam casar entre si.

Banda Aceh antes do Tsunami

O indonésio, que trabalha na plantação de pimenta e tem gado a seu cargo, voltou a casar, desta feita com uma pessoa fora da comunidade de descendentes portugueses, e vive num bairro construído pela Arábia Saudita, numa região cujo património é hoje multicultural devido aos vários países que participaram na reconstrução de Aceh.

Banda Aceh após o Tsunami

“Os meus filhos têm a pele muito branca, cabelo castanho e as pessoas chamam-lhes “bule”, disse Jamaluddin, referindo-se a um termo local que significa “pessoa branca” e que é comummente usado, sem qualquer conotação depreciativa, pelos indonésios quando estão na presença de um caucasiano.

A comunidade tem a histórica reputação de discrição e timidez e Jamaluddin e um dos seus filhos, Rahmat Syah Putra, que falou com a Lusa, não são excepções.

Banda Aceh após o Tsunami

Porém, tal como no período antes do tsunami, em que as pessoas com olhos azuis, cabelo louro e nariz pontiagudo eram o centro das atenções, também Jamaluddin tem características que o distinguem dos demais homens de Aceh que vão para além da cor da pele, tais como braços peludos e cabelo e olhos castanhos.

Rahmat Syah Putra, de 20 anos, não usa o cabelo tão comprido como o do pai, mas segue-lhe o gosto pelas camisolas sem mangas, algo pouco habitual na Indonésia.

Banda Aceh

Pai e filho sabem apenas que têm ascendência portuguesa – embora frisem que se sentem iguais aos outros habitantes de Aceh – e não seguem qualquer tradição particular, dado que a comunidade dos “mata biru” integrou-se totalmente na região, falando sobretudo o dialecto da província e professando a religião muçulmana.

“O tsunami mudou muito a minha personalidade, o meu comportamento, o meu carácter e muitas outras coisas”, frisou o jovem, acrescentando que agora está “mais próximo de Deus” e que o seu sonho é tornar-se num líder religioso.

Banda Aceh

Rahmat Syah Putra, que encarou o tsunami não como um castigo, mas como um “teste”, confessou que antes do desastre nem sempre rezava cinco vezes ao dia, como é prática na religião muçulmana.

Os portugueses foram os primeiros europeus a chegar à Indonésia, no início do século XVI e, apesar de terem-se estabelecido sobretudo na região oriental do país, alimentaram o sonho de controlar o comércio da pimenta desde a zona estratégica do Norte da Samatra até ao mercado chinês.

Samatra

Contudo, o período ficou marcado por animosidades políticas e militares intercaladas com relações amistosas com os sultões de Aceh antes da colonização holandesa, e os portugueses até ergueram uma igreja numa região que é conhecida como a Meca do país com mais muçulmanos no mundo.

Nurdir Ar, antigo director do Museu de Aceh, explicou à Lusa que, de acordo com o “costume e a lei local” na altura, “um barco naufragado e os seus passageiros passavam a pertencer ao sultão e, finalmente, tornavam-se achéns”.

Indonésia

Questionado sobre o porquê da designação de “olhos azuis” associada aos portugueses, o também professor de filologia na Universidade Islam Negeri, de Banda Aceh, respondeu que “talvez houvesse um português ou outra pessoa a viajar no navio português”.

“Eu especulo que dentro dos barcos eram todos homens e os homens portugueses casaram com mulheres locais. Com o passar do tempo, estes portugueses converteram-se ao Islão”, acrescentou.

motivos para sentir orgulho de Portugal
Nau Portuguesa

Antes do tsunami, a comunidade teria talvez cerca de 500 pessoas, referiu, advertindo, contudo, que é difícil apontar um número, porque a região conta com descendentes de outros europeus e árabes.

Apesar dos elementos desta pequeno grupo de “mata biru” ainda podem dar-lhe continuidade, até porque há casos em que “a mãe é muito escura, mas o filho é muito branco”, Nurdir Ar prevê que no futuro as pessoas esqueçam a ideia dos portugueses de Aceh ou “mata biru”.

50 COMENTÁRIOS

    • Gostaria de frisar que no português falado no Brasil, a palavra usada é Sumatra, assim como Galiza, é Galícia. Mas às formas Samatra ou Galiza, não são consideradas errôneas.

      • LOL, só se for para ti.
        Eu falo Português, o original e não uma versão adulterada que já não é mais do que um crioulo do Português.

        • Mas como és um parvo inculto de marca maior! Foi o português do Brasil que fez da nossa língua uma das mais internacionais e a sexta mais falada do mundo. Não é adulterado e sim evoluído e vale resaltar o preferido por estudantes da língua em todo o mundo. Mais belo, mais fluido, mais sonoro. Deixa-te de ciumeiras e invejas que só te exporás ao ridículo desta forma.

          • Perfeito, Brau. Sou brasileiro com pais portugueses. Adoro nossa língua, seja a falada em Portugal ou no Brasil. Há um claro preconceito no comentário do “Jota”. Pena que ele enxergue as coisas desta forma.
            Abraços.

  1. Isto eh simplesmente fascinante e ao mesmo tempo, terrivel. Essa caravela ou navio cargueiro devia mas eh ir cheio de lindos marinheiros Minhotos! Nao seria de admirar, pois na epoca a grande maioria era do Norte, especialmente vindos la pros lados de Viana, onde todos sabemos, predomina o prototipo Portugues Celtico/Germano.
    Imagino estes homens isolados, a milhares de kilometros/leguas da patria, sem ter familia ou poder ver a familia, num lugar totalmente diferente, perigoso, e de repente, nao poderem voltar a casa sendo prisioneiros e posse de um Sultao! Eu ficaria doida!
    Que corajosos e arrojados foram estes nossos meninos, e onde estao os memoriais (fora o Padrao dos Descobrimentos) a estes homens simples da terra, que perderam o seu pais por outros ja quando nao perdiam as suas proprias vidas!? Sem margem de duvida era preciso ser mesmo corajoso e forte. Hoje eh dificil imaginar o pais que este Portugal ja foi, e os Portugueses como raca corajosa, forte, e arrojada. Hoje somos um bando de chorudos cheios de queixumes, exigencias, intolera tes ainda, e mal educados. Pelo menos deixamos o DNA e a cultura nacional espalhada mundo afora.
    Obviamente, de nada nos serviu tantas licoes de uma historia quaze milenar. Nao somos mais os mesmos e por isso Portugal deixou de ser quem era. Esquecemo-nos que ser Portugues nao eh so fados; que os de fora pelo menos respeitem ainda o nosso passado!

  2. Em África, também há Africanos negros com olhos azuis. Será que têm descendência ariana/germânica? Quem serão os culpados?

  3. Maria da Conceiçao Silva, não só na região norte de Portugal, Minho, existem pessoas louras, tez muito branca e de olhos azuis, mas também no sul de Portugal, com mais ou menos incidência em determinadas zonas do país. Tenho amigos do sul, portugueses, que têm essas características físicas. Na minha tenho irmãos louros, bem acentuados nas suas características, e morenos. Os portugueses têm características genéticas muito ricas e únicas no mundo, independentemente de germanos ou outros….Existem grandes obras publicadas de renomados especialistas mundiais sobre as origens e riqueza genética, ao longo de séculos, do povo português e suas especificidades únicas. Só os ignorantes e detratores desconhecem as raízes profundas deste grande povo, muitas vezes subestimado, negligenciado, vilipendiado, subvalorizado por mentecaptos internos e externos….A ignorância, cegueira mental,
    malvadez e estupidez são males terríveis da humanidade….Existem “lobbies” de certos , e indivíduos…, historicamente inimigos de Portugal, com fortes interesses politico econômicos, interessados em denegrir a história de Portugal.

  4. Mark: Peco desculpa pela omitir a acentuacao, mas estou em teclado Internacional, o que me priva tal. Claro que existem louros e ruivos em muitos outros lugares de Portugal, no entanto, a grande maioria destes (25-35%) esta no Norte; nao so no Minho, mas tambem em Tras os Montes, Beiras e no Litoral. Dos que se encontram em areas como o Baixo Alentejo ou Algarve, nao significa que essas areas foram ocupadas por povos Germanicos ou Celtas, que como se sabe, se estabeleceram no Norte/Centro do pais, nao no Alentejo ou Algarve. Pode haver Alfacinhas, Alentejanos, Algarvios louros e ruivos como eu, que sou Lisboeta por ter nascido e sido criada em la, mas nao deixo de ser Minhota por ter pais que foram, mas decerto que concorda que tais areas nunca foram lugares de ocupacao Sueva ou Visigoda. Na epoca dos Descobrimentos, marinheiros e tripulacoes inteiras vinham do Minho, da area de Viana do Castelo e vilas circundantes, por ser Viana um importante centro maritimo da epoca. Sendo assim, nao eh dificil presumir que muitos dos que ao acaso ficaram espalhados mundo fora, nao tenham uma grande probabilidade de ter no seu ADN tracos geneticos de Suevos, Visigodos, Celtas, Romanos, etc.
    Quantos as entidades e individuos que diz interessados em fazer mal a Portugal, porque permitimos tal ? Liberdade tem limites e o denegrir a patria e sua historia deve ser um desses, e quando aos Portugueses que cada vez mais deixam de mostrar respeito a seu pais, sua historia, e seus conterraneos, isso eh simplesmente intoleravel quando vemos luso descendentes findo seculos de contacto directo com Portugal, tenazmente apegados as raizes da nossa cultura e tradicao, tais como os habitantes do Bairro Portugues de Malaca, os Luso Descendentes de Burma, Sri Lanka, os habitantes da ilha das Flores, e outros. Sao Portugueses, roubando respeito ao ceu que os viu nascer e falando mal do que NAO deveria ser seu: o privilegio de ser Portugues e viver em Portugal. Tais deviam ser convidados a sair e nao voltar mais!

    • EM PORTUGAL OS SUEVOS= SUECOS VIKINGS E OS VISIGODOS = TAMBÉM DINAMARQUESES VIKINGS FIZERAM CAPITAL BRAGA E ELES SÃO DE OLHOS AZUIS MESMO TEM LÓGICA BANDEIRA SUECA SER AZUL PELO GELO REFLETINDO AZUL E PELOS OLHOS AZUIS DE SUECOS ( AS) ALTOS LOUROS E NÃO TÃO ALTOS TAMBÉM BEM COMO MORENOS O TÊM .

    • Privilégio de ser português e de viver em Portugal? Ah pois claro! E o que me diz de todos os portugueses que tiveram de emigrar por causa da crise? Que grandes privilegiados!

    • Epá, que grande privilégio ser-se português e viver em Portugal! Será por isso que tantos portugueses emigraram nos últimos anos?

    • A senhora não deve ser, de certeza, uma trabalhadora paga a recibos verdes, sabe, daqueles trabalhadores que recebem o maravilhoso salário mínimo de 557 euros. E aposto que não é uma jovem licenciada que faz estágios atrás de estágios sem receber um cêntimo. Só pode!

    • Epá, essa do privilégio de ser português e viver em Portugal é muito gira! De certeza que a senhora não é alguém que trabalha a recibos verdes ou que recebe o maravilhoso salário mínimo de 557 euros. E aposto que a senhora não é uma estagiária que não recebe nada pelos estágios que faz. Com um discurso desses, só pode.

  5. Olá. Sou descendente de portugueses e vivo no Brasil. Descobri que a minha família em Portugal começou com cavaleiros da Ordem de Cristo vindos da França para expulsar os Mouros de Portugal. É uma história muito interessante e bonita. Posteriormente meus antepassados vieram para o Brasil no tempo das Bandeiras e alguns se instalaram em Guaratinguetá. Realmente os portugueses do passado espalharam seus genes por todos os cantos. Achei interessante a matéria porque também tenho olhos claros. O português que começou a família se chamava Francisco de Nabo Freire. Um grande abraço a todos.

  6. POIS EU TENHO OLHOS AZUIS, BEM COMO MUITAS PESSOAS DA MINHA FAMÍLIA. NASCI EM VISEU E A FAMÍLIA DA MINHA MÃE ERA MAIORITÁRIMENTE MUITO BRANCA DE OLHOS AZUIS, MAS O MEU PAI, TAMBÉM TINHA OLHOS AZUIS, BEM COMO OS MEUS IRMÃOS, APESAR DE NÃO SERMOS FILHOS DA MESMA MÃE. ORA, O MEU APELIDO POR PARTE DE PAI É: OTTO. SEGUNDO SE PENSA, SOMOS DESCENDENTES DE ALEMÃES E PRINCIPALMENTE EU, TENHO TODAS AS CARACTERISTICAS FÍSICAS DESSA GENTE.

  7. Olá,os brasileiros erdaram os mesmos hábitos dos portugueses: Falar mal da própria pátria,não valorizar a própria cultura. Devemos valorizar a nossa história,e amar o nosso país. Um abraço a todos.

    • Em Portugal é coisa de gente mal formada e mal educada. São uma minoria que mais valia estar calada. É uma atitude muito característica também de Portugueses que emigraram, sobretudo no século XX. Têm uma boca muito ordinária relativamente ao seu país e aos nossos vizinhos Espanhóis a quem tratam com desprezo e ódio… esses Portugas são gente muito ordinária mesmo. O pior é que passam essa peçonha, essa educação aos seus filhos que dão continuidade a essa atitude vergonhosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here