Início História D. João IV: o Rei que compôs música cantada por Pavarotti e...

D. João IV: o Rei que compôs música cantada por Pavarotti e Andrea Bocelli

Ficou conhecido por ter protagonizado a luta contra o domínio espanhol mas o Rei D. João IV é famoso também por outro motivo: era compositor de música.

2
D. João IV
D. João IV

Portugal, enquanto país pequeno, territorialmente falando, tem contribuído ao longo dos séculos com inúmeros e grandiosos presentes culturais para a humanidade. Entre os Descobrimentos, de que fomos absolutos pioneiros mundiais, o incomparável poeta Camões ou o intrigante poeta Pessoa, podemos encontrar um governante português, D. João IV, que dedicou parte da sua vida não só à restauração da independência do nosso país, como também às artes em geral, tendo sido mecenas e compositor. Possuía, ainda, e à data, um dos maiores acervos bibliográficos do mundo e foi o responsável pela fundação de uma escola de música erudita em Vila Viçosa, de onde saíram músicos formados para a Europa, em especial para Itália.

O monarca, que reinou entre os anos de 1640 e 1656, escreveu “Adeste Fideles”, cujos manuscritos foram encontrados no Palácio de Vila Viçosa, datados de 1640. “Adeste Fideles”, expressão latina que em Português poderá traduzir-se como “Venham fiéis»” é um grandioso hino de Natal, interpretado já por nomes sonantes da ópera mundial como Luciano Pavarotti, Andrea Bocelli, Barbara Padilla, Jose Carreras ou Placido Domingo. Qualquer pesquisa no YouTube por “Adeste Fideles” conduzi-lo-á a uma interpretação impreterível e do melhor gosto musical.

Os manuscritos terão, entretanto, sido levados para a corte inglesa e mais tarde reescritos por John Francis Wade, cujos manuscritos datam de 1743 (mais de 100 anos após a lavra original da obra, pelo nosso rei D. João IV, cuja autoria foi caindo no esquecimento e sendo erradamente substituída pela de John Wade).

Os textos mais antigos consistem em quatro versos em Latim. Na versão actual, os quatro primeiros versos foram compilados por John Wade em 1740-43; o abade Jean-François Borderies acrescentou três versos em 1822 e o oitavo verso, de autor desconhecido, data de 1850. Em apresentações públicas é habitual omitir versos, pois o hino completo é um tanto longo. O oitavo verso é reservado para a celebração da Epifania.

 

 

O Reinado de D. João IV

A 19 de Março de 1604, nascia em Vila Viçosa D. João, o filho de D. Teodósio (VII Duque de Bragança) com D. Ana de Velasco y Giron, D. João IV. Ele era neto de D. Catarina de Bragança, uma das herdeiras legítimas ao trono, em grau de igualdade com Filipe II de Espanha que veio a tornar-se Filipe I, rei de Portugal.

Assim, seria tão legítimo o trono estar nas mãos de Filipe III de Portugal como se estivesse nas mãos de D. João pois ambos eram trisnetos de D. Manuel I. Sendo o filho mais velho de Teodósio, D. João viria a tornar-se no VIII Duque de Bragança, V Duque de Guimarães e III Duque de Barcelos. Foi ele quem fundou a dinastia de Bragança, a 4ª dinastia monárquica de Portugal.

D. João recebeu uma educação de topo, sendo instruído na língua latina, na música, na história sagrada, etc… Mais tarde, ele próprio se tornou artista e compositor de algumas peças musicais. Quando, em 1633, D. João casou com D. Luísa Francisca de Gusmão, o seu pai já havia morrido e, portanto, D. João já era o VIII Duque de Bragança.

Apesar da anterior renitência em se tornar rei, D. João IV era tudo menos um homem fraco e isso ficou bem evidente pela forma como agiu prontamente logo após ser aclamado rei. Nessa altura, um grupo de conspiradores, entre os quais se encontravam o Inquiridor Geral, o Arcebispo de Braga e o Marquês de Vila Real, planearam entregar novamente o Reina às mãos de Espanha, mas D. João IV puniu-os severamente por isso.

Além disso, apesar de militarmente Portugal se encontrar muito debilitado, o novo rei tomou medidas imediatas, decisivas e eficazes na reorganização da defesa do país. Todas as adversidades foram enfrentadas com intenso vigor e D. João IV sempre se fez acompanhar de homens de confiança que o ajudaram de forma soberba.

Em 1646, o rei proclamou N.ª Sr.ª da Conceição como a padroeira de Portugal, oferecendo-lhe a coroa, expressando assim profunda devoção e respeito pela padroeira.

D. João IV reinou durante 16 anos, podendo destacar-se do seu reinado a forma como ele conseguiu reorganizar o exército, conseguindo mesmo vencer a Batalha do Montijo contra Espanha e conseguir o reconhecimento da independência de Portugal por parte dos vários países europeus. Além disso, ele estabeleceu parcerias com as mais importantes nações europeias, como é o caso da Inglaterra, França, Irlanda e Holanda.

Conseguiu também recuperar alguns territórios no ultramar tais como o Brasil e alguns países de África. Foram ainda tomadas importantes medidas políticas, militares, legislativas e administrativa de modo a consolidar no poder a dinastia de Bragança que se manteve no poder enquanto a Monarquia foi o modelo governativo em Portugal.

Apesar de D. João IV não ter conseguido o reconhecimento da independência portuguesa por parte de Espanha, durante todo o seu reinado ele travou a guerra da restauração que só terminou após a sua morte, já em 1668. No entanto, D. João IV deixou tudo preparado por forma a que os seus sucessores triunfassem, tal como acabou por acontecer.

D. João IV morreu em Lisboa, a 6 de Novembro de 1656 e foi sepultado no Mosteiro de S. Vicente de Fora, sendo sucedido no trono pelo seu filho D. Afonso VI.

Hoje, apesar de Portugal ser uma república, a Casa de Bragança continua a ser uma Casa influente em Portugal, sendo reconhecido em D. Duarte, Duque de Bragança, o direito legítimo ao trono caso Portugal se tornasse novamente numa Monarquia.

2 COMENTÁRIOS

  1. Portugal has the best and wonderful history. Why not create great movies about the greater heroes from ancient times , for example :The Might Viriato defeating many battles against the Roman Empire.About The Mighty First King D. Afonso Henriques battles overcoming against Spain and Muslims invaders. About Vasco da Gama. About the defeat of Napoleon in Rio Douro invasion. About Mouzinho de Albuquerque in Africa fighting against Gungunhana african dictator in Mozambique. About the greater Luis de Camoes. Ect……That will bring back the Glory to Portugal Heroes and above all , increasing Portugal Economy. Viva the ancient Portugal Heroes. I’m Proud of my ancestors.

    • In the Iberian península there is a people who dont govern themselves and cannot be governed by others…Orgulho de ser português.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here