Início Cultura 5 fantásticas curiosidades da língua portuguesa

5 fantásticas curiosidades da língua portuguesa

A língua portuguesa pode ser a mais bela do mundo, mas é também uma das mais curiosas e traiçoeiras. Conheça algumas curiosidades da língua portuguesa.

8494
0

A língua portuguesa, o belíssimo idioma de Camões e Fernando Pessoa, espalhou-se pelos quatro cantos do mundo graças aos descobrimentos portugueses e, hoje em dia, é falada por mais de 200 milhões de pessoas. Com tanta gente a falar português espalhada por vários continentes, é natural que surjam diferenças que se vão acentuando com o tempo mas nem por isso o idioma português perde a sua beleza. Pelo contrário: esta evolução da língua, a sua mistura com outros idiomas, só lhe traz ainda mais encanto. Descubra algumas fantásticas curiosidades da Língua Portuguesa.

 

5 palavras que muitas pessoas pronunciam de forma errada

Existem termos com os quais até mesmo os falantes cultos nativos de língua portuguesa se confundem e cometem deslizes ao se expressarem. Confira as cinco palavras a seguir e veja se você sabe pronunciá-las correctamente:

1. INEXORÁVEL (inabalável, inflexível, austero, rígido)
Pronúncia frequente: “ineczorável”
Pronúncia correta: “inezorável”

2. RUBRICA (assinatura abreviada de alguém)
Pronúncia frequente: “rúbrica”
Pronúncia correta: “rubríca”

3. RUIM (algo que não faz bem, nocivo)
Pronúncia frequente: “rúim”
Pronúncia correta: “ruím”

4. SINTAXE (estudo da estrutura gramatical das frases)
Pronúncia frequente: “sintácse”
Pronúncia correta: “sintásse”

5. SUBSÍDIO (apoio, recurso financeiro, quantia de dinheiro, vencimento)
Pronúncia frequente: “subzídio”
Pronúncia correta: “subcídio”

 

15 palavras aportuguesadas que não utilizamos

roc1.png
ROQUE

Quando tratamos de estrangeirismos – palavras estrangeiras que são incorporadas ao nosso idioma – muitos defendem a ideia de que tais termos devam ser aportuguesados, o que, de fato, ocorre com várias palavras em nossa língua. Nesse processo, os vocábulos são submetidos às regras ortográficas vigentes na língua portuguesa, buscando-se equivalentes do ponto de vista fonético. Na prática, todavia, o que se observa é que geralmente as grafias originais continuam tendo preferência no uso, embora as formas aportuguesadas já se encontrem dicionarizadas.

Veja a seguir 15 palavras aportuguesadas que raramente utilizamos:

  1. Blogue (Blog)
  2. Bufê (Buffet)
  3. Caubói (Cowboy)
  4. Chantili (Chantilly)
  5. Drinque (Drink)
  6. Eslaide (Slide)
  7. Flã (Flan)
  8. Leiaute (Layout)
  9. Motobói (Motoboy)
  10. Náilon (Nylon)
  11. Rali (Rally)
  12. Roque (Rock)
  13. Sedã (Sedan)
  14. Sítio (Site)
  15. Tíquete (Ticket)

 

Por que existem diferenças entre o português brasileiro e o europeu?

O português foi estabelecido como língua oficial do Brasil em 1758, mas nessa época o contato com povos indígenas e escravos africanos já havia alterado a língua falada por aqui. “Os africanos que chegaram como escravos não frequentavam escolas e, portanto, aprendiam português na oralidade, criando diferenças em relação à língua original”, diz a linguista Rosa Virgínia Matos e Silva, da Universidade Federal da Bahia.

Mais tarde, no final do século 19, chegaram ao Brasil imigrantes europeus e asiáticos, que promoveram novas mudanças na forma de falar do brasileiro. Em outras colônias portuguesas, como Angola e Moçambique, a mistura de povos foi menos intensa e a independência ocorreu há muito menos tempo. Por isso, fala-se um português mais parecido com o europeu, embora também existam sotaques regionais.

A população brasileira, quando comparada com a população dos demais países lusófonos, é bem maior, o que significa que o português do Brasil seja a variante do idioma mais falada, lida e escrita. Em países como Estados Unidos, Japão e, sobretudo, na América Latina, é ensinada a variante brasileira para estudantes estrangeiros da língua portuguesa.

 

A palavra “saudade” só existe em português?

A palavra “saudade” não é particularidade da língua portuguesa. Porque derivada do latim, existe em outras línguas românicas. O espanhol tem soledad. O catalão soledat. O sentido, no entanto, não é o do português, está mais próximo da “nostalgia de casa”, a vontade de voltar ao lar.

A originalidade portuguesa foi a ampliação do termo a situações que não a solidão sentida pela falta do lar: saudade é a dor de uma ausência que temos prazer em sentir. Mesmo no campo semântico, no entanto, há correspondente, no romeno, mas em outra palavra: dor (diz-se “durere”).

É um sentimento que existe em árabe, na expressão alistiyáqu ”ilal watani. O árabe pode, até, ter colaborado para a forma e o sentido do nosso “saudade”, tanto quanto o latim.

 

Qual a forma correta: trisavô ou tataravô?

Sabemos que o pai do pai é o avô, e que o pai do avô é o bisavô. Mas e o pai do bisavô? Muitos afirmam ser o tataravô, no entanto os dicionários Aurélio e Houaiss, por exemplo, definem o trisavô como pai do bisavô.

Tataravô é a forma paralela de tetravô, ou seja, aquele que seria pai do trisavô. Há, contudo, dicionários que preferem aceitar aquilo que o povo consagrou no dia a dia, ou seja, tataravô como pai do bisavô.

Obs.: a partir das formas tataravô ou tetravô, costuma-se utilizar numerais ordinais seguidos do vocábulo avô. Assim, temos:

Quinto avô (No lugar de pentavô)
Sexto avô (No lugar de hexavô)
Sétimo avô (No lugar de heptavô)
Oitavo avô (No lugar de octavô)
Nono avô (No lugar de nonavô)
Décimo avô (No lugar de decavô)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here