Início Cultura Como nasceu a língua portuguesa?

Como nasceu a língua portuguesa?

Como nasceu a língua portuguesa? Dos Lusitanos aos Romanos, dos Árabes aos tempos modernos, descubra a evolução de uma das línguas mais faladas do mundo.

26517
3
COMPARTILHE
Como nasceu a língua portuguesa
Como nasceu a língua portuguesa

Curiosamente, o português surgiu da mesma língua que originou a maioria dos idiomas europeus e asiáticos. Com as inúmeras migrações entre os continentes, a língua inicial existente acabou subdividida em cinco ramos: o helénico, de onde veio o idioma grego; o românico, que originou o português, o italiano, o francês e uma série de outras línguas denominadas latinas; o germânico, de onde surgiram o inglês e o alemão; e finalmente o céltico, que deu origem aos idiomas irlandês e gaélico. O ramo eslavo, que é o quinto, deu origem a outras diversas línguas actualmente faladas na Europa Oriental.

Árvore genealógica das línguas
Árvore genealógica das línguas

O latim era a língua oficial do antigo Império Romano e possuía duas formas: o latim clássico, que era empregado pelas pessoas cultas e pela classe dominante (poetas, filósofos, senadores, etc.), e o latim vulgar, que era a língua utilizada pelas pessoas do povo. O português originou-se do latim vulgar, que foi introduzido na península Ibérica pelos conquistadores romanos. Damos o nome de neolatinas às línguas modernas que provêm do latim vulgar. No caso da Península Ibérica, podemos citar o catalão, o castelhano e o galego-português, do qual resultou a língua portuguesa.

O domínio cultural e político dos romanos na península Ibérica impôs sua língua, que, entretanto, mesclou-se com os substratos linguísticos lá existentes, dando origem a vários dialectos, genericamente chamados romanços (do latim romanice, que significa falar à maneira dos romanos). Esses dialectos foram, com o tempo, modificando-se, até constituírem novas línguas.

Árvore genealógica das línguas

Quando os germânicos, e posteriormente os árabes, invadiram a Península, a língua sofreu algumas modificações, porém o idioma falado pelos invasores nunca conseguiu se estabelecer totalmente. Somente no século XI, quando os cristãos expulsaram os árabes da península, o galego-português passou a ser falado e escrito na Lusitânia, onde também surgiram dialectos originados pelo contacto do árabe com o latim.

O galego-português, derivado do romanço, era um falar geograficamente limitado a toda a faixa ocidental da Península, correspondendo aos actuais territórios da Galiza e de Portugal. Em meados do século XIV, evidenciaram-se os falares do sul, nomeadamente da região de Lisboa. Assim, as diferenças entre o galego e o português começaram a se acentuar. A consolidação de autonomia política, seguida da dilatação do império luso consagrou o português como língua oficial da nação.

Camões

Esta separação entre o galego (Galiza) e o português (Portugal) vem acentuar-se apenas no século XIV, aquando da consolidação politica autónoma do novo reino, sendo que foi no século XV, através dos descobrimentos portugueses que a língua de Camões se foi ampliando e espalhando pelos vários pontos do Globo. O primeiro documento literário escrito no idioma português surgiu a partir do século XII, quando havia o predomínio da língua falada.

As grandes navegações, a partir do século XV d.C. ampliaram os domínios de Portugal e levaram a Língua Portuguesa às novas terras da África (Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe), ilhas próximas da costa africana (Açores, Madeira), Ásia (Macau, Goa, Damão, Diu), Oceania (Timor) e América (Brasil).

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu estaría contento de que na Galiza o noso idioma Galego sexa exactamente o mesmo que o Portugués, e que os portugueses non falen con pronunciacao pechada, que fai difícil entender.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here