Início História Cambedo da Raia: a história do heróico povo da “aldeia maldita”

Cambedo da Raia: a história do heróico povo da “aldeia maldita”

Em 1946, a aldeia de Cambedo da Raia, em Chaves, acolheu refugiados da Guerra Civil Espanhola. Em resposta a esse gesto, foi cercada e atacada por tropas portuguesas e espanholas.

3823
1
Cambedo da Raia - Fernando Ribeiro

Um dos últimos maquis criados no final da Guerra Civil Espanhola situou-se na zona raiana entre Trás-os-Montes e a Galiza. Os guerrilheiros – anarquistas, socialista e comunistas – procuravam refúgio nas aldeias do lado português, atacando os alvos franquistas do outro lado da fronteira. Uma dessas aldeias era Cambedo da Raia. Devido a uma denúncia, a aldeia foi cercada por centenas de efectivos militares portugueses e espanhóis, Pides, GNR, Guarda Fiscal, etc., no dia 20 de Dezembro de 1946.

Cambedo da Raia - Fernando Ribeiro
Cambedo da Raia – Fernando Ribeiro

Da Batalha do Cambedo, resultou a morte de dois guerrilheiros – Juan Salgado Rivera e Bernardino Garcia, que terá preferido suicidar-se a render-se; a morte de dois guarda-republicanos, José Joaquim e José Teixeira Nunes; alguns feridos, incluindo uma menina; e foram presos oito galegos e 55 portugueses, dezoito dos quais de Cambedo.

Cambedo da Raia - Fernando Ribeiro
Cambedo da Raia – Fernando Ribeiro

A história foi quase ocultada na altura. Hoje vão-se conhecendo pormenores. É mais um momento importante da solidariedade raiana entre o povo português e os resistentes espanhóis, tal como aconteceu noutros lugares fronteiriços, como, por exemplo, Barrancos.

Mais artigos

Mais recentes

As 9 melhores praias fluviais da região de Braga

A cidade de Braga possui uma localização privilegiada: não está muito longe do mar e está bem perto do Parque Natural da Peneda Gerês....
[td_block_social_counter custom_title=”REDES SOCIAIS” header_color=”#000000″ facebook=”vortexmag” twitter=”@VortexMag” googleplus=”+VortexmagNet1″ open_in_new_window=”y”]

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here