Início Viagens As 50 grutas mais bonitas do mundo (há 2 portuguesas e 1...

As 50 grutas mais bonitas do mundo (há 2 portuguesas e 1 brasileira)

Não é apenas a Língua Portuguesa a unir Brasil e Portugal. Ao que parece, algumas das grutas mais bonitas do mundo também "falam português".

7481
0
Reed Flute Cave, China
Reed Flute Cave

As grutas são mais do que apenas “buracos no chão”. São locais utilizados desde o início dos tempos, tanto por Homens como por animais. Foram usadas durante a pré-história como abrigos, cemitérios ou locais religiosos. As cavernas podem ser encontradas por todo o mundo e podem ser dos mais variados tipos: rochosas, feitas totalmente de gelo ou subaquáticas… Algumas das grutas mais bonitas do mundo “falam português”, ou seja, estão localizadas em países de língua oficial portuguesa, como o Brasil e Portugal, por exemplo. Para os menos aventureiros, ou com fobias, muitas das grutas/cavernas mais bonitas foram transformadas em atracções turísticas (para bem e para mal), com luzes, chão de madeira e outras comodidades o que nos permite visitá-las sem grandes esforços ou inconvenientes. Portanto já sabem: aracnofóbicos, claustrofóbicos e chiropterafóbicos (fobia de morcegos): o melhor é não entrarem nestas grutas e ficarem-se pelas fotos. Descubra 50 das grutas mais bonitas do mundo.

 

1. Niah Cave, Malásia

Niah Cave, Malásia
Niah Cave, Malásia

A Caverna Niah na Malásia é uma das maiores grutas de calcário do mundo, com actividade humana desde há 40000 anos atrás. Os arqueólogos acham que os habitantes desta caverna gigante foram os dos primeiros a habitar a zona este da Malásia.

 

2. Phong Nha Cave – Minh Hoa, Vietname

Phong Nha Cave
Phong Nha Cave

Património Mundial da UNESCO juntamente com o Parque Nacional Phong Nha-Ke Bang, está localizada a cerca de 500km a sul de Hanoi. O Parque Nacional foi criado para proteger as 300 grutas e cavernas, o ecossistema e a floresta de pedra calcária de Annamite Range. Das mais de 300 grutas do parque, apenas 20 foram estudadas por cientistas, num total de 126km. Da gruta de Phong Nha, os cientistas conhecem 44,5km, mas o turistas apenas podem explorar os primeiros 1500m. É a segunda maior gruta do Vietname.

 

3. Algar do Carvão, Açores

Algar do Carvão
Algar do Carvão

O Algar do Carvão localiza-se na freguesia do Porto Judeu, no concelho de Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, nos Açores. Compreendido na Caldeira Guilherme Moniz, um antigo vulcão adormecido, neste Algar os visitantes podem descer até cerca de 100 metros de profundidade, e observar estalactites únicas no mundo pelas suas características de silicatos, e uma lagoa subterrânea, de águas cristalinas. Está classificado como Monumento Natural Regional.

 

4. Waitomo Glow Worm Cave, Nova Zelândia

Waitomo Glow Worm Cave, Nova Zelândia
Waitomo Glow Worm Cave, Nova Zelândia

Uma das atracções turísticas mais conhecidas da Nova Zelândia, que se deve às larvas luminosas que vivem no tecto da caverna: as Arachnocampa luminosa, do tamanho de um mosquito. Criam um ninho feito com fibras sedosas e pegajosas (tipo teia de aranha) e penduram-se no final brilhando de forma a atraírem possíveis presas. Quanto mais brilhante estiver a larva, mais fome tem. As larvas que comeram recentemente brilham com menos intensidade. O brilho vem de uma reacção química que acontece na cauda e os insectos são atraídos pela luzinha brilhante, ficando presos nos fios quando se aproximam.

 

5. Ajanta Caves, Índia

Ajanta Caves, Índia
Ajanta Caves, Índia

Estas cavernas datam do século II a.C. e os monumentos budistas esculpidos na rocha são consideradas como alguns dos melhores exemplos da arte indiana.

 

6. Mammoth Cave – Kentucky, EUA

Mammoth Cave – Kentucky, EUA
Mammoth Cave – Kentucky, EUA

Localizada no estado do Kentucky, a Mammoth Cave é o maior sistema de cavernas do mundo com mais de 630km de túneis. Pertence a um sistema chamado Mammoth-Flint Ridge Cave System e faz parte da lista oficial de Património Mundial da UNESCO desde 1981.

 

7. Deer Cave – Borneo, Malásia

Deer Cave – Borneo, Malásia
Deer Cave – Borneo, Malásia

Esta caverna faz parte do Parque nacional de Gunung Mulu e está localizada perto de Miri, Sarawak na zona malásia de Borneu. A caverna é também chamada de ‘Gua Payau’ ou ‘Gua Rusa’ pelos locais, e recebeu o seu nome actual graças aos veados que costumavam pernoitar lá dentro e lamber as rochas salgadas das paredes da gruta. Foi descoberta pela primeira vez em 1961 e explorada em 1978, quando se descobriu que media 174m de largura e 122m de altura. A entrada mede 146m.

 

8. Saalfeld Fairy Grottos, Alemanha

Saalfeld Fairy Grottos, Alemanha
Saalfeld Fairy Grottos, Alemanha

Embora estas cavernas não tenham sido expostas naturalmente, mas “por culpa” de mineiros que trabalharam na zona, as câmaras de tirar o fôlego continuam lá e devem ser admiradas! Com a desculpa de procurarem as fadas que nela habitam, os visitantes vêm de longe para admirarem a beleza das grutas Saalfeld.

 

9. Orda Cave, Rússia

Orda Cave, Rússia
Orda Cave, Rússia

Ordinskaya, ou Orda Cave, é a caverna subaquática mais comprida da Rússia e a única caverna subaquática de gesso do mundo! O seu comprimento é de quase 5km, com águas tão límpidas que os mergulhadores têm uma visibilidade de 45m! Além disso não existem correntes dentro da caverna. No entanto é preciso ter muito cuidado ao mergulhar aqui: a temperatura á superfície é de -20ºC; a cada exploração são encontradas mais passagens e túneis que nos levam para longe da gruta principal e onde nos podemos perder. Além disso, sendo que tudo dentro da caverna é  gesso, qualquer pequeno toque pode fazer com que caiam pedaços de parede/tecto tão grandes como um carro!

 

10.  Jeita Grotto, Lebanon

Jeita Grotto, Lebanon
Jeita Grotto, Lebanon

A Jeita Grotto é composta por duas grutas interligadas feitas de calcário cársico, uma superior e uma inferior,  com um comprimento de cerca de 9km. A gruta superior é a “casa” da maior estalactite do mundo, enquanto a inferior é apenas visitável de barco, pois canaliza um rio subterrâneo. Estas grutas foram habitadas durante os tempos pré-históricos, mas não foram redescobertas até 1836.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here