Início Sociedade As 15 maiores cidades de Portugal

As 15 maiores cidades de Portugal

A população portuguesa está concentrada sobretudo no litoral do país, na faixa que vai do Porto até Setúbal e o interior está ao abandono. Estas são as maiores cidades de Portugal.

103129
3

10. Almada (174.030 habitantes)

Situada na margem sul do rio Tejo, Almada é sem dúvida o melhor miradouro sobre a cidade de Lisboa, destacando-se como pontos de observação o castelo, o elevador panorâmico da Boca do Vento, e principalmente a estátua do Cristo-Rei erguida em 1959. Em séculos passados, Almada foi um local de veraneio procurado pela corte, que aqui mandou erigir alguns edifícios e casas nobres que ainda se conservam na cidade.

Almada
Almada

Actualmente, Almada é uma cidade que mantém um crescimento, cujo ritmo se acentuou desde a inauguração da Ponte sobre o Tejo em 1966, que veio facilitar o acesso entre as duas margens do rio. No entanto, Almada não vive apenas em função da capital onde trabalham grande parte dos seus habitantes, é uma cidade com vida própria, palco de eventos concorridos como o Festival de Teatro.

 

9. Amadora (175.136 habitantes)

Nos arredores de Lisboa, a cidade da Amadora desenvolveu-se extraordinariamente no séc. XX, tendo sido o local de residência escolhido por milhares de pessoas que trabalhando na capital, se deslocam facilmente por comboio ou automóvel.

Amadora
Amadora

Da animação cultural desta Cidade moderna, destacam-se as Festas da Cidade em Setembro/Outubro (com diversa animação cultural e uma Feira do Livro), o Festival Internacional de Banda Desenhada que se realiza em Outubro/Novembro e a Corrida de São Silvestre, na noite de fim de ano, uma das provas de atletismo mais disputadas a nível nacional.

 

8. Matosinhos (175.478 habitantes)

Tradição e progresso caracterizam esta cidade virada para o Atlântico… Situada na foz do rio Leça e privilegiada pela proximidade do mar, as primeiras referências a Matosinhos remontam ao séc. XI, sendo então conhecida pelo nome de Matesinus. Em 1514, a localidade recebeu foral de D. Manuel I, mas só foi reconhecida como vila no séc. XIX (1853). Elevada a sede de concelho em 1909, tornou-se cidade em 1984.

Matosinhos
Matosinhos

Na origem era uma tradicional localidade piscatória onde se produzia sal. Actualmente é o principal porto de pesca do país beneficiando de uma indústria desenvolvida (conservas, metalomecânica e transformação de madeira), onde se destacam três dos principais factores de desenvolvimento económico da região: o Porto comercial de Leixões, a refinaria da Petrogal e a Exponor, onde se realizam grandes eventos internacionais.

 

7. Braga (181.494 habitantes)

A Sé de Braga, a mais antiga do país, foi a maior referência religiosa em Portugal ao longo dos séculos e o dito popular “mais velho do que a Sé de Braga”, para referir alguma coisa com muito tempo, é elucidativo do seu valor. Sempre marcada pela acção eclesiástica, que se reflectiu no enriquecimento da cidade, podemos dizer que o séc. XVI e o séc. XVIII foram as épocas de ouro da sua história e do seu desenvolvimento.

Braga
Braga

A industrialização e a fixação da Universidade contribuíram muito para o desenvolvimento actual da cidade que se manteve fiel à tradição religiosa secular, revivida intensamente todos os anos durante as Solenidades da Semana Santa e na Festa de São João Baptista, em Junho. São boas oportunidades para conhecer Braga, passeando-se pelo Centro Histórico ou relembrando um dos Caminhos de Santiago que por aqui passava.

 

6. Loures (205.094 habitantes)

Nos arredores de Lisboa, a região de Loures é tradicionalmente conhecida como a zona saloia, por aqui se situarem as hortas que antigamente abasteciam a cidade de Lisboa de vegetais e produtos frescos. De tempos passados em que era procurada como zona de lazer e os nobres aqui edificavam as suas Quintas, conservam-se o Palácio e Quinta do Correio-Mor do séc. XVIII e a Quinta do Conventinho, onde actualmente está instalado o Museu Municipal.

cidades mais feias de Portugal
Loures

Nas redondezas, são inúmeros os edifícios arquitectónicos importantes, sendo de referir a Igreja Matriz de Odivelas construída no séc. XIII e reedificada no séc. XVII, e em Santo Antão do Tojal, o Palácio dos Arcebispos do séc. XVIII, que insere na sua fachada um chafariz monumental, em frente ao qual no final de Setembro se realiza uma animada feira setecentista.

3 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde
    Ao ler o vosso artigo sobre as maiores cidades de Portugal, deparei-me com uma dúvida: quando se referem ao Seixal, os dados populacionais que apresentam são referentes à cidade ou ao concelho? É que para mim, são coisas muito diferentes. Agradeço que verifiquem essa informação, pois o concelho do Seixal é constituído por duas cidades, sendo elas a cidade do Seixal (que dá o nome ao concelho) e a cidade de Amora. A primeira, apesar de sede de concelho, tem apenas 31.600 habitantes enquanto a segunda (Amora) apresenta 48 629 habitantes (os dados remetem a 2011). Portanto, a população da cidade do Seixal não se aproxima,nem de perto, nem de longe aos dados populacionais referidos no vosso artigo. Esse número está correto apenas se se referirem ao total do concelho. Já agora, verifiquem também a cidade de Almada
    Os meus cumprimentos
    Dora Frade

  2. A D. Dora Fernandes tem toda a razão!
    Verifiquem entre outras inverdades, a vila de Sintra.
    Antes de se publicar um artigo deste género, convém saber o que se está a fazer.
    Pedro Ferreira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here