Início Viagens 8 razões para apanhar o barco para o Barreiro

8 razões para apanhar o barco para o Barreiro

Há muito para ver e fazer no Barreiro. Frederico Rosa fala-nos com paixão pela sua terra e dá-nos 8 razões para apanhar o barco para o Barreiro.

26785
8
Alburrica - Barreiro
Alburrica - Barreiro

 

Li há pouco tempo aqui na Vortex Magazine um artigo que colocava o Barreiro como uma das dez cidades mais feias de Portugal. Sendo eu um barreirense apaixonado pela minha cidade, a minha reação foi a de querer partilhar com todos a magia que este território exerce sobre quem o visita e de quem o vive. Afinal, de todos os lugares do Mundo que conheço, e já visitei muitos lugares em vários continentes, o Barreiro é “o” meu local de eleição! Por isso não podia deixar de dar a conhecer aos leitores da Vortex Magazine esta cidade que me ilumina, dando a todos 8 razões para apanharem o barco e visitarem o Barreiro.

Barreiro
Barreiro

1 – Venham conhecer a imensa atividade cultural que está a brotar na cidade, fruto de um movimento de empreendedores que estão a fazer renascer um espírito barreirense que andou adormecido.

Desde a ADAO, uma associação que assentou arraiais num antigo quartel de bombeiros e que é hoje um espaço de inclusão artística, de troca de experiências e de fusões culturais que nos transporta para uma ambiente quase mágico, às propostas da programação musical de duas associações premiadas, a Out.ra e a Hey Pachuco!, que produzem há mais de uma década festivais musicais de amplo reconhecimento internacional, como o Outfest – Festival de Música Exploratória do Barreiro e o Barreiro Rocks, visitem o Centro de Produção artística da Escola Conde Ferreira ou assistam a um teatro em ambiente acolhedor produzidos pelo Arteviva ou pelo TEB – Teatro de Ensaio do Barreiro.

Alburrica - Barreiro
Alburrica – Barreiro

2 – Dê um salto à popular Avenida da Praia (cujo nome oficial é Avenida Bento Gonçalves) e aproveite para ser deslumbrado com a melhor vista de Lisboa! Esta imagem só por si vale e bem a viagem de barco mas aproveite igualmente para passear (ou fazer exercício) no Passeio Augusto Cabrita, que percorre toda a marginal, e nos novos passadiços que fazem a ligação do rio Tejo com o centro da cidade.

Culmine a caminhada com um almoço num dos restaurantes da zona ribeirinha, onde para além de comer bem vai ter direito a muitas histórias sobre o rio e sobre as gentes barreirenses. Para sobremesa (ou para o lanche ou para qualquer outra altura que se lembre), não deixe de dar um salto a uma das nossas excelentes pastelarias e leve consigo a nossa Bola de Manteiga. Pode comprar para toda a família mas o mais provável é que nem cheguem a desembarcar em Lisboa. É que apesar de a viagem de regresso ser apenas de 20 minutos, elas são mesmo (mas mesmo!) muito boas!

Barreiro
Barreiro

3 – Se gosta de passar um dia na Natureza, seja para fazer exercício, descontrair ou fazer um piquenique, dirija-se à Mata da Machada que é considerada o “Pulmão da Cidade” e que dispõe de um parque de merendas, diversos fontanários e de um Centro de Educação Ambiental que promove diversas atividades ao longo do ano para participar sozinho ou em família!

Se quiser juntar a este programa uma visita educativa, tem no outro lado da estrada a Escola de Fuzileiros onde se situa o Museu do Fuzileiro. Aqui  temos a percepção da importância e do contributo que o fuzileiro tem prestado à nação numa visita que vale a pena fazer em família.

Barreiro
Barreiro

4 – O Barreiro foi um dos maiores centros industriais da Europa na primeira metade do século XX e hoje este património ainda está muito presente em todo o território. Da Casa Museu Alfredo da Silva ao Museu Industrial da Baia do Tejo, conheça toda a história de uma atividade que projetou o Barreiro de uma vila piscatória para um polo industrial que aqui acolheu pessoas de todos os recantos do país, que vinham em busca de uma vida melhor.

Não deixe igualmente de conhecer o imenso património ferroviário existente no concelho e de dar um saltinho ao recém inaugurado Espaço Memória, que fica a apenas 100 metros do Museu Industrial e que lhe contará um pouco da História do concelho. E sabia que quanto estiver por aqui, estará a poucos metro do local onde o vídeo “Enjoy The Silence” dos Depeche Mode foi parcialmente gravado e onde os U2 gravaram e fotografaram para o álbum “How to Dismantle an Atomic Bomb“?

Fica em pleno Lavradio, onde pode visitar a Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense, fundada em 1867, a mais antiga do enorme movimento associativo barreirense que se faz sentir um pouco por toda a cidade.

Barreiro
Barreiro

5 – Se é fã de desporto, encontra no Barreiro a cada esquina estórias que tão cedo não as irá esquecer. E é bem provável que também dê de cara com alguns dos protagonistas das mesmas! Desde grandes futebolistas (como o magriço José Augusto ao violino verde-e-branco Vasques, do grupo do Barreiro que ficou célebre no Benfica nos anos 80 composto por Neno, Bento, Jorge Silva, Zé Luís, Nunes, Diamantino e Carlos Manuel) aos basquetebolistas de referencia nacional (como Albino e Zeca Macedo, José Valente, Manuel Cerqueira, Eugénio Silva, Carlos Freira, António Tavares, Miguel Minhava e Diogo Carreira entre tantos outros que fizeram e fazem da cidade a Capital do Basquetebol), passando por hoquistas como Victor Domingos (eleito o melhor guarda-redes do Mundo em 1972), o Barreiro sempre foi um viveiro de desportistas que daqui nasceram para a sua arte.

Futebol, Basquetebol, Hóquei em Patins, Xadrez, Ginástica, Futsal, Atletismo, Remo e Canoagem são alguns dos desportos que pode vir assistir e praticar num ambiente de história e lendas desportivas que o vão encantar!

Barreiro
Barreiro

6 – É adepto de feiras? Então visite ao 3º domingo de cada mês a famosa Feira de Coina, considerada uma das melhores da margem sul,  num ambiente acolhedor e com transporte público até ao local. Aproveite a sua estadia e prove um dos travesseiros de Coina que o vão fazer esquecer a sua dieta!

Barreiro
Barreiro

7 – E se depois da agitação da Feira de Coina quiser algo completamente diferente, dê um salto ao Parque da Cidade – com paragem de autocarro bem à porta – equipado com parque de merendas, campos de ténis, parque infantil, esplanadas, pista de skates, parede de escalada e zona para jogar xadrez.

Não deixe de consultar a programação do Auditório Augusto Cabrita, em pleno Parque da Cidade, onde pode assistir a exposições e espetáculos de excelência. Foi, por exemplo, neste espaço que se iniciou em 2003 a Ilustrarte – Bienal Internacional de Ilustração para a Infância, ganhando projeção e tendo hoje residência na Fundação EDP.

Barreiro
Barreiro

8 – Para um apaixonado como eu por esta cidade, não é fácil reduzir a 8 as razões para apanhar o barco para o Barreiro. Aqui tudo é história, é sentimento, é potencial de crescimento e concretização de um futuro que parece adiado. Mas que é sentido no presente. Por isso a última razão que lhe deixo para apanhar o barco são as pessoas.

Conheça-as, oiça as suas histórias de luta, de sobrevivência, de trabalho e de sucesso. Vai fazer amigos onde menos esperar e criar laços que o vão fazer barreirense de coração. E o vão fazer regressar para descobrir tudo o resto que falta aqui nesta lista e que só pode conhecer junto de amigos.

Seja a beber um café numa esplanada virada para o rio, a ouvir um jazz da Escola de Jazz do Barreiro, a saborear uma declamação de poesia num dos nossos restaurantes à beira-rio, são os barreirenses que o vão dar mil e uma razões para continuar a regressar pois a beleza desta cidade também reside na intangibilidade das suas memórias, das suas estórias e do seu companheirismo que nos molda o carácter e nos une em todos os momentos.

Artigo gentilmente escrito para a Vortex Magazine por:

Frederico Rosa (frederico.costa.rosa@gmail.com)

NOTA: A Vortex Magazine aproveita para pedir desculpas aos habitantes do Barreiro caso estes se tenham sentido injustiçados ou ofendidos por termos colocado o Barreiro na lista das 10 cidades mais feias de Portugal. Não foi com intenção de denegrir a cidade mas sim para alertar para alguma degradação e urbanismo selvagem. Acreditamos e sabemos que os habitantes do Barreiro amam profundamente a sua terra e que, com muito esforço, estão a transformar a sua cidade num óptimo local para viver e visitar.

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Boas
    Gostei do vosso artigo e só tenho um pequeno reparo a fazer, todas as fotos são excelentes e conheço pessoalmente o autor, [Nelson Favas] mas a segunda não é do Barreiro, e sim do moinho de maré da Mourisca, situado em Faralhão, Setúbal, se poderem procedem à sua substituição pois de certeza que encontrarão outras do Barreiro e do mesmo autor com a mesma qualidade!…
    Atentamente
    António Pardana

  2. gostei muito da Matéria.
    sou Brasileira e a 20 anos viajo para Portugal e fico em uma Região do Barreiro.
    faço questão sempre que posso, de pegar o Barco, uma delicia, e as praias da Região, e os passeios, este da foto do Moinho ao anoitecer, os Parques eu amo, Tenho centenas de fotos deste lugares incríveis. Sempre falo aos meus amigos, viajar tem quem ser assim, em lugares onde o povo vive, lugares maravilhosos. têm-se que conhecer . amo esta região.
    Jurema Iara Reis Belli.
    JOINVILLE Santa Catarina – Brasil

    • Ainda bem Jurema que gostou da Minha Cidade Barreiro, é linda de mais, eu resido no Brasil no Maranhão. fico feliz pelas suas palavras. obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here