Início Viagens 6 aldeias de sonho para visitar na Serra da Estrela

6 aldeias de sonho para visitar na Serra da Estrela

Trata-se de uma das mais genuínas regiões de Portugal e tem muito para oferecer a quem a visita. Descubra 6 aldeias de sonho na Serra da Estrela.

1
Serra da Estrela
Serra da Estrela

A Serra da Estrela, com os seus quase 2 mil metros de altura, é a montanha mais alta de Portugal Continental. Sempre foi um local um pouco isolado do resto do pais devido à sua morfologia montanhosa. O facto de ter sofrido este isolamento forçado criou uma personalidade singular e especial nos seus habitantes e criou também as condições necessárias para se terem desenvolvido, nos seus montes e nos seus vales, um conjunto fantástico de aldeias, diferentes das aldeias do resto do país.

O isolamento terminou quando as boas estradas começaram a chegar, mas o povo da Serra da Estrela continuo a manter vivas as suas tradições ancestrais e a preservar as suas aldeias e os seus costumes. Visitar as aldeias da Serra da Estrela é uma experiência única. Aceita as nossas sugestões e descubra algumas aldeias de sonho para visitar neste belíssimo recanto de Portugal.

 

1. Loriga

Uma estrada serpenteante e magnifica para o turismo, bem lançada em audaciosas curvas pelas encostas da serra onde a engenharia moderna pôs todos os seus recursos, leva-o a Loriga onde ao chegar contemplará embevecido o casario branco para, de imediato, lhe dar a impressão de que assenta sobre um trono onde a Natureza parece ser soberana num verdadeiro reino de esplendor.

Estes montes que a circundam e lhe ornam a fronte, oferecem aos visitantes surpreendentes paisagens, ao mesmo tempo o abismando na miragem dos cerros íngremes, cortados a pique, ou na ondulação caprichosa de vales e montes, onde a água cristalina brota e desliza, como cantando numa rumorejante melancolia por todo o lado e, as suas ribeiras, de braços abertos essas águas recebem para oferecerem aos rios e estes as levarem ao mar.

Loriga – Rui Videira

Loriga é uma das terras serranas mais formosas, bem digna da visita dos turistas, onde, entre os mais diversos predicados naturais e artísticos, decerto encontrará também o descanso e a paz de que necessita. A gente desta Vila é hospitaleira, simpática e, acima de tudo, amiga desse seu torrão. A evidenciá-lo, é estarem dispersos pelas ruas da vila, marcos fontanários e outras recordações que atestam bem o vincado amor desse seu povo à terra natal.

 

2. Cabeça

Em plena serra da Estrela encontramos a aldeia de Cabeça, uma pitoresca aldeia onde predomina o casario em xisto, um local repleto de encantos e histórias que vale a pena desvendar. A tradição e a identidade desta aldeia está muito associada ao cultivo dos campos em socalco e à pastorícia. Cabeça, terra lendária dos cavaleiros das Esporas de Ouro, é freguesia desde 13 de Janeiro de 1800.

Cabeça (Seia)

É uma pequena povoação situada num morro, sobranceira à ribeira de Loriga. Caracteriza-se pelos seus socalcos utilizam-se ainda instrumentos agrícolas muito primários. Possui duas igrejas (São Romão e Paroquial) e duas capelas (Santo António e Nossa Senhora da Nazaré).

Devido ao crescimento da população a antiga igreja paroquial, cujo o seu orago é São Romão, deixou de servir construindo-se então a actual Igreja Paroquial. A capela da N.S.ª da Nazaré data de 1900 e fica aproximadamente a 500m da povoação.

 

3. Folgosinho

Folgosinho é uma bela vila no coração da Serra da Estrela, a qual, graças à sua posição privilegiada na encosta norte da serra, a 933 metros de altitude, permite uma atmosfera e uma vista espectacular da serra assim como de imensas povoações em redor.

A beleza de Folgosinho e do cenário que a envolve é ainda mais acentuada quando vista do topo do seu pequeno mas belo e elegante castelo, ao qual foi adicionado um relógio na torre principal, visível ao longe quando se percorre a vila.

Folgosinho

Ao percorrer Folgosinho somos envolvidos pelo dia-a-dia da vida serrana, com pastores a atravessar as suas ruas seguidos de cabras e ovelhas em direcção aos pastos da serra, assim como pessoas a irem buscar água às diversas fontes espalhadas por toda a vila.

Mas não é apenas a sua localização privilegiada, o modo de vida serrano e as belas vistas que tornam Folgosinho especial, mas também a sua associação à figura do mítico Viriato assim como uma curiosa e interessante tradição de culto das fontes, suportada por lendas de tradição oral.

 

4. Alvoco da Serra

Situada no coração do Parque Natural da Serra da Estrela, Alvoco da Serra é uma localidade de fortes tradições e origens muito antigas, conservando alguns vestígios da presença dos romanos, nomeadamente uma calçada onde foram encontradas moedas da época. Em redor, não faltam múltiplas possibilidades para óptimos passeios, à descoberta das maravilhas e segredos da serra, entre lendas e histórias antigas.

Alvoco da Serra
Alvoco da Serra

Presume-se que esta povoação seja anterior à época dos romanos, visto possuir em bom estado uma calçada romana onde foram encontradas moedas da mesma época. Alvoco da Serra, situada a uma altitude de 680 metros, é a sede da freguesia que  integra mais quatro aldeias, Aguincho, Outeiro da Vinha, Vasco Esteves de Baixo e Vasco Esteves de Cima.

Numa vertente de divulgação e fruição do seu património, a Junta de Freguesia elaborou um roteiro com várias abordagens e possibilidades de visita, convidativa à permanência por alguns dias, num ambiente de tranquilidade, entre paisagens naturais de excepcional valor e onde a presença humana na agricultura tradicional e no pastoreio é ainda bem notória.

 

5. Linhares da Beira

Situada na vertente ocidental da Serra da Estrela, Linhares da Beira terá tido origem num castro lusitano. De facto, os Montes Hermínios (era este o nome lusitano da Serra da Estrela), com as suas pastagens, abundância de águas e o enquadramento protector da montanha era um dos locais habitados por esta tribo ibérica, de que muitos portugueses se consideram descendentes. O linho, que foi noutros tempos uma das culturas importantes da região, estará na origem do nome Linhares, literalmente campo de linho.

Linhares da Beira

Um passeio pela povoação revela um harmonioso conjunto urbano cheio de encanto, onde as casas simples construídas em granito convivem com alguns solares que preservam sinais de uma nobreza antiga. O olhar atento descobrirá ainda muitas janelas do séc. XVI. A igreja matriz, de raiz românica, mas reconstruída no séc. XVII, guarda três valiosas tábuas atribuídas ao grande Mestre português Vasco Fernandes (Grão Vasco).

Uma rústica tribuna elevada sobre um banco em redor de uma mesa de pedra constitui exemplar único de forum medieval donde se anunciavam à população as decisões comunitárias. É aqui que se pode ver as armas da antiga vila. Ao lado, destaca-se o pelourinho quinhentista em granito, rematado pela esfera armilar.

O conjunto da aldeia é encimado pelo vigoroso castelo que acompanha a geologia do terreno sobre um enorme monte rochoso, donde se abrange uma panorâmica espectacular. Duas grandes torres ameadas erguem-se junto dos ângulos da cerca, uma postada a oriente, outra a ocidente. No terreiro são ainda visíveis restos de antigas cisternas.

 

6. Sabugueiro

O Sabugueiro é uma das mais extensas freguesias de todo o Parque Natural da Serra da Estrela e localiza-se a 1.100 metros de altitude, sendo por isso, conhecida como a “Aldeia mais alta de Portugal”. Localizada a meio caminho do ponto mais alto, no Planalto Central, a Torre, a aldeia é conhecida pelos seus recursos naturais, entre os quais as quedas de água e pelas vistas de uma vegetação serra única.

Precisamente pela sua localização, o Sabugueiro constitui um dos melhores pontos de partida para conhecer algumas das estruturas do aproveitamento hidroeléctrico da serra da Estrela, de que são exemplo as barragens do Lagoacho, do Vale do Rossim e da Lagoa Comprida, o maior reservatório de água em toda a serra. Embora o turismo e o comércio constituam as principais actividades económicas das suas gentes, os usos e costumes de antigamente marcam, ainda, o ritmo diário da aldeia.

Sabugueiro

Outrora terra de centeio e de pastorícia, o Sabugueiro oferece ao visitante paisagens deslumbrantes e locais pitorescos de curiosidades múltiplas. Os moinhos de água e o forno comunitário são exemplos de memórias de um passado que não quer ser esquecido.

A cascata da Fervença e o covão do Urso, ampla depressão de origem glaciária, constituem exemplos de valores paisagísticos que merecem uma visita. Pela sua localização, o Sabugueiro constitui um dos melhores pontos de partida para conhecer algumas das estruturas do aproveitamento hidroeléctrico da serra da Estrela, de que são exemplo as barragens do Lagoacho, do Vale do Rossim e da Lagoa Comprida, o maior reservatório de água em toda a serra.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here